In­di­ví­duo abriu con­ta num ban­co e no dia se­guin­te ins­cre­veu-se na as­so­ci­a­ção de le­sa­dos

Publico - Inimigo - - O INIMIGO PÚBLICO -

Não é pre­ci­so in­ves­tir em pa­pel co­mer­ci­al an­tes de um ban­co ser res­ga­ta­do pa­ra se ser um le­sa­do da ban­ca. Um in­di­ví­duo abriu con­ta, foi ime­di­a­ta­men­te bur­la­do e 24 ho­ras de­pois já se ins­cre­veu na as­so­ci­a­ção de le­sa­dos do ban­co res­pec­ti­vo. “De­po­si­tei di­nhei­ro na con­ta e 5 mi­nu­tos de­pois foi lo­go de­bi­ta­da a Co­mis­são Cli­en­te Fre­quen­te. Oi­to eu­ros que se­rão de­bi­ta­dos to­dos os me­ses. O ban­co ven­deu-me uma co­mis­são de ges­tão men­sal que me per­mi­tia usu­fruir de um con­jun­to de pro­du­tos e ser­vi­ços pa­ra fa­ci­li­tar a ges­tão do meu dia a dia, mas eu não te­nho na­da. De­vol­vam-me os oi­to eu­ros, já! São oi­to eu­ros que fo­ram in­ves­ti­dos sem ne­nhum re­tor­no. Eu qu­e­ro ter es­pa­ço nos mé­dia co­mo os ou­tros, pois eu tam­bém sou um le­sa­do da ban­ca”, re­cla­mou o in­di­ví­duo. JH

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.