Fes­ti­val Zo­na Não Vi­gi­a­da re­gres­sa com dan­cehall, o no­vo reg­ga­e­tón e um pro­gra­ma de re­si­dên­ci­as

Publico - Ipsilon - - Sumário -

O co­lec­ti­vo Equik­noxx apre­sen­ta o seu dan­cehall mu­tan­te Em Se­tem­bro de 2015, na Zo­na J, em Che­las, Lis­boa, acon­te­ceu um dos mo­men­tos mais es­pe­ci­ais da ren­trée des­se ano: a pri­mei­ra edi­ção do Fes­ti­val Zo­na Não Vi­gi­a­da. Du­ran­te um dia, num rin­gue de fu­te­bol ao ar li­vre, fez-se a di­fe­ren­ça pe­lo cru­za­men­to de pú­bli­cos, de cir­cui­tos, de mú­si­cas - do rock de co­ra­ção aber­to e ar­dor punk das Pe­ga Mons­tro ao gri­me gal­va­ni­zan­te dos in­gle­ses Newham Ge­ne­rals, Jammz e Lo­gan Sa­ma, pas­san­do pe­las des­cons­tru­ções ku­du­ris­tas de DJ Fir­me­za, Ma­bo­ku e Li­lo­cox, que ti­ve­ram di­rei­to a in­va­são de pal­co pe­los mais no­vos. Foi bo­ni­ta a fes­ta, pá - e es­te ano es­tá de vol­ta, no­va­men­te pe­la mão da Fi­lho Úni­co e da Ca­sa Con­ve­ni­en­te/ Zo­na Não Vi­gi­a­da, com­pa­nhia da en­ce­na­do­ra Mó­ni­ca Cal­le com mo­ra­da na Zo­na J. É dia 16 de Se­tem­bro, en­tre as 16h e as 21h na Avenida João Pau­lo II, com en­tra­da gra­tui­ta e um ali­nha­men­to plu­ra­lis­ta. Da Ja­mai­ca vem o co­lec­ti­vo Equik­noxx, que apre­sen­ta pe­la pri­mei­ra vez em Portugal o seu dan­cehall mu­tan­te, ple­no de des­vi­os mo­du­la­res e ex­pe­ri­men­ta­lis­mo tím­bri­co, nu­ma es­tra­nha e sur­pre­en­den­te re­con­tex­tu­a­li­za­ção do gé­ne­ro (ou­ça-se o dis­co Bird Sound Power, de 2016). Tam­bém em es­treia por cá e a pro­por no­vas lei­tu­ras, mas nou­tras co­or­de­na­das, es­tá a chi­le­na To­ma­sa del Re­al. Na li­nha da fren­te de uma no­va va­ga de reg­ga­e­tón que fo­ge à mas­si­fi­ca­ção e de­sa­fia o ma­chis­mo e a ho­mo­fo­bia tan­tas ve­zes pre­sen­tes no meio, To­ma­sa del Re­al res­ga­ta, sa­bo­ta, trans­for­ma e re­vi­ta­li­za o reg­ga­e­tón, pu­xan­do pe­las su­as raí­zes co­mu­ni­tá­ri­as e do-it-your­self, nu­ma rou­pa­gem fu­tu­ris­ta mas for­te­men­te iden­ti­tá­ria. Ex­plo­si­va, sem pu­do­res. Ou­tro dos pon­tos al­tos se­rá o hiphop de tre­pi­da­ção elec­tró­ni­ca e flu­xos ur­ba­nos da du­pla de pro­du­to­res God Co­lony. Vêm com a rap­per, e cúmplice, Flohio, uma das vo­zes mais po­de­ro­sas da no­va ge­ra­ção de MCs lon­dri­nos. Ain­da há tem­po pa­ra B Fa­cha­da, sem o qual a mú­si­ca po­pu­lar por­tu­gue­sa já não se­ria mes­ma, e Nig­ga Fox, mes­tre in­con­tor­ná­vel do pós-ku­du­ro, em representação da edi­to­ra Prín­ci­pe. Es­te ano o fes­ti­val é an­te­ce­di­do por um pro­gra­ma de re­si­dên­ci­as na Zo­na J. Uma se­rá com as Pe­ga Mons­tro, aberta a par­ti­ci­pan­tes de to­do o país. A ou­tra fi­ca­rá a car­go de Rusty San­tos - pro­du­tor ame­ri­ca­no que já tra­ba­lhou com no­mes co­mo Ani­mal Col­lec­ti­ve, DJ Rashad, Ari­el Pink ou Vash­ti Bunyan - e se­rá des­ti­na­da so­bre­tu­do a pro­du­to­res de hip-hop e MCs da Zo­na J. Ma­ri­a­na Du­ar­te

Tal­vez fil­me de­fi­ni­ti­vo so­bre a Re­sis­tên­cia, O Exér­ci­to das Som­bras

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.