“Con­tro­lo emo­ci­o­nal pa­ra ga­nhar”

Record (Portugal) - - LIGA - BRUNO FREITAS E PEDRO MALACÓ

Res­pon­sá­vel vi­to­ri­a­no co­lo­ca o foco em “re­a­li­zar um bom jogo” e fi­car “mais per­to de ven­cer”

O téc­ni­co Pedro Martins acre­di­ta que é pos­sí­vel re­pe­tir o triun­fo da épo­ca pas­sa­da e afas­tou por com­ple­to a ideia de quebra fí­si­ca que fi­cou a pai­rar em Gui­ma­rães de­pois das li­mi­ta­ções que o Vitória pa­ten­te­ou no ar­ran­que da Li­ga Eu­ro­pa. Vo­to de con­fi­an­ça, con­tu­do, que o res­pon­sá­vel re­co­nhe­ceu es­tar mui­to de­pen­den­te da com­po­nen­te emo­ci­o­nal do seu co­le­ti­vo, até por­que en­ten­de a ri­va­li­da­de his­tó­ri­ca como um da­do sa­lu­tar e as­su­me a in­fluên­cia de to­da a en­vol­vên­cia me­diá­ti­ca que a par­ti­da ge­ra.

“ES­TA­MOS A CRES­CER, A QUERER VOL­TAR AO NOS­SO NOR­MAL E CONFIANTES EM TRAZER OS TRÊS PON­TOS” “VOU ANALISAR TODOS OS POR­ME­NO­RES E QUEM FOR PA­RA O JOGO ES­TA­RÁ NA MÁ­XI­MA FOR­ÇA”

“Es­ta­mos a cres­cer, a querer vol­tar ao nos­so ní­vel e os ín­di­ces fí­si­cos de vá­ri­os jo­ga­do­res tam­bém es­tão a me­lho­rar, pe­lo que es­ta­mos confiantes em trazer os três pon­tos, mas nes­te ti­po de jo­gos é mui­to importante ter sem­pre um gran­de con­tro­lo emo­ci­o­nal pa­ra que a equi­pa es­te­ja con­cen­tra­da em todos os mo­men­tos do jogo”, re­su­miu Pedro Martins, ga­ran­tin­do um on­ze ini­ci­al pre­pa­ra­do pa­ra to­das as ad­ver­si­da­des: “Vou analisar todos os por­me­no­res e quem for pa­ra es­te en­con­tro não só es­ta­rá pre­pa­ra­do pa­ra o que vai en­con­trar, como es­ta­rá na má­xi­ma for­ça e da­rá ga­ran­ti­as de lu­tar pe­lo triun­fo.”

Pedro Martins não se can­sou de co­lo­car o triun­fo como um ob­je­ti­vo pal­pá­vel, mas re­cu­sou tra­çar um pa­ra­le­lo com o su­ces­so no de­sa­fio da épo­ca pas­sa­da. Triun­fo por 2-1 que o Vitória de­fi­niu de­pois de uma en­tra­da ful­gu­ran­te, prin­ci­pal­men­te gra­ças ao con­for­to que a equi­pa ad­qui­riu por for­ça dos go­los ma­dru­ga­do­res de Ma­re­ga e Jo­sué, apon­ta­dos ain­da du­ran­te o pri­mei­ro qu­ar­to de ho­ra do en­con­tro.

“Os jo­gos são sem­pre diferentes e as his­tó­ri­as dos dér­bis tam­bém fo­ram sem­pre dis­tin­tas ao lon­go dos anos”, co­men­tou o lí­der téc­ni­co dos vi­ma­ra­nen­ses, re­cu­san­do-se a le­van­tar o véu sobre as ques­tões tá­ti­cas que pre­ten­de ver apli­ca­das nes­te ace­so dérbi da Pe­drei­ra: “Não vou fa­lar sobre a for­ma como va­mos abor­dar es­ta par­ti­da, mas ga­ran­to que es­ta­mos pre­pa­ra­dos pa­ra o que te­mos de fa­zer e, se con­se­guir­mos re­a­li­zar um bom jogo, es­ta­re­mos mais per­to de ven­cer.” *

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.