“Es­tou-me a ma­rim­bar”

Com um “no­vo” pro­gra­ma aos do­min­go, o apre­sen­ta­dor ga­ran­te à TV Guia que se lhe pe­di­rem pa­ra mu­dar, pa­ra ter re­sul­ta­dos, não acei­ta

TV Guia - - Actual - TEXTO JOÃO BÉNARD GAR­CIA | FO­TO CORRÊA DOS SAN­TOS

Afi­nal, não va­le tu­do pa­ra João Manzarra, de 32 anos, o apre­sen­ta­dor do “no­vo” pro­gra­ma de en­tre­te­ni­men­to das noi­tes de do­min­go, na SIC. Ques­ti­o­na­do pe­la TV Guia so­bre os fra­cas­sos de vá­ri­os for­ma­tos que tem apre­sen­ta­do nos úl­ti­mos anos, o tam­bém em­pre­sá­rio de ho­te­la­ria res­pon­de, com vi­sí­vel ir­ri­ta­ção: “Es­tou-me com­ple­ta­men­te a ma­rim­bar pa­ra as au­di­ên­ci­as.” E sa­be de quem é a cul­pa pe­los números bai­xos que al­can­ça: “O su­ces­so ou in­su­ces­so dos pro­gra­mas tem mais a ver com o for­ma­to em si do que com os apre­sen­ta­do­res.” Ha­bi­tu­a­do a mos­trar em público a sua veia ir­re­ve­ren­te, e a fa­lar sem pa­pas na lín­gua, João Manzarra ex­plo­ra me­lhor a sua te­o­ria so­bre co­mo se es­tá “a ma­rim­bar”, mais ain­da ago­ra que aca­bou de es­tre­ar Va­le Tu­do. “Sempre me es­ti­ve a ma­rim­bar pa­ra as au­di­ên­ci­as. É as­sim que fun­ci­o­na. Te­nho de se­guir as mi­nhas idei­as e fa­zer co­mo acho que de­vo fa­zer”, afir­ma, adi­an­tan­do qual vai con­ti­nu­ar a ser a sua pos­tu­ra no fu­tu­ro: “Não vou mu­dar aqui­lo que sou em prol de re­sul­ta­dos de au­di­ên­ci­as. Pa­ra mim, não é is­so que vai acon­te­cer. Se che­gar o dia em que me dis­se­rem ‘João, tens que mu­dar pa­ra ter­mos au­di­ên­ci­as’ ,eu não vou mu­dar. Até ho­je, nun­ca me im­pu­se­ram is­so. Na mai­o­ria dos pro­gra­mas, te­nham bons ou maus re­sul­ta­dos, a res­pon­sa­bi­li­da­de não é dos apre­sen­ta­do­res.”

A TIA RI­CA

Quan­do a TV Guia o ques­ti­o­na di­rec­ta­men­te so­bre se ain­da con­si­de­ra, co­mo afir­mou na ga­la dos Glo­bos de Ou­ro, que apre­sen­tou so­zi­nho em Maio úl­ti­mo no Co­li­seu dos Re­crei­os de Lis­boa, que a SIC era co­mo “uma tia ri­ca, que nos pa­ga uma me­sa­da pa­ra não fa­zer­mos na­da”, João Manzarra con­fir­ma, à nos­sa re­vis­ta, tu­do o que dis­se en­tão e ain­da acres­cen­ta quais são os seus de­ve­res pa­ra com a tal “tia ri­ca” que lhe dá a ren­da cho­ru­da pa­ra vi­ver de­sa­fo­ga­da­men­te (10 mil eu­ros por mês):

“É uma tia que me pa­ga a me­sa­da – cla­ro que es­sa é a par­te mais agra­dá­vel –, mas que tam­bém me dá re­pri­men­das, sempre que che­go atra­sa­do. Es­sas re­pri­men­das fa­zem par­te do diá­lo­go. É mui­to bom es­tar nu­ma ca­sa on­de é pos­sí­vel haver diá­lo­go e on­de nos dão li­ber­da­de pa­ra ter­mos idei­as.”

SIC

João Manzarra

ao la­do de Ri­ta Fer­ro

Ro­dri­gues, na fes­ta dos 25

anos da SIC.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.