“Ini­ci­a­ti­va com as­tú­cia e anu­lar as tran­si­ções”

Record (Portugal) - - LIGA - JO­SÉ MÁRIO

Téc­ni­co quer que a equi­pa se­ja ca­paz de se alhe­ar do am­bi­en­te do dérbi pa­ra re­ve­lar mai­or efi­cá­cia

O trei­na­dor Abel Fer­rei­ra re­co­nhe­ce o me­di­a­tis­mo que a re­ce­ção ao V. Gui­ma­rães re­pre­sen­ta pa­ra o uni­ver­so dos dois clu­bes e adi­an­ta que a re­cei­ta pa­ra con­tor­nar a va­riá­vel da emo­ção, e fi­car mais per­to do triun­fo, pas­sa pe­lo ri­gor es­tra­té­gi­co. Ape­lo a uma mis­são de equi­lí­brio à ima­gem do de­sem­pe­nho que con­du­ziu ao su­ces­so his­tó­ri­co na Ale­ma­nha e que o téc­ni­co bra­ca­ren­se ga­ran­te exigir muita in­te­li­gên­cia pa­ra sus­ten­tar a ini­ci­a­ti­va de jogo que o Sp. Bra­ga vai as­su­mir. “Te­mos vá­ri­os li­vros na pra­te­lei­ra que va­mos abrin­do con­for­me a pro­va que dis­pu­ta­mos, em­bo­ra es­te se­ja um jogo di­fe­ren­te. Foi es­sa a men­sa­gem que pro­cu­rei pas­sar ao bal­neá­rio por­que te­mos muita von­ta­de de ven­cer o dérbi, mas tam­bém há mui­tos fatores que não controlamos, como a pres­são do mo­men­to e a ri­va­li­da­de, pe­lo que te­mos de as­su­mir a ini­ci­a­ti­va com as­tú­cia e tam­bém ter a ca­pa­ci­da­de de anu­lar os pon­tos for­tes do Vitória”, de­fen­deu Abel Fer­rei­ra, jus­ti­fi­can­do-se: “Va­mos de­fron­tar um ad­ver­sá­rio com um fu­te­bol mui­to ver­ti­cal des­de o mo­men­to em que re­cu­pe­ra a bo­la e que é for­te nas tran­si­ções. Acho que o se­gre­do pas­sa­rá mui­to pe­la ca­pa­ci­da­de de nos alhe­ar­mos de tu­do o que não po­de­mos con­tro­lar e con­cen­trar­mos to­da a nos­sa energia fí­si­ca e men­tal nas tarefas co­le­ti­vas e in­di­vi­du­ais pa­ra con­se­guir­mos ser eficazes.”

Res­pei­to

À par­te de to­das as ou­tras ques­tões que o jogo en­cer­ra, como o pla­no es­tra­té­gi­co a pres­são ad­ja­cen­te ao con­tex­to des­por­ti­vo de ca­da equi­pa, Abel Fer­rei­ra sa­li­en­tou que “a ma­nei­ra do Sp. Bra­ga

“É UM JOGO DI­FE­REN­TE COM MUI­TOS FATORES QUE NÃO CONTROLAMOS”

“SE­GRE­DO ES­TA­RÁ NA CA­PA­CI­DA­DE DE CONCENTRAR TO­DA A ENERGIA NAS TAREFAS ESTRATÉGICAS PA­RA SERMOS EFICAZES”

en­ca­rar o de­sa­fio é sem­pre a mes­ma”. “Aque­las si­tu­a­ções emo­ti­vas são mais pa­ra o co­mum dos adeptos por­que cá den­tro sa­be­mos o que te­mos de fa­zer. Es­pe­ro é que se­ja um gran­de es­pe­tá­cu­lo, que ca­da clu­be se res­pei­te, res­pei­te o es­pe­tá­cu­lo e que no final o ven­ce­dor se­ja o Sp. Bra­ga”, con­cluiu o téc­ni­co. *

ESTUDO. Abel dis­se­cou o Vitória e es­tá pron­to pa­ra o du­e­lo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.