“De­sa­fi­ar as for­ças do ad­ver­sá­rio”

Record (Portugal) - - SPORTING - RU­DI GAR­CIA ESCALES, SA­KAI, SARI, ROLANDO, SAN­SON, KAMARA, NJIE E ANGUISSA. MANDANDA E MI­TRO­GLOU. NA­DA A RE­GIS­TAR.

Em Ro­ma, sê ro­ma­no, em Fran­ça, sê fran­cês. E Abel Fer­rei­ra ten­tou. “Na­po­leão Bo­na­par­te di­zia que o se­gre­do do su­ces­so con­sis­te em de­sa­fi­ar a for­ça do nos­so ad­ver­sá­rio. Di­zia tam­bém que era ne­ces­sá­rio con­se­guir su­pe­rar o ad­ver­sá­rio no pon­to de ata­que e no pon­to da de­fe­sa”, dis­se o téc­ni­co do Sp. Bra­ga, que es­ta noi­te jo­ga no Vé­lo­dro­me a pri­mei­ra mão dos 16 avos-de-fi­nal da Li­ga Eu­ro­pa. Na opinião do trei­na­dor, os ar­se­na­lis­tas vão ter pe­la fren­te “um gran­de de­sa­fio” e acre­di­ta que a sua equi­pa tem o que é pre­ci­so pa­ra ser fe­liz. “A es­tra­té­gia es­tá mon­ta­da. Va­mos jo­gar na má­xi­ma con­cen­tra­ção, sen­do efi­ca­zes em ter­mos de­fen­si­vos e ofen­si­vos, den­tro da nos­sa iden­ti­da­de e com or­ga­ni­za­ção. Acre­di­to que te­mos con­fun­di­do os ad­ver­sá­ri­os pe­la nos­sa plas­ti­ci­da­de tá­ti­ca. Jo­ga­mos com o la­do es­tra­té­gi­co”, fri­sou Abel Fer­rei­ra, ci­en­te da im­por­tân­cia des­ta pri­mei­ra mão pa­ra um fu­tu­ro su­ces­so na eli­mi­na­tó­ria: “Os jo­ga­do­res sa­bem da im­por­tân­cia de fa­zer go­los e não os so­frer. Te­re­mos de jo­gar com ri­gor em ter­mos tá­ti­cos e mui­ta união, sen­do ca­pa­zes se so­frer ao lon­go da par­ti­da.”

Abel Fer­rei­ra fez ape­lo à co­ra­gem dos jo­ga­do­res pa­ra ul­tra­pas­sa­rem “um gran­de de­sa­fio”

Ri­val ofen­si­vo

“VA­MOS TES­TAR OS NOS­SOS LI­MI­TES E ROÇAR A PER­FEI­ÇÃO PA­RA CON­SE­GUIR PAS­SAR À FA­SE SE­GUIN­TE”, ACRES­CEN­TOU

So­bre o ri­val des­ta noi­te, Abel Fer­rei­ra ali­nhou no dis­cur­so de An­tó­nio Sal­va­dor e con­si­de­rou es­te Mar­se­lha “o me­lhor da úl­ti­ma dé­ca­da”, ga­ran­tin­do que sa­be bem o que vai en­fren­tar. “Co­nhe­ce­mos in­di­vi­du­al­men­te ca­da jo­ga­dor e eu co­nhe­ço bem o Gar­cia, um trei­na­dor prag­má­ti­co que defende bem o cor­re­dor da bo­la. Te­re­mos de es­tar pre­pa­ra­dos pa­ra um Mar­se­lha mui­to ofen­si­vo, com gran­de pro­fun­di­da­de e que apos­ta mui­to nos cru­za­men­tos atra­sa­dos”, por­me­no­ri­zou o ti­mo­nei­ro dos ar­se­na­lis­tas, dei­xan­do uma re­fle­xão fi­nal: “Es­ta­mos pre­pa­ra­dos pa­ra es­te de­sa­fio, mas te­mos de apro­vei­tá­lo pa­ra tes­tar os nos­sos li­mi­tes. Va­mos ter de os tes­tar, roçar a per­fei­ção pa­ra con­se­guir o so­nho de pas­sar a fa­se se­guin­te.” Estádio Vé­lo­dro­me, em Mar­se­lha • Ár­bi­tro: •

SU­PE­RA­ÇÃO. Abel Fer­rei­ra quer uma equi­pa a jo­gar nos li­mi­tes

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.