Co­mo mos­trar uma co­lec­ção pri­va­da (ou du­as)

Publico - Ipsilon - - Sumário - Isa­bel Sa­le­ma

á to­dos abra­çá­mos a es­cul­tu­ra de Franz West”, con­ta Fi­li­pa Oli­vei­ra, di­rec­to­ra ar­tís­ti­ca do Fó­rum Eu­gé­nio de Al­mei­da, em Évo­ra. De fac­to, quem en­tra por es­tes di­as no cen­tro alen­te­ja­no de­di­ca­do à ar­te con­tem­po­râ­nea é qua­se ir­re­sis­ti­vel­men­te con­vi­da­do a abra­çar a fá­li­ca es­cul­tu­ra cor-de-ro­sa do ar­tis­ta aus­tría­co, uma das mui­tas obras de ar­te que com­põem a ex­po­si­ção Uma Fres­ta de Pos­si­bi­li­da­de, Du­as Co­lec­ções em Diá­lo­go, que dá a ver du­as im­por­tan­te co­lec­ções pri­va­das ibé­ri­cas.

In­ti­tu­la­da To­gether (2011), a es­cul­tu­ra de Franz West é com­pos­ta por du­as pe­ças. Além do fa­lo ro­sa, há um gran­de cír­cu­lo ver­de que con­vi­da a es­cor­re­gar­mos lá pa­ra den­tro, pro­van­do aqui­lo que Franz West de­fen­dia, su­bli­nha Fi­li­pa Oli­vei­ra, “que as es­cul­tu­ras de­vem es­ta­be­le­cer uma re­la­ção di­rec­ta com o pú­bli­co”. A ar­te é en­tão pa­ra ser to­ca­da, uma ex­pe­ri­ên­cia que nor­mal­men­te não po­de­mos ter nas ga­le­ri­as ou mu­seus. “Co­mo es­ta é a re­la­ção que os co­lec­ci­o­na­do­res têm com as obras de ar­te qui­se­mos que is­so pu­des­se ser trans­mi­ti­do lo­go à en­tra­da.”

A no­va ex­po­si­ção do fó­rum, inau­gu­ra­da na sex­ta-fei­ra pas­sa­da, mos­tra as co­lec­ções de Hel­ga de Al­ve­ar, a his­tó­ri­ca ga­le­ris­ta es­pa­nho­la, e de Luiz Au­gus­to Teixeira de Freitas, um ad­vo­ga­do bra­si­lei­ro há dé­ca­das a vi­ver em Por­tu­gal. Tem a par­ti­cu­la­ri­da­de de ter co­mo cu­ra­do­ra Lui­za Teixeira de Freitas, fi­lha do co­lec­ci­o­na­dor, que se jun­tou a Fi­li­pa Oli­vei­ra pa­ra pen­sar es­ta ex­po­si­ção. “Aqui sou mesmo fi­lha do meu pai. Eu que an­do há anos a ten­tar ser ou­tras coi­sas.”, iro­ni­za Lui­za Teixeira de Freitas, ac­tu­al­men­te tam­bém a tra­ba­lhar na cu­ra­do­ria da Bi­e­nal de Coimbra com Del­fim Sar­do.

De fac­to, em Évo­ra, além de cu­ra­do­ra, Lui­za Teixeira de Freitas, “que sem­pre tra­ba­lhou na co­lec­ção, mui­to pró­xi­ma do pai”, dá-nos igual­men­te a vi­são da co­lec­ção a par­tir de quem a faz. Al­gu­mas das obras fo­ram compradas a par­tir de su­ges­tões su­as, prin­ci­pal­men­te qu­an­do co­me­çou a tra­ba­lhar em Lon­dres, de­pois de es­tu­dar cu­ra­do­ria na Golds­miths, co­mo as de Har­ro­on Mir­za, Nel Aerts, Karl Holmq­vist ou Ly­net­te Yi­a­dom-Bo­akye.

“Nós te­mos mui­to or­gu­lho em ter co­me­ça­do a co­lec­ci­o­nar ar­tis­tas no iní­cio da car­rei­ra. Qu­an­do com­prá­mos es­ta pin­tu­ra de Ly­net­te Yi­a­domBo­akye, ela só ti­nha ti­do uma ex­po­si­ção em Lon­dres e ho­je es­tá co­mo ex­po­si­ções no New Mu­seum, na Ser­pen­ti­ne.”, afir­ma Lui­za Teixeira de Freitas, já no pri­mei­ro an­dar do fó­rum, apon­ta­do pa­ra a pin­tu­ra da

O Fó­rum Eu­gé­nio de Al­mei­da mos­tra du­as im­por­tan­tes co­lec­ções pri­va­das ibé­ri­cas. Em Évo­ra, es­tão 70 obras de Hel­ga de Al­ve­ar e de Luiz Au­gus­to Teixeira de Freitas. Se­rá tam­bém a úl­ti­ma ex­po­si­ção aqui de Fi­li­pa Oli­vei­ra, a ac­tu­al di­rec­to­ra ar­tís­ti­ca do cen­tro de ar­te con­tem­po­râ­nea.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.