O jazz eu­ro­peu no Go­ethe traz Agus­tí Fer­nán­dez e Ch­ris­ti­an Lil­lin­ger

Publico - Ipsilon - - Sumário -

Agus­tí Fer­nán­dez, Al­bert Ci­ce­ra, To­bi­as De­lius e Ch­ris­ti­an Lil­lin­ger. Em des­por­to, da­ria em­pa­te a 2 en­tre Es­pa­nha e Alemanha (De­lius é in­glês, mas es­tá ao ser­vi­ço dos ale­mães). No Jazz im Go­ethe-Gar­ten ( JiGG), são qu­a­tro no­mes de pe­so, di­vi­di­dos por du­as for­ma­ções dis­tin­tas, que são mo­ti­vos mais do que su­fi­ci­en­tes pa­ra dar um sal­to até ao jar­dim do Go­ethe Ins­ti­tut, no Cam­po dos Már­ti­res da Pá­tria (Lis­boa), du­ran­te os fi­nais de tar­de do mês de Ju­lho (en­tre 5 e 14). Na sua 13ª edição, o fes­ti­val que par­ti­lha o di­rec­tor ar­tís­ti­co, Rui Ne­ves, com o Jazz em Agos­to da Gul­ben­ki­an, apre­sen­ta anu­al­men­te um pe­que­no car­dá­pio cons­ti­tuí­do por es­co­lhas do jazz con­tem­po­râ­neo eu­ro­peu, fre­quen­te­men­te apon­tan­do pa­ra for­ma­ções de no­mes pou­co so­nan­tes (mas nem por is­so me­re­ce­do­ras de uma aten­ção me­nor), mas man­ten­do sem­pre co­mo ali­cer­ce da pro­gra­ma­ção fi­gu­ras mai­o­res do jazz avant- gar­de e da mú­si­ca im­pro­vi­sa­da do con­ti­nen­te. Agus­tí Fer­nán­dez, no­tá­vel pi­a­nis­ta ca­ta­lão que há dois anos se apre­sen­tou no JiGG a so­lo, re­gres­sa a 6 de Ju­lho pa­ra uma ac­tu­a­ção com o seu Li­quid Trio. Acom­pa­nha­do por dois an­ti­gos alu­nos, Al­bert Ci­ce­ra no sa­xo­fo­ne e Ra­mon Prats na ba­te­ria, o re­qui­si­ta­dís­si­mo Fer­nán­dez co­man­da uma for­ma­ção en­tre­gue a uma mú­si­ca es­qui­va e de ex­pres­são im­pre­vi­sí­vel, e que no seu se­gun­do ál­bum, Ma­ri­an­ne (2016), co­mo no­ta o crí­ti­co Mark Cor­ro­to, tan­to se lan­ça a um tour de for­ce de 19 mi­nu­tos quan­to a “um hai­ku de im­pro­vi­sa­ção” de 52 se­gun­dos. To­bi­as De­lius (sa­xo­fo­ne) e Ch­ris­ti­an Lil­lin­ger ( ba­te­ria), fi­gu­ras pro­e­mi­nen­tes do jazz con­ti­nen­tal, ater­ra­rão no Go­ethe com Ro­to­za­za, qu­ar­te­to se­di­a­do na Alemanha que in­te­gra ain­da o gui­tar­ris­ta Ni­co­la L. Hein e o con­tra­bai­xis­ta Adam Pultz Melbye. Ca­be-lhes o con­cer­to de en­cer­ra­men­to, a 14 de Ju­lho, com uma mú­si­ca re­cla­ma­do­ra de li­ber­da­de ins­pi­ra­da pe­la es­cul­tu­ra ci­né­ti­ca de Je­an Tin­guely, à qual pe­di­ram de em­prés­ti­mo a de­sig­na­ção do qu­ar­te­to. Apre­sen­tan­do se­te for­ma­ções pro­ve­ni­en­tes de Es­pa­nha, Alemanha, Áus­tria, Itá­lia, Suí­ça, Tur­quia e Por­tu­gal, o JiGG con­ce­de hon­ras de aber­tu­ra a um trio de lu­xo da mú­si­ca ex­plo­ra­tó­ria na­ci­o­nal, com João Agus­tí Fer­nán­dez, no­tá­vel pi­a­nis­ta ca­ta­lão, re­gres­sa a 6 de Ju­lho pa­ra uma ac­tu­a­ção com o seu Li­quid Trio Ca­mões (vi­o­la), Ro­dri­go Pi­nhei­ro (pi­a­no) e Mi­guel Mi­ra (vi­o­lon­ce­lo) - gen­te per­ten­cen­te, en­tre ou­tras for­ma­ções, aos RED Trio e ao Mo­ti­on Trio de Ro­dri­go Ama­do - a res­pon­de­rem pe­lo no­me Ear­ne­ar en­quan­to for­çam os seus ins­tru­men­tos a es­ti­car as pos­si­bi­li­da­des até ao li­mi­te. Es­ta­rão a 5 de Ju­lho no Go­ethe, se­guin­do-se Li­quid Trio, Namby Pamby Boy (Áus­tria, dia 7), Oguz Büyük­ber­ber e To­bi­as Klein (Tur­quia/Alemanha, 10), Ro­ots Ma­gic (Itá­lia, 12), Weird Be­ard (Suí­ça, 13) e Ro­to­za­za. Gon­ça­lo Fro­ta

Wolf­gang Voigt vai a Bra­ga des­ta­que da se­gun­da for­na­da de no­mes que são ago­ra re­ve­la­dos pa­ra in­te­grar o car­taz do fes­ti­val Se­mi­bre­ve de Bra­ga, que acon­te­ce de 27 a 29 de Ou­tu­bro, de­di­can­do-se às so­no­ri­da­des me­nos pre­vi­sí­veis de ca­riz elec­tró­ni­co. O mú­si­co, pro­du­tor, fun­da­dor da edi­to­ra Kom­pakt e fi­gu­ra cen­tral das elec­tró­ni­cas das úl­ti­mas dé­ca­das atra­vés da adop­ção de inú­me­ros pseu­dó­ni­mos, re­gres­sou há se­ma­nas com um no­vo ál­bum do pseu­dó­ni­mo Gas, in­ti­tu­la­do Nar­ko­pop, nu­ma vi­a­gem pe­la elec­tró­ni­ca mais den­sa mas va­po­ro­sa, com o ba­ti­men­to car­día­co de um tec­no em câ­ma­ra-len­ta re­ves­ti­do de uma ca­ma­da am­bi­en­tal, num to­do pla­nan­te. O pro­jec­to se­rá apre­sen­ta­do em con­cer­to au­di­o­vi­su­al, com in­ci­dên­cia no úl­ti­mo ál­bum. Ou­tros no­mes as­se­gu­ra­dos pa­ra ac­tu­ar no fes­ti­val são os do tam­bém ale­mão Ra­bih Be­ai­ni, voz so­li­tá­ria das mú­si­cas elec­tró­ni­cas que se si­tua en­tre as lin­gua­gens mais ex­plo­ra­tó­ri­as e a mú­si­ca de dan­ça, bem co­mo a do com­po­si­tor, ar­tis­ta e cu­ra­dor La­wren­ce En­glish, que na sua obra ques­ti­o­na as re­la­ções es­ta­be­le­ci­das en­tre som, har­mo­nia, dis­tor­ção e es­tru­tu­ra. As pi­o­nei­ras da elec­tró­ni­ca, Lau­rie Spi­e­gel e Be­a­triz Fer­rey­ra, tam­bém es­ta­rão pre­sen­tes. A se­gun­da é uma co­nhe­ci­da com­po­si­to­ra elec­tro­a­cús­ti­ca ar­gen­ti­na que irá no con­tex­to do even­to ma­ni­pu­lar um sis­te­ma de di­fu­são mul­ti­ca­nal, en­quan­to a pri­mei­ra apre­sen­ta­rá uma ins­ta­la­ção com a sua no­va com­po­si­ção pa­ra a pe­ça de ví­deo Maya De­ren: Pre­lu­de to Ge­ne­ra­ting a Dre­am Pa­let­te de Peter Sch­mi­deg. Os por­tu­gue­ses Sa­bre, al­gu­res en­tre o hou­se com in­fluên­ci­as psi­ca­dé­li­cas, jun­tam-se tam­bém ao pro­gra­ma de um acon­te­ci­men­to que já con­ta­va com as con­fir­ma­ções de De­ath­prod, Val­geir Si­gu­rõs­son, Fis e Kyo­ka. Ví­tor Be­lan­ci­a­no

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.