Pron­to pa­ra ser co-pi­lot Ka­pus­cins­ki em Ang

Publico - Ipsilon - - Primeira Página -

Pa­ra sim­pli­fi­car, quan­do che­ga à fren­te sul da guer­ra de An­go­la, o jor­na­lis­ta Rys­zard Ka­pus­cins­ki apre­sen­ta-se co­mo “Ri­car­do”. Num lu­gar on­de o mais pro­vá­vel é es­ta­rem to­dos mortos no dia se­guin­te, é inú­til per­der tem­po com um es­tra­nho no­me po­la­co.

Fal­ta um mês pa­ra An­go­la de­cla­rar a in­de­pen­dên­cia e o país es­tá em guer­ra ci­vil. EUA, URSS, Áfri­ca do Sul e Cu­ba ar­mam e apoi­am as três fac­ções an­go­la­nas que lu­tam pe­lo po­der.

Em Lu­an­da, o mí­ti­co re­pór­ter de guer­ra ou­ve fa­lar de Far­rus­co, um ex­co­man­do por­tu­guês que se jun­tou ao Mo­vi­men­to Po­pu­lar de Li­ber­ta­ção de An­go­la (MPLA) e de­fen­de a úl­ti­ma li­nha da fren­te, às por­tas da Na­mí­bia, sem ho­mens, sem tan­ques, sem car­ros blin­da­dos e sem mu­ni­ções. “Ri­car­do” de­ci­de ir ao seu en­con­tro. É cor­res­pon­den­te da PAP, a agên­cia de no­tí­ci­as da Po­ló­nia, e acre­di­ta que as no­tí­ci­as im­por­tan­tes es­tão ali. São 1200 km de es­tra­da. Quan­do par­te, to­dos se des­pe­dem con­ven­ci­dos de que não re­gres­sa­rá vi­vo.

Mal che­ga a Pe­rei­ra d’Eça, ho­je Ond­ji­va, a 40 km da Na­mí­bia — na al­tu­ra ain­da sob ad­mi­nis­tra­ção su­la­fri­ca­na —, Ka­pus­cins­ki an­te­ci­pa o co­lap­so. A uni­da­de de Far­rus­co “es­tá con­de­na­da ao ani­qui­la­men­to”, es­cre­ve em Mais Um Dia de Vi­da, An­go­la 1975 (re­e­di­ta­do pe­la Tinta-daChi­na em 2013), o li­vro on­de re­la­ta a sua vi­a­gem a An­go­la pou­co an­tes da in­de­pen­dên­cia. “Não há sal­va­ção pos­sí­vel.” Far­rus­co tem 120 ho­mens pa­ra defender uma fren­te que vai de Lu­ban­go à fron­tei­ra com a Na­mí­bia (450 km) e do Atlân­ti­co à Zâm­bia (1200). Ho­je sa­be­mos que es­ta­va cer­to: a Ope­ra­ção Sa­va­na, uma in­va­são se­cre­ta de três mil tro­pas sul-afri­ca­nas, co­me­ça­ra ho­ras an­tes e, em pou­cas se­ma­nas, o sul de An­go­la es­ta­va nas mãos da UNITA.

“Sa­bía­mos que os sul-afri­ca­nos já es­ta­vam a se­te, dez qui­ló­me­tros de nós. Eu dis­se is­so ao Ri­car­do. Por is­so,

Guer­ra Fria, cu­ba­nos, sul-afri­ca­nos, fim do co­lo­ni­a­lis­mo, Kis­sin­ger, CIA, Fi­del, Agos­ti­nho Ne­to... Mais fi­gu­ras icó­ni­cas an­go­la­nas co­mo Far­rus­co e a guer­ri­lhei­ra Car­lo­ta. E o pró­prio Ka­pus­cins­ki, que ar­ris­cou a vi­da pa­ra con­tar es­ta his­tó­ria. O fil­me com­bi­na a ani­ma­ção com en­tre­vis­tas aos ami­gos angolanos de Ka­pus­cins­ki e ima­gens re­ais de An­go­la ho­je e em 1975, e al­gu­mas fo­tos que o pró­prio Ka­pus­cins­ki ti­rou

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.