Até gre­go te­ve que apren­der

Quan­do co­me­çar a ver a quin­ta tem­po­ra­da da sé­rie Vi­kings­não se es­pan­te se vir uma ca­ra co­nhe­ci­da. É que o Mi­guel de Pai­xão foi lá fazer 20 ca­pí­tu­los e mor­rer co­mo man­da a sé­rie: de for­ma vi­o­len­ta

TV Guia - - Séries - TEX­TO HU­GO AL­VES I FO­TOS COFINA ME­DIA E INS­TA­GRAM

Fal­ta­me­nos­deum­mês­pa­ra­a­es­treia da 5.ª tem­po­ra­da da bem su­ce­di­da sé­rie Vi­kings que em Por­tu­gal pas­sa no­ca­nalAMC.Ena5.ª tem­po­ra­dahá um por­tu­guês en­tre o elen­co: Al­ba­no Je­ró­ni­mo.

O ac­tor irá dar vi­da, na agres­si­va e san­gui­no­len­ta sé­rie a Euphe­mius, um po­lí­ti­co com am­bi­ções des­me­su­ra­das. Um trabalho que deu um enor­me pra­zer a Al­ba­no fazer. “Es­ti­ve três me­ses a gra­var na Ir­lan­da, Is­lân­dia, no mar do Nor­te e de­pois em Mar­ro­cos. Foi fan­tás­ti­co. Fa­bu­lo­so. Ti­ve que apren­der gre­go ar­cai­co para a sé­rie e para tal ti­ve um co­a­ch [pro­fes­sor es­pe­ci­a­li­za­do] du­ran­te um mês para apren­der as pa­la­vras cer­tas. De­pois ti­ve que apren­der a ter ou­tro por­te, sei lá...”, con­ta o ac­tor. “Até mu­dei de vi­su­al. Ti­ve imen­so trabalho mas foi de­ve­ras es­ti­mu­lan­te”, con­ta ba­ba­do com a opor­tu­ni­da­de que te­ve.

E ape­sar de ago­ra es­tar em Por­tu­gal não es­que­ce a ex­pe­ri­ên­cia. “Foi in­crí­vel a ní­vel pro­fis­si­o­nal. Es­ti­ve a fa­lar nou­tra lín­gua, a apren­der ou­tra, a tra­ba­lhar com or­ça­men­tos, de di­men­sões enor­mes, que re­sul­tam na­que­la ima­gem fe­no­me­nal”, ex­pli­ca o ac­tor que con­tu­do avi­sa já os fãs que não es­pe­rem ver Euphe­mius so­bre­vi­ver á cha­ci­na da sé­rie. “Com uma sé­rie tão san­gren­ta... ele tem um fi­nal igual­men­te si­mi­lar”, diz com uma gar­ga­lha­da bem dis­pos­ta.

As gra­va­ções de­cor­re­ram no Mar do

Nor­te.

Al­ba­no Je­ró­ni­mo e um dos VI­kings da sé­rie.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.