SI­NAIS DE (DES)IN­VES­TI­MEN­TO DE AN­GO­LA EM POR­TU­GAL

Folha 8 - - DESTAQUE -

De­pois de vá­ri­os anos a cres­cer e a ga­nhar gran­de vi­si­bi­li­da­de, o in­ves­ti­men­to an­go­la­no em Por­tu­gal dá ago­ra si­nais de re­cuo. Na se­ma­na pas­sa­da o pre­si­den­te da Sonangol, a pe­tro­lí­fe­ra es­ta­tal an­go­la­na, anun­ci­ou um pla­no de ven­da de ac­ti­vos que não per­ten­cem à sua prin­ci­pal ac­ti­vi­da­de, o que in­clui par­ti­ci­pa­ções em vá­ri­as em­pre­sas e ban­cos. E se em An­go­la is­so po­de afec­tar as fa­ti­as que de­tém na Mo­ta En­gil An­go­la (20%) ou no Ban­co Cai­xa Ge­ral An­go­la (25%, ca­ben­do 51% à Cai­xa Ge­ral de De­pó­si­tos), em Por­tu­gal a Sonangol es­tá pre­sen­te na Galp Ener­gia e no BCP. Na en­tre­vis­ta ao Ex­pres­so, o Pre­si­den­te de An­go­la, João Lou­ren­ço, veio mos­trar que a ven­da es­tá mes­mo em ci­ma da mesa: clas­si­fi­cou a par­ti­ci­pa­ção da Galp co­mo “uma dis­per­são”, e não ne­gou a saí­da do BCP, to­tal ou par­ci­al, on­de a Sonangol en­trou em 2007 e é ho­je o se­gun­do mai­or ac­ci­o­nis­ta com 19,5%. “Não es­tou a di­zer que va­mos sair ama­nhã. Es­tou a di­zer ape­nas que a ten­dên­cia é es­sa”, afir­mou João Lou­ren­ço. O ano pas­sa­do já foi mar­ca­do por um desinvestimento, com os da­dos do Ban­co de Por­tu­gal (di­vul­ga­dos em Ou­tu­bro por via do re­la­tó­rio so­bre as re­la­ções com os PALOP) a mos­tra­rem um sal­do ne­ga­ti­vo de 95 mi­lhões no flu­xo de in­ves­ti­men­to di­rec­to de­vi­do a um for­te re­cuo dos ser­vi­ços (no­me­a­da­men­te ac­ti­vi­da­des fi­nan­cei­ras). Ao PÚ­BLI­CO o pre­si­den­te da Câ­ma­ra de Co­mér­cio e In­dús­tria Por­tu­gal An­go- la (CCIPA), João Tra­ça, afir­mou que es­ta é uma “si­tu­a­ção com­pre­en­sí­vel”. An­go­la, diz, “es­tá a fa­zer o que se­ria na­tu­ral, ten­do em conta o seu con­tex­to eco­nó­mi­co ac­tu­al, ou se­ja, es­tá a ali­e­nar par­ti­ci­pa­ções pa­ra in­ves­tir na eco­no­mia an­go­la­na pa­ra atin­gir o seu gran­de ob­jec­ti­vo es­tra­té­gi­co, que con­sis­te na di­ver­si­fi­ca­ção da sua eco­no­mia”. Nos cál­cu­los do Ban­co de Por­tu­gal con­ta­bi­li­za-se ape­nas os in­ves­ti­men­tos di­rec­tos, ex­cluin­do-se os que en­vol­vem paí­ses com be­ne­fí­ci­os fis­cais co­mo Ho­lan­da ou Mal­ta. Em 2017, Isa­bel dos San­tos ven­deu a par­ti­ci­pa­ção de 18% que de­ti­nha no BPI aos ca­ta­lães do La Cai­xa, ga­nhan­do em tro­ca o do­mí­nio do Ban­co de Fo­men­to An­go­la e um en­cai­xe de 307 mi­lhões de eu­ros. A ban­ca é, aliás, um sec­tor em que os in­ves­ti­do­res an­go­la­nos es­tão bem re­pre­sen­ta­dos. O general “Ko­pe­li­pa” é um dos gran­des ac­ci­o­nis­tas do BIG, e es­tão pre­sen­tes no mer­ca­do na­ci­o­nal o Ban­co Afri­ca­no de In­ves­ti­men­tos (BAI Eu­ro­pa, pre­si­di­do por Ta­va­res Mo­rei­ra e on­de Sonangol é um for­te ac­ci­o­nis­ta), o Atlân­ti­co (li­ga­do a Carlos Sil­va), e o Ban­co de Negócios In­ter­na­ci­o­nal (do­mi­na­do por Má­rio Pa­lha­res, es­tá em Por­tu­gal via BNI Eu­ro­pa, o qual es­tá em vi­as de ven­der par­te do ca­pi­tal aos chi­ne­ses da KWG). A mai­or des­tas ins­ti­tui­ções fi­nan­cei­ras, no en­tan­to, é o Eu­ro­bic, pre­si­di­do pe­lo an­ti­go mi­nis­tro das Fi­nan­ças de Por­tu­gal Tei­xei­ra dos San­tos e do­mi­na­do por Isa­bel dos San­tos. O sal­to deu-se quan­do ga­nhou a pri­va­ti­za­ção do BPN, en­tran­do em for­ça no ne­gó­cio de re­ta­lho. Os in­te­res­ses an­go­la­nos es­tão dis­per­sos por vá­ri­as áre­as, des­de cons­tru­ção e imo­bi­liá­rio à agro-in­dús­tria, pas­san­do pe­la res­tau­ra­ção e am­bi­en­te. No ca­so de Ál­va­ro So­bri­nho, ex-pre­si­den­te do BES An­go­la, es­te, de­pois de ter de­sin­ves­ti­do na co­mu­ni­ca­ção so­ci­al (de­ti­nha o Sol via Newshold e che­gou aos 15% do ca­pi­tal da Co­fi­na, do­na do Correio da Ma­nhã) es­tá ain­da li­ga­do ao Sporting (via Hol­di­mo) e a em­pre­sas co­mo a Co­fa­co, do­na do atum Bom Pe­tis­co. E se por ve­zes ri­va­li­zou em no­to­ri­e­da­de com Isa­bel dos San­tos, nos úl­ti­mos tem­pos o pro­ta­go­nis­mo tem si­do mui­to mai­or por par­te da fi­lha do ex-pre­si­den­te de An­go­la.

PRE­SI­DEN­TE DA RE­PÚ­BLI­CA, JOÃO LOU­REN­ÇO

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.