O Mu­ro de Ber­lim vai vol­tar du­ran­te um mês

Publico - Ipsilon - - Sumário -

Du­ran­te um mês, de 12 de Ou­tu­bro a 9 de No­vem­bro, po­de­mos re­gres­sar à Ber­lim da RDA (Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca Ale­mã) ou da Ale­ma­nha so­vié­ti­ca, que du­rou de 1949 a 1990. Se fo­rem le­van­ta­dos os úl­ti­mos en­tra­ves ao projecto Dau: Li­ber­da­de, do re­a­li­za­dor rus­so

Ilya Khrzha­novsky, in­cluí­do no fes­ti­val Ber­li­ner Fests­pi­e­le, vai ser pos­sí­vel re­cons­truir o Mu­ro de Ber­lim, der­ru­ba­do faz es­te ano 29 anos, na zo­na mais cen­tral da cidade ale­mã, a fa­mo­sa ave­ni­da Un­ter den Lin­den. Os or­ga­ni­za­do­res que­rem er­guer

900 pla­cas de be­tão, se­gun­do a re­vis­ta Fri­e­ze, pa­ra cri­ar um am­bi­en­te que tem si­do des­cri­to co­mo “uma câ­ma­ra de eco his­tó­ri­ca”, “um es­pa­ço ex­pe­ri­en­ci­al especial”, “uma vi­a­gem a um país es­tran­gei­ro” ou “uma cidade den­tro de uma cidade”.

Os vi­si­tan­tes des­ta ins­ta­la­ção têm que en­trar mu­ni­dos de um “vis­to” e to­da a ideia pas­sa por re­cri­ar a ex­pe­ri­ên­cia do Mu­ro de Ber­lim num es­pa­ço con­fi­na­do, que vi­rá abai­xo, sim­bo­li­ca­men­te, a 9 de No­vem­bro, mar­can­do o ani­ver­sá­rio da qu­e­da em 1989. A Fri­e­ze diz que es­tá pre­vis­to que par­ti­ci­pem no­mes co­mo Ma­ri­na Abra­mo­vic, nu­ma das su­as per­for­man­ces de lon­ga du­ra­ção, o stre­et ar­tist Banksy ou ain­da a ban­da Mas­si­ve At­tack. Se­gun­do o Ber­li­ner Fests­pi­e­le, ci­ta­do pe­lo The Art News­pap­per, os vi­si­tan­tes vão tro­car os seus te­le­mó­veis por um dis­po­si­ti­vo ca­paz de cons­truir “um per­cur­so fei­to à me­di­da” nes­te am­bi­en­te fe­cha­do que es­ta­rá aber­to 24 ho­ras por dia. Se­gun­do o si­te da DW, o la­do mais mis­te­ri­o­so do projecto é que ser­vi­rá de lo­cal pa­ra exi­bir o já len­dá­rio fil­me fei­to pe­lo re­a­li­za­dor Ilya Khrzha­novsky, que há dez anos re­cri­ou em Car­có­via uma so­ci­e­da­de es­ta­li­nis­ta, com os par­ti­ci­pan­tes a in­ter­rom­pe­rem a sua pró­pria vida pa­ra pas­sa­rem dois anos a vi­ver nu­ma cidade fal­sa de do­ze mil metros quadrados, se­guin­do as re­gras to­ta­li­tá­ri­as de um re­gi­me so­vié­ti­co. Com 700 ho­ras de fil­ma­gens, a DW diz que te­rão si­do fei­tos 13 fil­mes e vá­ri­as sé­ri­es. Pre­vê-se que es­ta se­ja a pri­mei­ra exi­bi­ção pú­bli­ca do fil­me.

O cus­to de Dau, que an­da à vol­ta da vida do fí­si­co Lev Lan­dau, um Pré­mio No­bel, es­tá es­ti­ma­do em 6,6 mi­lhões de eu­ros. Um dos seus me­ce­nas é Ser­gey Ado­ni­ev, um homem de ne­gó­ci­os pró­xi­mo do cír­cu­lo de Pu­tin, o que só acres­cen­ta mais uma ca­ma­da de po­lé­mi­ca à ini­ci­a­ti­va.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.