Isa­bel dos San­tos diz que “o meu for­te não são as con­tas” e ain­da es­tá pa­ra per­ce­ber co­mo se tor­nou a mu­lher mais ri­ca de Áfri­ca

Publico - Inimigo - - PRIMEIRA PÀGINA -

Num pro­ces­so a de­cor­rer na Câ­ma­ra de Co­mér­cio In­ter­na­ci­o­nal de Pa­ris, Isa­bel dos San­tos te­ve um ata­que dig­no dos me­lho­res de­po­en­tes nas co­mis­sões par­la­men­ta­res de inqué­ri­to por­tu­gue­sas e dis­se que não sa­bia, que não se lem­bra, que não é boa com da­tas, que per­deu do­cu­men­tos por­que mu­dou de ca­sa e, a ce­re­ja no to­po do bo­lo, “o meu for­te não são as con­tas”. Ao IP, a lha de Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos, con rmou que “sou uma des­gra­ça a fa­zer con­tas e ain­da es­tou pa­ra sa­ber co­mo pas­sei a ser a mu­lher mais ri­ca de Áfri­ca. Foi sor­te, acho eu. Ou is­so ou o fac­to de o meu pai ter si­do Pre­si­den­te de An­go­la du­ran­te 38 anos. Quan­do dei por ela, ti­nha uma for­tu­na de mais de dois mil mi­lhões de euros. Acho que é al­go que acon­te­ce à mai­or par­te das pes­so­as, não é?”. MB

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.