En­saio

Publico - Ipsilon - - Sumário -

Sub­ver­si­on of Iden­tity, tí­tu­lo ori­gi­nal do li­vro, con­quis­tou um lu­gar cen­tral nos gen­der stu­di­es, os es­tu­dos de gé­ne­ro. Fo­ra do âm­bi­to gra­ma­ti­cal, a no­ção de gé­ne­ro era uti­li­za­da des­de os anos 60, nos Es­ta­dos Uni­dos, em So­ci­o­lo­gia e em An­tro­po­lo­gia. Não foi, por­tan­to, Ju­dith Bu­tler que a in­ven­tou, mas foi ela que veio in­tro­du­zir pro­ble­mas, per­tur­bar a es­ta­bi­li­da­de des­sa ca­te­go­ria ana­lí­ti­ca, abrin­do as­sim o ca­mi­nho a no­vas pro­ble­má­ti­cas, no que diz res­pei­to à du­a­li­da­de se­xo- gé­ne­ro. Es­te li­vro tor­nou-se en­tão um dos textos fun­da­do­res da que­er the­ory, as­sim bap­ti­za­da por Te­re­sa de Lau­re­tis também no iní­cio dos anos 90. E fal­ta ain­da men­ci­o­nar um outro efei­to de Gen­der Trou­ble: Ju­dith Bu­tler usa os ins­tru­men­tos da des­con­tru­ção e da Fren­ch The­ory (que, co­mo sa­be­mos, é uma cons­tru­ção ame­ri­ca­na da fi­lo­so­fia fran­ce­sa pós- es­tru­tu­ra­lis­ta) pa­ra cri­ti­car o pen­sa­men­to fe­mi­nis­ta, tal co­mo ele ti­nha si­do ela­bo­ra­do des­de Si­mo­ne de Be­au­voir, e pro­por uma fi­lo­so­fia e uma po­lí­ti­ca fe­mi­nis­tas que sub­ver­tem a pró­pria ideia de iden­ti­da­de fe­mi­ni­na. A sua crí­ti­ca do fe­mi­nis­mo, sem­pre fei­ta a partir do in­te­ri­or de­le, não se con­fun­de de ne­nhum mo­do com aqui­lo a que se cha­mou pós-fe­mi­nis­mo.

O tí­tu­lo da tra­du­ção por­tu­gue­sa, Pro­ble­mas de Gé­ne­ro, não con­se­gue res­ti­tuir fi­el­men­te o sen­ti­do do tí­tu­lo ori­gi­nal. Não se tra­ta de

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.