Cen­te­no as­su­me que é bis­se­xu­al, pois tan­to gos­ta de abu­sar scal­men­te de con­tri­buin­tes fe­mi­ni­nos como mas­cu­li­nos

Publico - Inimigo - - É PRO MENINO E PRA MENINA -

Deu su­ru­ru. Gra­ça Fon­se­ca, se­cre­tá­ria de Es­ta­do da Mo­der­ni­za­ção Ad­mi­nis­tra­ti­va, foi a pri­mei­ra po­lí­ti­ca por­tu­gue­sa a as­su­mir a ho­mos­se­xu­a­li­da­de. Mas ago­ra é o mi­nis­tro das Fi­nan­ças a es­ti­car a cor­da dos ta­bus e a as­su­mir to­da a sua se­xu­a­li­da­de. Al­gu­mas pes­so­as es­tão a elo­gi­ar a sua co­ra­gem, ou­tros di­zem que a sua pre­fe­rên­cia se­xu­al já era de­ma­si­a­do evi­den­te pa­ra ser con­si­de­ra­da uma no­tí­cia com re­le­vân­cia. “Eu sou um sel­va­gem na ca­ma scal. Eu vou a to­das. Eu como tu­do o que me­xe. Con­tri­buin­tes ho­mens, mu­lhe­res, her­ma­fro­di­tas, tra­ves­tis, tran­se­xu­ais, trans­gé­ne­ros, qual­quer coi­sa ser­ve! On­de há um ser hu­ma­no do­ta­do de ren­di­men­tos pa­ra eu es­bu­lhar, eu vou lá e tun­ga! E eu apre­cio o amor scal sem con­sen­ti­men­to. Não con­si­go con­tro­lar o meu ape­ti­te se­xu­al. Só sou bis­se­xu­al por­que só exis­tem dois se­xos. Ha­ven­do mais se­xos que ga­nhem sa­lá­ri­os, eu pos­so ser tris­se­xu­al, te­tras­se­xu­al ou pen­tas­se­xu­al. Eu sou tu­dos­se­xu­al! Es­pe­ro ago­ra que não me jul­guem só por cau­sa dis­so. Não ao pre­con­cei­to, eu sou um ser hu­ma­no e me­re­ço res­pei­to”, pe­diu Cen­te­no. JH

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.