JOÃO LOU­REN­ÇO NÃO PA­GA. MAS MAN­DA EM POR­TU­GAL!

Folha 8 - - POLÍTICA -

João Lou­ren­ço vi­si­ta Por­tu­gal com uma pos­tu­ra tão ar­ro­gan­te, tão se­gu­ro de si, que cer­ta­men­te ne­nhum po­lí­ti­co por­tu­guês te­rá a ou­sa­dia de lhe per­gun­tar quan­do é que o Es­ta­do an­go­la­no pa­ga os cin­co mil mi­lhões dó­la­res que An­go­la de­ve a Por­tu­gal. Es­ta dí­vi­da foi ori­gi­na­da com os su­ces­si­vos des­fal­ques no Ban­co Es­pí­ri­to San­to (An­go­la) – BESA, re­sul­tan­tes de cré­di­tos con­ce­di­dos, sem quais­quer ga­ran­ti­as, a dig­ni­tá­ri­os do MPLA an­tes de 2014. Um dos gran­des be­ne­fi­ci­a­dos foi jus­ta­men­te João Lou­ren­ço, que ago­ra pa­re­ce ter-se es­que­ci­do das dí­vi­das que ele mes­mo e os seus ami­gos de en­tão con­traí­ram, sem de­vol­ver nem um dó­lar. Os em­prés­ti­mos sem ga­ran­ti­as con­ce­di­dos em An­go­la, à épo­ca pe­lo BESA pre­si­di­do por Ál­va­ro So­bri­nho, es­tão aliás na ori­gem do des­ca­la­bro no sec­tor fi­nan­cei­ro por­tu­guês. Foi um far­tar vi­la­na­gem: em­prés­ti­mos con­ce­di­dos a per­so­na­li­da­des li­ga­das ao MPLA. No to­po da lis­ta es­ta­va Marta dos San­tos, ir­mã do ex-pre­si­den­te. Mas o con­jun­to de ba­fe­ja­dos pe­lo BESA com mui­tos mi­lhões é ex­ten­so, com des­ta­que pa­ra o pró­prio João Lou­ren­ço, Fran­ça Nda­lu ou Ro­ber­to Almeida. No iní­cio da dé­ca­da, mui­tas aqui­si­ções de an­go­la­nos em Por­tu­gal te­rão si­do mes­mo re­a­li­za­das com o ca­pi­tal do BES, des­de par­ti­ci­pa­ções na Ban­ca a aqui­si­ção de fá­bri­cas ou her­da­des. O es­cân­da­lo foi de tal di­men­são e o ca­pi­tal in­co­brá­vel era de tal or­dem que, em 31 de De­zem­bro de 2013, o Es­ta­do An­go­la­no pres­tou uma ga­ran­tia au­tó­no­ma a fa­vor do BESA, com um va­lor de 5,7 mil mi­lhões de dó­la­res. Es­ta ga­ran­tia nun­ca foi ac­ci­o­na- da. Até ho­je. Nem se­quer foi da­da qual­quer ex­pli­ca­ção so­bre o seu des­ti­no. Há anos que es­te é um as­sun­to ta­bu, em An­go­la e Por­tu­gal. Em An­go­la, por­que o po­der é ab­so­lu­to, cor­rup­to e ten­den­ci­al­men­te cen­só­rio. Em Por­tu­gal, por­que a clas­se po­lí­ti­ca é sub­mis­sa aos in­te­res­ses de An­go­la, co­mo se tem pro­va­do nos úl­ti­mos tem­pos. Bas­ta­rá ter ob­ser­va­do a pos­tu­ra do pre­si­den­te por­tu­guês Mar­ce­lo e do Pri­mei­ro-mi­nis­tro Cos­ta no ca­so “Ma­nu­el Vi­cen­te”, pro­ces­so de rei­te­ra­da cor­rup­ção, que foi trans­fe­ri­do de Lisboa pa­ra Luanda, por inad­mis­sí­vel pres­são po­lí­ti­ca dos políticos por­tu­gue­ses so­bre o seu pró­prio sis­te­ma de Jus­ti­ça.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.