“Casa Efi­ci­en­te 2020” Tam­bém com­ba­te clan­des­ti­ni­da­de

Publico - Imobiliario - - Opinião -

OP­ro­gra­ma “Casa Efi­ci­en­te 2020” é um ins­tru­men­to fi­nan­cei­ro de apoio às ope­ra­ções de Re­a­bi­li­ta­ção Ur­ba­na, fo­ca­do na me­lho­ria do de­sem­pe­nho ambiental dos edi­fí­ci­os. Es­tá em cau­sa um Pro­gra­ma de­sen­vol­vi­do pe­lo Go­ver­no, em par­ce­ria com a CPCI – Confederação Por­tu­gue­sa da Cons­tru­ção e do Imo­bi­liá­rio.

To­da a in­for­ma­ção re­la­ti­va a es­te ins­tru­men­to es­tá dis­po­ní­vel no Por­tal «www.ca­sa­e­fi­ci­en­te2020.pt», o qual dis­põe de fer­ra­men­tas que per­mi­tem aos pro­pri­e­tá­ri­os e ar­ren­da­tá­ri­os, ava­li­ar e es­co­lher a me­lhor so­lu­ção para a in­ter­ven­ção em con­cre­to na sua ha­bi­ta­ção, apre­sen­tan­do os be­ne­fí­ci­os as­so­ci­a­dos à mesma. Es­te Por­tal ofe­re­ce, ain­da, ao mer­ca­do, um Di­re­tó­rio de em­pre­sas qua­li­fi­ca­das, ap­tas à re­a­li­za­ção das in­ter­ven­ções. Em con­jun­to com o Go­ver­no, qui­se­mos dar ga­ran­ti­as ao par­ti­cu­lar, que te­rá co­mo in­ter­lo­cu­to­res en­ti­da­des cre­dí­veis e cum­pri­do­ras – afas­tan­do to­dos os que tra­ba­lham de forma clan­des­ti­na, à mar­gem do mer­ca­do. Es­te foi, para nós, des­de o iní­cio, um prin­cí­pio fun­da­men­tal. To­das as can­di­da­tu­ras têm de pas­sar pe­lo Por­tal “Casa Efi­ci­en­te 2020” e só po­de­rão for­ne­cer ou exe­cu­tar tra­ba­lhos, as em­pre­sas que se en­con­trem ali re­gis­ta­das. Ou se­ja, as em­pre­sas têm de cum­prir os re­qui­si­tos le­gais para o exercício da ati­vi­da­de, afas­tan­do-se to­das as si­tu­a­ções de tra­ba­lho ile­gal.

O que se pas­sa ao ní­vel da Re­a­bi­li­ta­ção Ur­ba­na é pa­ra­dig­má­ti­co. Se há in­ter­ven­ções que não es­tão su­jei­tas a li­cen­ci­a­men­to, ou­tras há que es­ca­pam à ati­vi­da­de fis­ca­li­za­do­ra das en­ti­da­des com­pe­ten­tes. Bas­ta ver que os nú­me­ros apu­ra­dos pe­lo INE, re­la­ti­vos a li­cen­ças de “obras de al­te­ra­ção”, pe­la sua pouca ex­pres­são – di­mi­nui­ção de 0,5% em 2017, fa­ce a 2016 – não po­dem cor­res­pon­der à re­a­li­da­de da re­a­bi­li­ta­ção ur­ba­na que es­tá à vis­ta de to­dos.

Com es­te Pro­gra­ma es­ta­mos a pro­mo­ver o con­for­to e o aces­so a ha­bi­ta­ção con­dig­na, a di­na­mi­zar o mer­ca­do do ar­ren­da­men­to e a con­tri­buir para o cum­pri­men­to das me­tas am­bi­en­tais a que Por­tu­gal es­tá vin­cu­la­do, ao mes­mo tem­po que se cria em­pre­go e ge­ra ati­vi­da­de eco­nó­mi­ca, re­qua­li­fi­can­do as nos­sas ci­da­des e vi­las.

Por ou­tro la­do, ca­ra­te­ri­za-se pe­la sua sim­pli­ci­da­de. To­do o pro­ces­so é tra­mi­ta­do de forma des­ma­te­ri­a­li­za­da, por via do re­fe­ri­do Por­tal, atra­vés do qual é emi­ti­da a “De­cla­ra­ção Casa Efi­ci­en­te 2020”, que ser­vi­rá para a ob­ten­ção do fi­nan­ci­a­men­to pre­ten­di­do. Pretende-se o re­lan­ça­men­to do in­ves­ti­men­to pri­va­do nu­ma óti­ca de ali­nha­men­to com a es­tra­té­gia de­fi­ni­da no Pla­no de In­ves­ti­men­to para a Eu­ro­pa da Co­mis­são Eu­ro­peia, im­pul­si­o­nar a efi­ci­ên­cia ener­gé­ti­ca, no con­tex­to de uma tran­si­ção ener­gé­ti­ca da eco­no­mia por­tu­gue­sa e pro­mo­ver a co­e­são ter­ri­to­ri­al e sus­ten­ta­bi­li­da­de ambiental, áre­as nas quais a Re­a­bi­li­ta­ção Ur­ba­na de­sem­pe­nha um pa­pel es­sen­ci­al.

To­das as in­for­ma­ções es­tão dis­po­ní­veis no si­te «www.ca­sa­e­fi­ci­en­te2020.pt».

Com es­te Pro­gra­ma es­ta­mos a pro­mo­ver o con­for­to e o aces­so a ha­bi­ta­ção con­dig­na, a di­na­mi­zar o mer­ca­do do ar­ren­da­men­to e a con­tri­buir para o cum­pri­men­to das me­tas am­bi­en­tais a que Por­tu­gal es­tá vin­cu­la­do, ao mes­mo tem­po que se cria em­pre­go e ge­ra ati­vi­da­de eco­nó­mi­ca, re­qua­li­fi­can­do as nos­sas ci­da­des e vi­las

Pre­si­den­te da AICCOPN – As­so­ci­a­ção dos In­dus­tri­ais da Cons­tru­ção Ci­vil e Obras Pú­bli­cas

Ma­nu­el Reis Cam­pos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.