Can­di­da­tu­ra de San­ta­na Lo­pes a nal é ape­nas um epi­só­dio de “E Se Fos­se Con­si­go?”

Publico - Inimigo - - RODAGEM AUTOMÓVEL -

Foi tu­do mui­to rá­pi­do. Pas­sos Co­e­lho sai e nu­ma se­ma­na San­ta­na Lo­pes anun­cia que vai can­di­da­tar-se ao PSD. Mas a ver­da­de aca­ba de ser re­ve­la­da. De­pois dos ho­mens ví­ti­mas de vi­o­lên­cia do­més­ti­ca, o pro­gra­ma da SIC so­bre ca­sos re­ais mos­trou uma si­tu­a­ção com­pli­ca­da re­la­ci­o­na­da com a po­lí­ti­ca. O te­ma era “Rui Rio can­di­da­ta­se ao PSD” e Con­cei­ção Li­no mos­trou as reacções de in­di­fe­ren­ça de Paulo Ran­gel e Luís Mon­te­ne­gro e o de­ses­pe­ro de Pe­dro San­ta­na Lo­pes pe­ran­te um par­ti­do li­de­ra­do pelo ex-Pre­si­den­te da Câ­ma­ra do Por­to. “Is­to foi ape­nas uma brin­ca­dei­ra pa­ra a te­le­vi­são co­mo aque­le pro­gra­ma Ca­dei­ra do Po­der que eu z com o Ar­tur Al­bar­ran em 1997. Vo­cês acham que eu ia dei­xar a boa vi­da da San­ta Casa da Mi­se­ri­cór­dia pa­ra ser um lí­der pa­ra quei­mar num par­ti­do com­ple­ta­men­te em ca­cos?”, es­cla­re­ceu San­ta­na Lo­pes. JH

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.