Tin­to­ret­to faz anos e Ve­ne­za vol­ta a ce­le­brá-lo

Publico - Ipsilon - - Sumário -

A di­men­são da ta­re­fa não ad­mi­ti­ria pro­jec­to me­nos am­bi­ci­o­so. Ce­le­brar os 500 anos do nas­ci­men­to de Tin­to­ret­to, um dos gran­des pin­to­res de Ve­ne­za, exi­giu um pro­jec­to de in­ves­ti­ga­ção que nos úl­ti­mos três anos reu­niu al­guns dos mai­o­res es­pe­ci­a­lis­tas in­ter­na­ci­o­nais na sua obra e que vai re­sul­tar em três ex­po­si­ções e vá­ri­as pu­bli­ca­ções. No dia 7 de Se­tem­bro, no Pa­lá­cio Du­cal na ci­da­de on­de nasceu, é inau­gu­ra­da a re­tros­pec­ti­va Tin­to­ret­to: 1519-1594, ex­po­si­ção que até 6 de Ja­nei­ro do pró­xi­mo ano reú­ne 70 pin­tu­ras e uma ra­ra co­lec­ção de de­se­nhos es­co­lhi­dos pa­ra me­lhor de­ta­lhar a evo­lu­ção do tra­ba­lho des­te mes­tre do Re­nas­ci­men­to ita­li­a­no a quem é mui­tas ve­zes as­so­ci­a­do o ad­jec­ti­vo “ar­ro­ja­do” de­vi­do ao uso que faz da pers­pec­ti­va e à car­ga dra­má­ti­ca das fi­gu­ras que re­pre­sen­ta nas su­as pin­tu­ras, na sua mai­o­ria nar­ra­ti­vas e de gran­de es­ca­la.

Pe­las sa­las do pa­ço es­tão dis­tri­buí­das obras oriun­das de al­gu­mas das me­lho­res co­lec­ções de pin­tu­ra do mun­do, com des­ta­que pa­ra Su­sa­na e os Ve­lhos (Kunsthis­to­ris­ches, Vi­e­na), que mui­tos con­si­de­ram a mais eró­ti­ca das obras de Tin­to­ret­to, Re­tra­to de Gi­o­van­ni Mo­ce­ni­go (Sta­a­tli­che, Ber­lim) e os cin­co em­prés­ti­mos do Mu­seu do Pra­do, en­tre eles Jo­sé e a Mu­lher de Po­ti­far, Ju­di­te e Ho­lo­fer­nes e O Rap­to de He­le­na.

A es­ta ex­po­si­ção mo­no­grá­fi­ca cen­tra­da nos anos de ma­tu­ri­da­de des­te pin­tor for­te­men­te in­flu­en­ci­a­do por Ti­ci­a­no que tra­ba­lhou em di­ver­sas en­co­men­das pa­ra o Pa­lá­cio do Do­ge jun­ta-se ou­tra, na Ga­le­ria da Aca­de­mia, que te­rá por fo­co a sua ju­ven­tu­de - a sua for­ma­ção e os dez pri­mei­ros anos (as su­as pri­mei­ras obras são de c. de 1540) -, em que te­ve um su­ces­so bas­tan­te as­si­na­lá­vel. Em si­mul­tâ­neo, es­tá em cur­so um pro­gra­ma de res­tau­ro que pre­vê in­ter­ven­ções em di­ver­sas obras do pin­tor es­pa­lha­das pe­las igre­jas e pa­lá­ci­os da ci­da­de.

Um dos gran­des no­mes da pin­tu­ra eu­ro­peia do sé­cu­lo XVI, Ja­co­po Ro­bus­ti, co­nhe­ci­do co­mo Tin­to­ret­to, no­me que re­ce­beu de­vi­do ao fac­to de o seu pai ser tin­tu­rei­ro ( tin­to­re, em ita­li­a­no), vi­veu e tra­ba­lhou qua­se to­da a sua vi­da em Ve­ne­za (a úni­ca vi­a­gem que se lhe co­nhe­ce é fei­ta a Mân­tua). Di­zem mui­tos dos que o es­tu­dam que na sua ar­te é vi­sí­vel a in­ten­ção de jun­tar ao uso da cor de Ti­ci­a­no as for­mas di­nâ­mi­cas, vi­vas, de Mi­guel Ân­ge­lo. O pro­jec­to de in­ves­ti­ga­ção foi lan­ça­do em 2015 pela fun­da­ção que reú­ne os mu­seus de Ve­ne­za que es­tão sob ad­mi­nis­tra­ção da ci­da­de e a Na­ti­o­nal Gal­lery de Washing­ton, se­gun­do des­ti­no da mos­tra ( Tin­to­ret­to: Ar­tist of Re­nais­san­ce Ve­ni­ce, 10 de Mar­ço a 7 de Ju­lho de 2019). Os dois co­mis­sá­ri­os da ex­po­si­ção do pa­ço du­cal, Ro­bert Echols e Fre­de­rick Il­ch­man, os mes­mos que fo­ram res­pon­sá­veis pela que o Pra­do de­di­cou ao pin­tor (2007), ain­da ho­je uma re­fe­rên­cia pa­ra quem es­tu­da Tin­to­ret­to, fa­zem par­te do pro­jec­to.

Diz a Na­ti­o­nal Gal­lery de Washing­ton na apre­sen­ta­ção que faz da ex­po­si­ção, a pri­mei­ra do ar­tis­ta nos Es­ta­dos Uni­dos, que o tra­ba­lho des­ta du­pla de co­mis­sá­ri­os tem, nos úl­ti­mos anos, aju­da­do a dis­tin­guir o que é seu do que é dos seus dis­cí­pu­los, lan­çan­do uma no­va luz so­bre a pro­du­ção de Tin­to­ret­to, que for­ma com Ti­ci­a­no e Ve­ro­ne­se o gru­po dos “três gran­des” da pin­tu­ra ve­ne­zi­a­na do sé­cu­lo XVI.

A apre­sen­ta­ção do fil­me em Can­nes

Au­to-re­tra­to de 1588, ho­je no Lou­vre, e Su­sa­na e os Ve­lhos (1555-56)

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.