(AN­TI) RAI­VA

Folha 8 - - NACIONAL -

que pas­sa pe­la va­ci­na­ção ani­mal. “Mas em re­la­ção à va­ci­na pa­ra hu­ma­nos, re­co­nhe­ce­mos que à che­ga­da ao sec­tor tí­nha­mos uma rup­tu­ra to­tal do stock de va­ci­nas pa­ra a rai­va. Foi fei­to um es­for­ço, que é obri­ga­ção do sec­tor, pa­ra a aqui­si­ção. Por es­ta al­tu­ra, já te­mos a quan­ti­da­de ne­ces­sá­ria de va­ci­nas pa­ra to­das as pro­vín­ci­as, in­cluin­do Luanda”, dis­se. A ti­tu­lar da pas­ta da Saú­de dis­se que os ga­bi­ne­tes pro­vin­ci­ais de saú­de es­tão in­cum­bi­dos de pu­bli­ci­tar nos mei­os de co­mu­ni­ca­ção so­ci­al (do Es­ta­do/mpla) a dis­po­ni­bi­li­da­de de va­ci­nas em ca­so de mor­de­du­ra, no­me­a­da­men­te nos hos­pi­tais de re­fe­rên­cia, em cin­co uni­da­des hos­pi­ta­la­res mu­ni­ci­pais e nas ad­mi­nis­tra­ções mu­ni­ci­pais, on­de foi cri­a­da uma sec­ção de va­ci­na­ção com es­se ti­po de va­ci­nas. Con­tu­do, Síl­via Lutucuta cha­mou a aten­ção pa­ra uma mai­or vi­gi­lân­cia em re­la­ção ao des­ti­no da va­ci­na, “que é ca­ra”. “Por ve­zes, é co­lo­ca­do um grau de di­fi­cul­da­de que não exis­te. É pas­sa­da a in­for­ma­ção à po­pu­la­ção que não há va­ci­nas e os nos­sos téc­ni­cos es- tão a co­brar. Nós ra­pi­da­men­te to­ma­mos uma po­si­ção. Há três di­as, re­ce­be­mos uma de­nún­cia e es­ta­mos a tra­ba­lhar com o SIC [Ser­vi­ço de In­ves­ti­ga­ção Cri­mi­nal], por­que uma en­fer­mei­ra [do hos­pi­tal] da Sam­ba foi apa­nha­da em fla­gran­te a que­rer ven­der va­ci­nas a 13 mil kwan­zas [37 eu­ros] e foi en­con­tra­da com mais de 15 do­ses de va­ci­na”, in­for­mou. A go­ver­nan­te an­go­la­na ape­lou à po­pu­la­ção pa­ra que de­nun­cie ca­sos idên­ti­cos, sa­li­en­tan­do que “a va­ci­na é gra­tui­ta”. En­tre 29 de Ou­tu­bro a 4 des­te mês, as au­to­ri-

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.