Santana Lo­pes e Rui Rio ne­go­cei­am so­lu­ção de com­pro­mis­so: um ca com o PPD e ou­tro com o PSD

Publico - Inimigo - - PRIMEIRA PÀGINA - JH

De­pois de al­gu­mas que­zí­li­as ini­ci­ais em que um era acu­sa­do de ser a quar­ta es­co­lha e o ou­tro era acu­sa­do de ser a quar­ta ten­ta­ti­va de se can­di­da­tar à li­de­ran­ça do par­ti­do, as du­as can­di­da­tu­ras sen­ta­ram-se à me­sa pa­ra um cessar fo­go e evi­tar que al­guém saia a per­der de­pois de uma dis­pu­ta elei­to­ral. “Foi um óp­ti­mo acor­do. Eu na ver­da­de nun­ca quis li­de­rar o PSD. Eu nun­ca me dei com as pes­so­as do PSD. Eu sem­pre odi­ei o PSD. O meu par­ti­do sem­pre foi o PPD. O res­to da si­gla di­zia por di­zer. A mi­nha ex­pe­ri­ên­cia co­mo pri­mei­ro-mi­nis­tro cor­reu mal por­que o go­ver­no era do PSD e qua­se não ti­nha mi­nis­tros nem se­cre­tá­ri­os de es­ta­do do PPD. É me­lhor pa­ra to­dos. O Rui Rio ama o PSD e sem­pre so­nhou li­de­rar o PSD. O PPD tem uma ba­se elei­to­ral me­nor que a do PSD, mas tem mais ri­que­za in­te­ri­or, mais al­ma e mais iden­ti­da­de. Co­mi­go, o PPD vai ter mais vo­tos que o PSD e o PS. Mas é evi­den­te que es­tou dis­po­ní­vel pa­ra li­de­rar um go­ver­no de co­li­ga­ção com o PSD se o PPD não con­se­guir a mai­o­ria ab­so­lu­ta”, re­ve­lou Santana Lo­pes.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.