AG­do Spor­ting: O que es­táem­cau­sa

Record (Portugal) - - SPORTING -

di­rec­ti­va nes­te mo­men­to. Mais: as con­di­ções são cla­ras e são exi­gen­tes. Ou a von­ta­de mai­o­ri­tá­ria dos só­ci­os pre­va­le­ce, ou an­tes pe­lo con­trá­rio, o Spor­ting fi­ca­rá en­tre­gue à mi­no­ria de even­tu­ais 25% dos só­ci­os. Se­rá uma ati­tu­de ab­so­lu­tis­ta do pre­si­den­te: creio que não.

Por um la­do o pre­si­den­te en­tre­ga­se na mão dos só­ci­os. Por ou­tro la­do es­ta es­tra­té­gia de cla­ri­fi­ca­ção não é se­quer iné­di­ta na nos­sa história centenária. Ou­tros pre­si­den­tes da nos­sa história co­mo Brás Medeiros, João Ro­cha, Sou­sa Cin­tra e Jo­sé Ro­quet­te es­ta­be­le­ce­ram tam­bém con­di­ções aos só­ci­os pa­ra per­ma­ne­ce­rem. E tal co­mo Jo­sé Al­va­la­de e os res­tan­tes fun­da­do­res de­ci­di­ram to­mar uma op­ção de­fi­ni­ti­va ao saí­rem do Cam­po Gran­de Fo­ot­ball Club e fun­da­rem o nos­so Spor­ting Clu­be de Por­tu­gal, tam­bém ago­ra te­re­mos de de­ci­dir.

As con­di­ções es­ta­be­le­ci­das va­lem o pre­ço da nos­sa es­ta­bi­li­da­de? Não. Co­mo se viu du­ran­te es­tes di­as não exis­te uma al­ter­na­ti­va a Bru­no de Car­va­lho. Asua que­da cons­ti­tui­ria pois a que­da no desconhecido. No abis­mo.

1. As al­te­ra­ções es­ta­tu­tá­ri­as não va­lem is­so: o fim do Con­se­lho Le­o­ni­no é dis­cu­ti­do no Spor­ting des­de 1988 e cons­ti­tui uma ex­cres­cên­cia dis­rup­ti­va ao fun­ci­o­na­men­to mais efi­caz e de­mo­crá­ti­co do clu­be. O fim da com­po­si­ção do Con­se­lho Fis­cal atra­vés de mé­to­do de Hondt é uma não ques­tão, uma vez que os só­ci­os de­ci­di­ram o ano pas­sa­do ele­ger 100% dos can­di­da­tos da lista afec­ta ao ac­tu­al pre­si­den­te. E ra­ra­men­te vi ta­ma­nho ac­to ge­ne­ro­so de au­to­con­tro­lo das su­as pró­pri­as com­pe­tên­ci­as ao ver es­ta di­rec­ção Car­los Reis Só­cio 141.065-0 pro­por co­lo­car na es­fe­ra ab­so­lu­ta das com­pe­tên­ci­as da as­sem­bleia ge­ral a ne­ces­sá­ria au­to­ri­za­ção pa­ra au­to­ri­zar gas­tos não or­ça­men­ta­dos in­de­pen­den­te­men­te do seu mon­tan­te;

2. O Re­gu­la­men­to Dis­ci­pli­nar: o Spor­ting é o úni­co clu­be de to­po que não tem qual­quer en­qua­dra­men­to nor­ma­ti­vo pa­ra o exer­cí­cio do seu po­der dis­ci­pli­nar. Es­te Re­gu­la­men­to con­tri­bui­rá pa­ra uma mai­or cla­re­za e jus­ti­ça no exer­ci­do do po­der dis­ci­pli­nar pe­lo CFD. Além do mais, o even­tu­al abu­so des­te po­der no fu­tu­ro es­ta­rá sem­pre tu­te­la­do pe­la Cons­ti­tui­ção e pe­la Lei à qual o Spor­ting se su­bor­di­na. Ago­ra que es­ta­mos bem es­cla­re­ci­dos va­mos vo­tar no pró­xi­mo sá­ba­do.

CO­MO SE VIU DU­RAN­TE ES­TES DI­AS NÃO EXIS­TE UMA AL­TER­NA­TI­VA A BRU­NO DE CAR­VA­LHO

E não ou­tro sen­ti­do de vo­to que não se­ja apoi­ar Bru­no de Car­va­lho. Aho­ra é de per­sis­tir não é de de­sis­tir! Vi­va o Spor­ting!

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.