A MI­NHA IR­MÃ ES­TÁ SEM­PRE A DI­ZER QUE TE­NHO A MA­NIA DAS DO­EN­ÇAS...

Women's Health (Portugal) - - PERGUNTE NOS - PER­GUN­TA À WH: DRA. MA­RIA JOÃO SI­MÕES Psi­có­lo­ga da Uni­da­de Psi­quiá­tri­ca Pri­va­da de Coimbra

Ca­so te­nha exis­ti­do uma ava­li­a­ção pré­via, fei­ta por es­pe­ci­a­lis­tas clí­ni­cos, que con­fir­me a não exis­tên­cia de um di­ag­nós­ti­co de pa­to­lo­gia as­so­ci­a­do a de­ter­mi­na­das quei­xas,

po­der-se-á ques­ti­o­nar se apre­sen­ta uma ma­ni­fes­ta­ção clí­ni­ca de­sig­na­da por hi­po­con­dria. E o que é a hi­po­con­dria? É uma per­tur­ba­ção em que a pes­soa apre­sen­ta quei­xas re­fe­ren­tes a sin­to­mas fí­si­cos, em re­la­ção aos quais ex­pres­sa gran­de pre­o­cu­pa­ção, pois crê que tem uma do­en­ça gra­ve. As quei­xas tan­to po­dem es­tar re­la­ci­o­na­das com fun­ções do or­ga­nis­mo (por exem­plo, di­ges­tão di­fí­cil, au­men­to/per­da de pe­so) e/ou es­ta­do de saú­de em ge­ral (can­sa­ço, dor), o que de­cor­re de uma in­ter­pre­ta­ção in­cor­re­ta das fun­ções nor­mais do or­ga­nis­mo. As cau­sas da hi­po­con­dria são des­co­nhe­ci­das e exis­tem mui­tos fa­to­res que po­dem es­tar en­vol­vi­dos

no seu de­sen­vol­vi­men­to. Se sen­tir que es­ta con­di­ção in­ter­fe­re sig­ni­fi­ca­ti­va­men­te nas ati­vi­da­des do dia a dia, nas re­la­ções fa­mi­li­a­res, pro­fis­si­o­nais e so­ci­ais, pro­cu­re um es­pe­ci­a­lis­ta da área

da saú­de men­tal.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.