O Agos­to em Bra­ga: Bon­ga, Seun Ku­ti, sons la­ti­nos e ára­bes

Publico - Ipsilon - - Sumário -

En­quan­to boa par­te do país vai a ba­nhos, o The­a­tro Cir­co, em Bra­ga, mon­ta a sua Má­qui­na de Gelados, ci­clo de­di­ca­do às mú­si­cas de to­do o pla­ne­ta, co­mo for­ma de ten­tar fa­zer es­que­cer o ca­lor e não dei­xar es­mo­re­cer a agen­da de con­cer­tos em Agos­to. Es­te ano, se­rão seis os esp es­pec­tá­cu­los, di­vi­di­dos por qu qua­tro da­tas en­tre 3 e 24 de Ag Agos­to (sem­pre à sex­ta-fei­ra), com do dois no­mes cu­jo im­pac­to e a rei rein­ci­dên­cia em pal­cos na­ci­o­nais jus jus­ti­fi­ca se­rem as úni­cas es­tre­las da noi­te (Bon­ga e Seun Ku­ti), en en­quan­to os ou­tros qua­tro pro pro­me­tem ser sur­pre­sas rev re­ve­la­das ao país a par­tir da sa­la bra bra­ca­ren­se (Nathy Pe­lu­so, Bad Gy Gyal, Ahmed Fa­kroun e Al­tin Gu Gun).

O ar­ran­que, a a 3 de Agos­to, fi­ca po por con­ta de du­as mu­lhe­res cu­jo lin lin­gua­jar afi­a­do e en­tre­gue em acu acu­ti­lan­tes ver­sos dis­pa­ra­dos em cas cas­te­lha­no é o ób­vio pon­to de con con­tac­to. Bad Gyal é o nome por qu que res­pon­de a ca­ta­lã Al­ba

Far Fa­re­lo, ra­pa­ri­ga de Bar­ce­lo­na que op op­tou por se de­di­car ao dan­cehall es e se tor­nou um ca­so sé­rio de suc su­ces­so no Ve­rão de 2016 ao ver dis dis­se­mi­nar-se de for­ma im­pa­rá­vel os o seu ví­deo de Pai. Pai é, na ver ver­da­de, a sua in­ter­pre­ta­ção de Wo Work, te­ma do re­por­tó­rio de

Rih Rihan­na, a que Bad Gyal apli­ca o seu in­se­pa­rá­vel au­to­tu­ne, o seu se­lo de tra­ta­men­to mu­si­cal ja­mai­ca­no e a sua par­ti­cu­lar ape­tên­cia pa­ra dis­cur­sos que se cru­zem com se­xo e dro­gas. As vi­su­a­li­za­ções dos seus ví­de­os con­tam-se aos mi­lhões e pas­sou es­te ano pe­lo Pri­ma­ve­ra Sound, cha­ma­da ao pal­co da Pit­ch­fork, pu­bli­ca­ção que caiu de amo­res pe­la ca­ta­lã.

A me­di­da de su­ces­so de Nathy Pe­lu­so, que par­ti­lha o pal­co com Bad Gyal, não é mui­to di­fe­ren­te. Ou­tra ex­plo­são de po­pu­la­ri­da­de a par­tir do You­Tu­be, a ar­gen­ti­na ba­se­a­da em Ma­drid tem fa­ma de vi­rar os pal­cos do aves­so e já an­dou pe­lo Lo­la­pa­lo­o­za e pe­lo Eu­ro­so­nic. É mo­ça pa­ra car­re­gar nos seus te­mas hip-hop, jazz e mú­si­ca de acen­tu­a­da raiz la­ti­no­a­me­ri­ca­na (es­pe­ci­al­men­te cu­ba­na).

A ou­tra ses­são du­pla da Má­qui­na de Gelados, a 17 de Agos­to, se­rá pro­ta­go­ni­za­da por Ahmed Fa­kroun e Al­tin Gün — es­pe­rem­se, por­tan­to, so­no­ri­da­des com li­nhas ara­bes­cas. Fa­kroun é um can­tor lí­bio que foi uma das fa­ces mais vi­sí­veis da­que­le raï (mú­si­ca po­pu­lar ar­ge­li­na que, nos úl­ti­mos anos, ao tor­nar-se mais eléc­tri­ca te­ve co­mo ex­po­en­tes má­xi­mos Cheb Kha­led, Cheb Ma­mi ou até Ra­chid Taha) com as­su­mi­da que­da pa­ra a mais des­ca­ra­da mú­si­ca pop — em par­ti­cu­lar a eu­ro­pop, que não deu des­can­so nos anos 80. De­pois de uma lon­ga au­sên­cia dos pal­cos, vol­tou em 2017 pa­ra se apre­sen­tar no Le Gu­ess Who? Tam­bém pe­lo Le Gu­ess Who? pas­sa­ram os Al­tin Gün, ban­da ho­lan­de­sa em de­ses­pe­ra­da pro­cu­ra de um pas­sa­por­te tur­co. Ou se­ja, o bai­xis­ta Jas­per Verhults des­co­briu o psi­ca­de­lis­mo da fac­ção da Ana­tó­lia, quis tê-lo na sua vi­da e en­con­trou no Fa­ce­bo­ok vo­zes tur­cas que em­pres­ta­ram uma mai­or cre­di­bi­li­da­de ao seu pro­jec­to.

A 10 de Agos­to, se­rá a vez de nos vol­tar­mos a de­li­ci­ar com Bon­ga. Uma das mai­o­res fi­gu­ras da mú­si­ca an­go­la­na, o can­tor con­ti­nua, aos 75 anos, a es­pa­lhar ma­gia com a sua in­ter­pre­ta­ção pes­so­al do sem­ba e a in­ter­pre­tar da me­lhor for­ma pos­sí­vel o pal­co co­mo um lu­gar de se­du­ção. Tam­bém sem ne­ces­si­da­de de apre­sen­ta­ções alar­ga­das, Seun Ku­ti, que en­cer­ra a Má­qui­na de Gelados a 24 de Agos­to, é o fi­lho mais no­vo do len­dá­rio cri­a­dor do afro­be­at Fe­la Ku­ti. Seun era ain­da criança qu­an­do co­me­çou a to­car com a ban­da Egypt 70, e com a morte de Fe­la eman­ci­pou-se e pas­sou pa­ra o co­man­do des­sa for­ma­ção que era o fron­do­so apoio mu­si­cal da lin­gua­gem do seu pai. Traz con­si­go um no­vo ál­bum, Black Ti­mes. Gon­ça­lo Fro­ta

Bad Gyal é o nome por que res­pon­de a ca­ta­lã Al­ba Fa­re­lo, ra­pa­ri­ga de Bar­ce­lo­na que op­tou por se de­di­car ao dan­cehall

Bon­ga con­ti­nua a es­pa­lhar ma­gia com a sua in­ter­pre­ta­ção pes­so­al do sem­ba

Mic­ka­el Cor­reia é au­tor de uma His­toi­re Po­pu­lai­re du Fo­ot­ball que es­tá a re­no­var o olhar so­bre a mo­da­li­da­de. Trans­for­ma­do em in­dús­tria do di­ver­ti­men­to, gui­a­do por va­lo­res mer­can­tis e in­va­di­do pe­la cor­rup­ção, foi ins­tru­men­to das lu­tas dos tra­ba­lha­do­res,...

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.