Co­mo um th­ril­ler in­te­lec­tu­al

Publico - Ipsilon - - Sumário -

Di­fi­cil­men­te se en­con­tra­rá reu­ni­da, num só li­vro, uma quan­ti­da­de tão dís­par de ques­tões, ex­pos­tas num es­ti­lo que, ape­sar de can­sa­ti­vo nas su­as bla­gues e no seu kits­ch, tor­na a lei­tu­ra fá­cil, co­mo um th­ril­ler in­te­lec­tu­al.

Por An­tó­nio Araújo

21 Li­ções pa­ra o Sé­cu­lo XXI Yu­val No­ah Har­ri

El­si­no­re O his­to­ri­a­dor is­ra­e­li­ta Yu­val No­ah Ha­ra­ri (n. 1976) tem tu­do pa­ra des­con­fi­ar­mos de­le: au­tor pro­lí­fi­co de best­sel­lers mundiais acla­ma­dos pe­los po­de­ro­sos — Bill Ga­tes, Ba­rack Oba­ma, Mark Zuc­ker­berg —, es­cre­ve nu­ma lin­gua­gem des­ca­ra­da­men­te se­du­to­ra, pre­nhe de sound bi­tes e fra­ses de be­lo efei­to, nem sem­pre do me­lhor gos­to. “Os al­go­rit­mos es­tão a ob­ser­vá-lo nes­te pre­ci­so mo­men­to”, por exem­plo, não pas­sa de um pin­dé­ri­co pas­ti­che do Big Brother is wat­ching you, a que se po­de­ri­am jun­tar ti­ra­das co­mo “As co­mé­di­as ro­mân­ti­cas es­tão pa­ra o amor co­mo a por­no­gra­fia es­tá pa­ra o se­xo e Ram­bo pa­ra a guerra”, “A Big Da­ta es­tá de olho em ti”, “A mu­dan­ça é a úni­ca cons­tan­te”, “Qu­em de­ti­ver a in­for­ma­ção de­tém o fu­tu­ro”, “Pro­ble­mas glo­bais pre­ci­sam de so­lu­ções glo­bais”, “A Ter­ra co­mo na­ve es­pa­ci­al” ou “Al­gu­res entre 1599 e 1602, Wil­li­am Sha­kes­pe­a­re es­cre­veu a sua ver­são de O Rei Leão, mais co­nhe­ci­da por Ham­let”, e por aí fo­ra.

Pa­ra pi­o­rar as coi­sas, tem opi­niões so­bre tu­do, do aque­ci­men­to glo­bal à na­tu­re­za da re­li­gião, dos avan­ços da bi­o­tec­no­lo­gia às tec­no­lo­gi­as da in­for­ma­ção ou ao ter­ro­ris­mo trans­na­ci­o­nal.

For­mu­la gran­des sín­te­ses, que os es­pe­ci­a­lis­tas con­si­de­ram su­per­fi­ci­ais e ei­va­das de lu­ga­res­co­muns, e não es­con­de que se sen­te im­buí­do da in­cum­bên­cia qua­se pro­fé­ti­ca de des­ven­dar ur­bi et or­bi co­mo se­rá o fu­tu­ro da hu­ma­ni­da­de. Não por aca­so, lo­go na pri­mei­ra pá­gi­na de 21 Li­ções pa­ra o Sé­cu­lo XXI fa­la na sua “mis­são” e diz que ela con­sis­te em “ofe­re­cer cla­re­za às mas­sas” pa­ra que es­tas “par­ti­ci­pem no de­ba­te so­bre o fu­tu­ro da nos­sa es­pé­cie”, ven­do Ha­ra­ri os seus li­vros co­mo um con­tri­bu­to pa­ra “pôr o mun­do em pé de igual­da­de”. Nes­te par­ti­cu­lar, não se an­da lon­ge dos vi­si­o­ná­ri­os de um pas­sa­do re­cen­te, co­mo Her­man Kahn ou

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.