O Da­má­sio do fu­te­bol

Sábado - - ASEMANA - Pe­dro Mar­ta San­tos

Ed­gar Al­lan Poe es­cre­veu que “tu­do o que ve­mos ou não vi­mos não é mais do que

um so­nho den­tro de um so­nho”. Se o au­tor oi­to­cen­tis­ta de Bos­ton ti­ves­se cres­ci­do na Ma­dei­ra, em Alvalade ou no Pa­seo de la Cas­tel­la­na, po­de­ria es­tar a re­fe­rir-se ao be­lís­si­mo go­lo de bi­ci­cle­ta de Ro­nal­do (os ve­lo­cí­pe­des fo­ram in­ven­ta­dos em 1817 até Cristiano os rein­ven­tar 201 anos de­pois), mas tam­bém ao tra­ba­lho cri­a­ti­vo de ou­tro português: An­tó­nio Da­má­sio. Na­da é mais emo­ci­o­nan­te do que a ex­ce­lên­cia e, se Ro­nal­do jo­ga há 15 anos nos me­lho­res clu­bes mun­di­ais, Da­má­sio jo­ga há 30 nas me­lho­res uni­ver­si­da­des. O su­ces­so de Cristiano é glo­bal, o de An­tó­nio tam­bém – cen­te­nas de mi­lha­res de li­vros ven­di­dos em mais de 30 lín­guas e o no­me no top 3 dos neu­ro­ci­en­tis­tas cog­ni­ti­vos. O gé­nio des­por­ti­vo de Ro­nal­do pas­sa na ZDF e na ESPN.

O gé­nio ci­en­tí­fi­co de Da­má­sio pas­sa na Sci­en­ti­fic Ame­ri­can e na Los An­ge­les Re­vi­ew of Bo­oks, on­de há di­as se lou­vou o van­guar­dis­mo de A Es­tra­nha Or­dem das Coi­sas, o seu mais re­cen­te li­vro. Da­má­sio é o pon­ta de lan­ça que ins­ta­lou as ci­ên­ci­as cog­ni­ti­vas na gran­de área da mo­der­ni­da­de, co­lo­can­do as emo­ções, os afec­tos e os sen­ti­men­tos no cen­tro da cons­ci­ên­cia hu­ma­na. A or­dem das coi­sas de Ro­nal­do e de Da­má­sio in­cen­deia a per­cep­ção de nós pró­pri­os e ilu­mi­na a men­te co­mo uma dan­ça en­tre o cé­re­bro, o res­tan­te sis­te­ma ner­vo­so e ou­tras fun­ções fí­si­cas – co­mo vo­ar a 2,38 m de al­tu­ra –, em pas de deux com a re­a­li­da­de sub­jec­ti­va de ca­da um: o so­nho den­tro do so­nho. Gra­ças a An­tó­nio, per­ce­be­mos melhor a ori­gem da emo­ção que nos pro­vo­ca Cristiano. Da­má­sio não é o Ro­nal­do da ci­ên­cia. Ro­nal­do é que é o Da­má­sio do fu­te­bol.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.