Sem sair do lu­gar (co­mum)

Publico - Ipsilon - - Sumário -

A gas­tro­no­mia vol­ta a ser um pre­tex­to pa­ra Steve Coogan e Rob Brydon fa­la­rem das su­as cri­ses de meia-ida­de, mas a vi­a­gem con­ti­nua a não va­ler a pe­na. A Vi­a­gem a Es­pa­nha The Trip to Spain De Michael Winterbottom, com Steve Coogan, Rob Brydon Steven Soderbergh ti­nha de­sis­ti­do do ci­ne­ma, di­zia ele, de­pois de ter ti­do de ir fa­zer Por De­trás do Candelabro (2013), a sua bi­o­gra­fia pa­ra a HBO de Li­be­ra­ce, com Michael Dou­glas e Matt Da­mon, por­que ne­nhum es­tú­dio o quis. Ago­ra, um dos mais cons­tan­te­men­te in­te­li­gen­tes ci­ne­as­tas con­tem­po­râ­ne­os dá o di­to por não di­to e re­gres­sa ao gran­de ecrã com um fil­me fi­nan­ci­a­do e dis­tri­buí­do de mo­do in­de­pen­den­te, sem a mão dos es­tú­di­os, que não quer — diz ele — ser mais do que um sim­ples en­tre­te­ni­men­to. (Co­mo se fos­se pos­sí­vel olhar­mos pa­ra um fil­me seu ape­nas co­mo is­so.)

Sor­te à Lo­gan, on­de Soderbergh acu­mu­la re­a­li­za­ção, fo­to­gra­fia e mon­ta­gem (e, di­zem os men­ti­de­ros, tam­bém o ar­gu­men­to, cre­di­ta­do a uma tal Re­bec­ca Blunt de que nun­ca se ou­viu fa­lar), tem qual­quer coi­sa de “mo­lhar os pés” pa­ra ver co­mo es­tá a água. É um “fil­me de gol­pe” pro­pul­si­o­na­do pe­la pai­sa­gem mu­si­cal de Da­vid Hol­mes, mas tam­bém uma ma­nei­ra se­gu­ra de Soderbergh de­sen­fer­ru­jar os mús­cu­los. Não se in­ven­ta na­da em Sor­te à Lo­gan, ver­são “pro­vin­ci­a­na” dos fil­mes da sé­rie Oce­an’s Ele­ven: o al­vo são as con­ces­sões do au­tó­dro­mo de Char­lot­te e o “cé­re­bro” do gol­pe dois ir­mãos li­xa­dos pe­lo sis­te­ma (Channing Tatum e Adam Driver), clas­se ope­rá­ria que so­bre­vi­ve a cus­to (o dinheiro ou a fal­ta do di­to nu­ma so­ci­e­da­de on­de tu­do se me­de pe­lo dinheiro, “mo­tor” e “mo­ti­vo” cons­tan­te do re­a­li­za­dor, a pôr a en­gre­na­gem em mo­vi­men­to).

Es­se ce­ná­rio ru­ral, da Amé­ri­ca pro­fun­da à qual Hollywo­od só li­ga quan­do lhe con­vém, en­via tam­bém o fil­me pa­ra um ou­tro cam­pe­o­na­to — o das co­mé­di­as de ac­ção dos anos 1970 que fi­ze­ram o no­me e a for­tu­na de Burt Rey­nolds, fi­tas co­mo O Bom e os Maus ou Ho­o­per. Não es­ta­mos exac­ta­men­te em

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.