FMI diz que Te­o­do­ra Car­do­so per­de a ra­zão es­te ano mas vol­ta a ter ra­zão em 2018

Publico - Inimigo - - O INIMIGO PÚBLICO -

No World Eco­no­mic Ou­tlo­ok di­vul­ga­do no iní­cio da se­ma­na, o Fun­do Mo­ne­tá­rio In­ter­na­ci­o­nal pre­vê um cres­ci­men­to de 1,7% pa­ra a eco­no­mia por­tu­gue­sa es­te ano, va­lor que ba­te mais ou me­nos cer­to com o pre­vis­to pe­lo Go­ver­no no Pro­gra­ma de Es­ta­bi­li­da­de e con­tra­ria as pre­vi­sões de Te­o­do­ra Car­do­so. Mas o FMI já es­cla­re­ceu que a Pre­si­den­te do Con­se­lho das Fi­nan­ças Pú­bli­cas per­de a ra­zão ape­nas es­te ano e que em 2018 vai re­cu­pe­rá-la mui­to mais ra­pi­da­men­te do que os co­men­ta­do­res ami­gui­nhos do go­ver­no es­tão a pen­sar. “Pre­pa­rei es­te grá­fi­co. Te­o­do­ra tem em 2017 uma le­ve re­ces­são na ra­zão, mas tem lo­go uma re­to­ma de ra­zão no ano se­guin­te, pois o Go­ver­no pre­vê a eco­no­mia por­tu­gue­sa a cres­cer 1,5% quan­do na ver­da­de só vai cres­cer pou­co mais de me­ta­de dis­so. Em 2019, Te­o­do­ra Car­do­so vai ter ain­da mais ra­zão que em 2018, em 2020 ain­da mais que 2019 e em 2021 ain­da mais que em 2020. Es­te grá­fi­co em fle­cha pa­re­ce o cres­ci­men­to da Chi­na, mas é o cres­ci­men­to da ra­zão da Te­o­do­ra na pró­xi­ma dé­ca­da”, mos­trou um se­nhor do FMI.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.