“No Por­to te­nho tem­po pa­ra VI­VER”

Quan­do acei­tou fa­zer a Pra­ça da Ale­gria te­ve de con­ven­cer a mu­lher a irem vi­ver pa­ra a Ci­da­de In­vic­ta. Ho­je, a fa­mí­lia ado­ra a ci­da­de e a es­tre­la da RTP ga­ran­te que nun­ca te­ve uma vi­da tão boa

TV Guia - - ESTRELAS -

Os anos pas­sam mas eles man­têm-se na apre­sen­ta­ção do pro­gra­ma das manhãs da RTP1. En­quan­to Sónia Araújo já é ros­to da Pra­ça da Ale­gria há 22, Jor­ge Ga­bri­el é-o há 16. “Vim com a ideia de que se­ria por três me­ses e que, de­pois, o pro­gra­ma iria pa­ra Lis­boa”, con­fes­sa o apre­sen­ta­dor no no­vo ce­ná­rio do pro­gra­ma.

As mu­dan­ças na Pra­ça da Ale­gria vão re­no­van­do o pro­gra­ma e man­ten­do os es­pec­ta­do­res li­ga­dos a es­te con­teú­do que, na óp­ti­ca dos apre­sen­ta­do­res ,“só faz sen­ti­do ser fei­to aqui no Nor­te”. “Is­so já se tor­nou nu­ma mar­ca, ape­sar de agor ater­mos mais re­por­ta­gens tam­bém a sul do País .”

Cer­to é que, mes­mo não sa­ben­do que a sua mu­dan­ça im­pli­ca­ria aca­bar por fi­car a vi­ver no Por­to, já lá vão 16 anos, Jor­ge Ga­bri­el aca­bou por se ha­bi­tu­ar e, ho­je em dia, não quer ou­tra vi­da. “Nos pri­mei­ros seis me­ses, ti­ve de mu­da­ras mi­nhas ro­ti­nas, por­que a mi­nha vi­da era mais noc­tí­va­ga, e ha­bi­tu­ar-me aos ho­rá­ri­os. Ho­je, não há dia em que não es­te­ja de pestana aber­ta às se­te da ma­nhã!”

FI­LHOS REN­DI­DOS

Es­ta im­por­tan­te mu­dan­ça na vi­da pro­fis­si­o­nal aca­bou por im­pli­car, igual­men­te, al­te­ra­ções a ní­vel pes­so­al. Jor­ge Ga­bri­el, ho­je com 50 anos, te­ve de con­ven­cer a mu­lher, Fi­li­pa Ga­mei­ro, a mu­dar-se pa­ra a In­vic­ta. Os fi­lhos do apre­sen­ta­dor nun­ca co­nhe­ce­ram ou­tra ci­da­de, da­do que cres­ce­ram no Por­to. Ma­ri­a­na, a mais ve­lha, tem ago­ra 18 anos, a ir­mã do meio, Ma­da­le­na, 15, e Pe­dro nas­ceu há dois. A es­tre­la da RTP tem, tam­bém, um fi­lho mais ve­lho, Du­ar­te, de 22, fru­to de uma an­te­ri­or re­la­ção. “A mi­nha fa­mí­lia ado­ra o Por­to. A qui­te­mos uma me­lhor qua­li­da­de de­vi­da ”, afi­an­ça, acres­cen­tan­do: “No Por­to te­nho tem­po pa­ra vi­ver. Aqui pos­so mar­car seis ou se­te ac­ti­vi­da­des pa­ra um dia, con­si­go fa­zer tu­do e ain­da me so­bra tem­po.”

E, pa­ra fi­na­li­zar, Jor­ge Ga­bri­el dá um exem­plo prá­ti­co das diferenças en­tre Lis­boa e o Por­to .“Aqui, se es­tão 15 mi­nu­tos no trân­si­to, fi­cam doi­dos! Aqui­lo tor­na-se a con­ver­sa do dia. Quem vem de Lis­boa já es­tá tão ha­bi­tu­a­do a es­se stress, que is­to aqui não é na­da.Éum­sos­se­go!” ●

TEX­TO ISABEL LARANJO | FO­TOS RI­CAR­DO RUELLA

Pe­dro tem 2 anos e é o fi­lhoca­çu­la de Jor­ge Ga­bri­el.Ma­ri­a­na, a fi­lha mais ve­lha, fez 18 anosno dia 12 de Ju­lho.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.