EXPLOSIVO

CA­DEI­RAS PE­LO AR, AGRESSÕES E PETARDOS NA AS­SEM­BLEIA GE­RAL

Record (Portugal) - - PRIMEIRA PÁGINA - FI­LI­PE PE­DRAS E PE­DRO PON­TE

VI­EI­RA CONTESTADO

RUI COS­TA ‘CON­VI­DA­DO’ A CAN­DI­DA­TAR-SE

CON­TAS APRO­VA­DAS COM 61,3% DOS VOTOS

COR­PO DE IN­TER­VEN­ÇÃO DA PSP FOI CHA­MA­DO

Os res­pon­sá­veis en­car­na­dos já es­pe­ra­vam uma for­te ade­são dos só­ci­os à as­sem­bleia ge­ral (AG) or­di­ná­ria de ontem à noi­te, mas os âni­mos exal­ta­ram-se ao pon­to de te­rem exis­ti­do insultos e até agressões a res­pon­sá­veis do clu­be. O vi­ce­pre­si­den­te da me­sa da AG, Vir­gí­lio Du­que Vi­ei­ra, e o seu pri­mei­ro se­cre­tá­rio, Jorge Ar­rais, so­fre­ram na pe­le a con­tes­ta­ção dos só­ci­os e o ce­ná­rio só veio a acal­mar co­ma pos­te­ri­or cha­ma­da do cor­po de in­ter­ven­ção da PSP, já depois do re­for­ço do dis­po­si­ti­vo po­li­ci­al.

Uma vez que Luís Na­za­ré pe­diu es­cu­sa – es­tá em cam­pa­nha elei­to­ral na cor­ri­da pe­la me­sa da as­sem­bleia de freguesia de Al­va­la­de –, Du­que Vi­ei­ra foi o res­pon­sá­vel má­xi­mo pe­la con­du­ção do ato. E quan­do um­só­cio lhe di­ri­gia crí­ti­cas, o di­ri­gen­te in­ter­rom­peu-o: “Ain­da não per­ce­be­ram que sou eu quem man­da aqui.” As pa­la­vras ti­ve­ram efei­to ime­di­a­to e vá­ri­as de­ze­nas de adep­tos pre­ci­pi­ta­ram-se pa­ra a me­sa, ten­do Du­que Vi­ei­ra si­do agre­di­do com uma cha­pa­da. O ambiente in­cen­di­ou-se e uma das vá­ri­as ca­dei­ras que já an­da­vam pe­lo ar acer­tou em Jorge Ar­rais, 1º se­cre­tá­rio da me­sa da AG. O di­ri­gen­te vol­tou aos tra­ba­lhos, mas já com ge­lo na fa­ce. Re­fi­ra-se que, du­ran­te es­ta fa­se de mai­or tu­mul­to, até petardos fo­ram de­fla­gra­dos no pa­vi­lhão. Com­pli­ca­do foi tam­bém o cli­ma pa­ra Du­que Vi­ei­ra, que a ca­da pos­te­ri­or in­ter­ven­ção via os só­ci­os pe­di­rem a sua de­mis­são.

Luís Fi­li­pe Vi­ei­ra contestado

Ou­tra das tó­ni­cas do­mi­nan­tes na AG de ontem pas­sou pe­lo fac­to de as in­ter­ven­ções com crí­ti­cas pa­ra com o pla­ne­a­men­to da épo­ca de Luís Fi- li­pe Vi­ei­ra te­rem si­do sem­pre mui­to aplau­di­dos, en­quan­to os dis­cur­sos elo­gi­o­sos fo­ram mai­o­ri­ta­ri­a­men­te as­so­bi­a­dos pe­los cer­ca de 1400 só­ci­os pre­sen­tes – es­ta foi, aliás, a mais con­cor­ri­da AG des­de que Vi­ei­ra as­su­miu a pre­si­dên­cia do clu­be, em 2003. “Ben­fi­ca é nos­so” fo­ram pa­la­vras de or­dem mui­to re­pe­ti­das e o res­pon­sá­vel má­xi­mo das águi­as foi até con­fron­ta­do ca­ra-a-ca­ra por um só­cio, ten­do um ou­tro in­sul­ta­do a Me­sa an­tes de pro­ce­der à sua in­ter­ven­ção.

O ‘vi­ce’ Nu­no Gai­o­so tam­bém foi in­sul­ta­do na ho­ra em que ape­lou à cal­ma an­tes da vo­ta­ção, di­zen­do que o Ben­fi­ca “tem uma equi­pa mui­to com­pe­ti­ti­va”. Gran­de par­te dos pre­sen­tes, di­ga-se, mostrou-se a fa­vor de Rui Cos­ta e Nu­no Go­mes. Àho­ra de fe­cho des­ta edi­ção, a AG ain­da não ti­nha ter­mi­na­do.

CER­CA DE 1400 SÓ­CI­OS TOR­NA­RAM ES­TA NA AG MAIS QUEN­TE DES­DE QUE FI­LI­PE VI­EI­RA AS­SU­MIU A PRE­SI­DÊN­CIA

SE­GU­RAN­ÇA. Dis­po­si­ti­vo po­li­ci­al co­me­çou por ser ‘li­gei­ro’, mas en­gros­sou até à che­ga­da da for­ça mais mus­cu­la­da

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.