Os en­con­tros e de­sen­con­tros de Vol­ker Schlön­dorff

Publico - Ipsilon - - Sumário - Jor­ge Mou­ri­nha

Max, in­ter­pre­ta­do pe­lo su­e­co Stel­lan Skarsgård, de vi­a­gem a Nova Ior­que pa­ra pro­mo­ver o seu no­vo ro­man­ce, re­en­con­tra uma mu­lher do seu pas­sa­do, Re­bec­ca (Ni­na Hoss)

Du­ran­te as fil­ma­gens, es­cre­vi a uma ami­ga a di­zer-lhe que ti­nha a sen­sa­ção des­te fil­me ser o meu can­to do cis­ne. E ela res­pon­deu­me ‘Pe­lo amor de Deus não fa­ças is­so! Tens de fa­zer outro fil­me!’”

Vol­ker Schlön­dorff ri-se do outro lado da li­nha, em Ber­lim. Ri-se por­que a ami­ga a quem dis­se que Re­vi­ver o Pas­sa­do em Mon­tauk (es­ta se­ma­na nas sa­las por­tu­gue­sas) ti­nha qu­al­quer coi­sa de “fim de ci­clo” en­ten­deu mal a afir­ma­ção: “Não que­ria di­zer que es­te ia ser o meu úl­ti­mo fil­me, ape­nas que era um fil­me que fe­cha um ca­pí­tu­lo da mi­nha vi­da. Mas é ver­da­de que não te­nho outro pro­jec­to em mãos. Es­tou à es­pe­ra que apa­re­ça al­go que eu sin­ta ur­gên­cia em fa­zer.”

A ur­gên­cia é ou­tra coi­sa quan­do se tem os 78 anos de Schlön­dorff (n. 1939). Uma das fi­gu­ras cen­trais da ge­ra­ção do No­vo Ci­ne­ma Ale­mão dos anos 1960 e 1970, con­tem­po­râ­neo de Wer­ner Her­zog ou Wim Wen­ders, com­pa­nhei­ro de vi­da e de car­rei­ra de Mar­ga­rethe von Trot­ta (com quem foi ca­sa­do 20 anos), au­tor de um dos fil­mes mais acla­ma­dos do ci­ne­ma ale­mão des­se pe­río­do, O Tam­bor (1979), Pal­ma de Ou­ro em Can­nes e Ós­car de me­lhor fil­me es­tran­gei­ro.

Ape­sar des­se pas­sa­do, há uma amar­gu­ra que in­ter­rom­pe as gar­ga­lha­das fran­cas de 30 mi­nu­tos de con­ver­sa por Sky­pe. Uma amar­gu­ra que vem da di­men­são pes­so­al do no­vo fil­me, Re­vi­ver o Pas­sa­do em Mon­tauk, e da re­cep­ção de­sas­tro­sa que o fil­me te­ve no Festival de Ber­lim, em Fe­ve­rei­ro pas­sa­do. Schlön­dorff evo­ca o mes­tre Billy Wil­der (1906-2002), o au­tor de Quan­to Mais Qu­en­te Me­lhor e O Apar­ta­men­to, com quem con­ver­sou lon­ga­men­te em 1988 pa­ra uma sé­rie te­le­vi­si­va

Au­tor de O Tam­bor ou A Hon­ra Per­di­da de Katha­ri­na Blum, um dos ve­te­ra­nos do no­vo ci­ne­ma ale­mão dos anos 1960 e 1970, as­si­na com Re­vi­ver o Pas­sa­do em Mon­tauk, es­ta se­ma­na nas sa­las, o seu fil­me mais pes­so­al, es­cri­to com Colm Tói­bín.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.