Fur­nas Boutique Ho­tel

Um pa­raí­so no meio de um vul­cão

Revista DNA (Portugal) - - Furnas Boutique Hotel -

OFur­nas Boutique Ho­tel, na ilha de São Mi­guel, nos Açores, é o lu­gar ide­al pa­ra quem pre­ci­sa de des­can­sar e fu­gir do stress do dia-a-dia. Ro­de­a­do pe­la im­ba­tí­vel na­tu­re­za sel­va­gem do ar­qui­pé­la­go, es­te pa­raí­so si­tua-se pre­ci­sa­men­te nas Fur­nas, on­de se ve­ri­fi­ca a mai­or con­cen­tra­ção de águas ter­mais da Eu­ro­pa. A ori­gem vul­câ­ni­ca dos Açores ex­pli­ca a exis­tên­cia de abun­dan­tes re­cur­sos hi­dro­ter­mais por qua­se to­do o ar­qui­pé­la­go, com prin­ci­pal in­ci­dên­cia na ilha de São Mi­guel, nas Fur­nas.

A prin­ci­pal atra­ção do ho­tel é o fan­tás­ti­co ser­vi­ço de Spa, que uti­li­za a água ter­mal que emer­ge no ho­tel, de­no­mi­na­da "água quen­te das quen­tu­ras", a uma tem­pe­ra­tu­ra que ron­da dos 60°C. O Spa tem uma pis­ci­na ter­mal di­nâ­mi­ca, dois tan­ques de con­tras­te, uma pis­ci­na ex­te­ri­or, cen­tro de fit­ness e 10 sa­las de tra­ta­men­tos on­de se po­dem fa­zer mas­sa­gens, hi­dro­mas­sa­gem, flo­at bed, du­che Vi­chy, en­tre ou­tros tra­ta­men­tos e ri­tu­ais.

As pis­ci­nas do Fur­nas Boutique Ho­tel pos­su­em es­ta "água quen­te das quen­tu­ras" que tem uma mi­ne­ra­li­za­ção ele­va­da ri­ca em dió­xi­do de car­bo­no e in­cor­po­ra ga­ses vul­câ­ni­cos. As su­as ca­rac­te­rís­ti­cas fí­si­co-quí­mi­cas e mi­ne­rais (água hi­per­ter­mal ra­di­o­a­ti­va) é be­né­fi­ca pa­ra ca­sos de os­te­o­ar­tro­ses, ar­tro­pa­ti­as in­fla­ma­tó­ri­as co­mo o ca­so da ar­tri­te reu­ma­toi­de ou ar­tri­te pso­riá­ti­ca, se­que­las os­te­o­ar­ti­cu­la­res (Ale­xan­dre M. e Mal­ca­ta A., 2000). A sua con­ju­ga­ção com tra­ta­men­tos (hi­dro­mas­sa­gens, mas­sa­gens e en­vol­vi­men­tos cor­po­rais) po­dem po­ten­ci­ar o alí­vio dos sin­to­mas, re­ve­lan­do-se, de acor­do com os mes­mos au­to­res, uma "te­ra­pêu­ti­ca com­ple­men­tar me­nos tó­xi­ca e me­nos trau­ma­ti­zan­te, que não tem a pre­ten­são de cu­rar mas, pe­las van­ta­gens e re­sul­ta­dos, de me­lho­rar o do­en­te" (Ale­xan­dre M. e Mal­ca­ta A., 2000).

A zo­na de cap­ta­ção da "água das quen­tu­ras" lo­ca­li­za-se na cal­dei­ra do Vul­cão das Fur­nas, mais es­pe­ci­fi­ca­men­te na par­te cen­tral da cal­dei­ra in­ter­na des­te vul­cão. Es­te vul­cão cons­ti­tui um dos mais im­por­tan­tes sis­te­mas vul­câ­ni­cos ati­vos dos Açores, sob a for­ma de um vul­cão cen­tral po­li­ge­né­ti­co si­li­ci­o­so, apre­sen­tan­do um lon­go his­to­ri­al erup­ti­vo, on­de pre­do­mi­na o ca­rá­ter áci­do, si­li­ci­o­so, do seu vul­ca­nis­mo. Pa­ra além da cap­ta­ção des­tas águas, nes­te vul­cão es­tão lo­ca­li­za­das cer­ca de 20 nas­cen­tes ter­mais, mi­ne­rais e ga­so­car­bó­ni­cas, bem co­mo di­ver­sas águas de nas­cen­te e cam­pos fu­ma­ró­li­cos de di­fe­ren­tes ti­pos e com­po­si­ção. Vá­ri­as des­tas emer­gên­ci­as são uti­li­za­das des­de há sé­cu­los co­mo águas mi­ne­ro-me­di­ci­nais (por exem­plo: Água Aze­da ou Água San­ta), no abas­te­ci­men­to pú­bli­co ou uso in­dus­tri­al (por exem­plo: em bal­neá­ri­os ter­mais).

Vi­si­te o Fur­nas Boutique Ho­tel e ex­pe­ri­men­te o Spa, os ri­tu­ais e tra­ta­men­to ti­ran­do par­ti­do de to­das as po­ten­ci­a­li­da­des da "água quen­te das quen­tu­ras".

Bi­bli­o­gra­fia: Ale­xan­dre M., Mal­ca­ta A. (2000):"Ter­ma­lis­mo nas do­en­ças reu­má­ti­cas: pa­na­ceia ou pla­ce­bo?" Ac­ta Reu­ma Port 2000;98:44-50

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.