ATA­QUE CO­VAR­DE DA PROCURADORIA

Folha 8 - - DESTAQUE -

Em 08.01, co­mo atrás me re­fe­ri, dois te­le­fo­ne­mas, mar­ca­ram ne­ga­ti­va­men­te, o meu dia, um vin­do de pes­soa ín­ti­ma, co­mo os rai­os das for­tes chu­vas (Vu­lu­ka) sus­ten­ta­do nu­ma fo­to for­ja­da, nos la­bo­ra­tó­ri­os, de quem es­tá re­cal­ca­da, não acei­tan­do a re­a­li­da­de dos factos: rup­tu­ra e pre­ten­de dar ima­gem pú­bli­ca di­fe­ren­te e, ou­tro, de uma das ins­ti­tui­ções do Ti­tu­lar do Po­der Exe­cu­ti­vo (no qual de­po­si­tei al­gu­mas es­pe­ran­ças), co­mo a PGR, que re­a­briu um pro­ces­so am­nis­ti­a­do, cheio de sa­ca­na­gem e men­ti­ras, ale­gan­do CRI­MES CON­TI­NU­A­DOS, fa­zen­do qu­es­tão de re­a­fir­mar a de­ci­são de ma­nu­ten­ção da ori­en­ta­ção de im­pe­di­men­to do exer­cí­cio da pro­fis­são ad­vo­ca­tí­cia, só al­te­rá­vel, na opi­nião do ma­gis­tra­do- ame­a­ça­dor, “se em 2022, o MPLA e João Lou­ren­ço per­de­rem as elei­ções e a opo­si­ção to­mar as ré­de­as do po­der”, as­se­ve­rou... Per­di a es­pe­ran­ça de ver re­pos­ta a jus­ti­ça nes­te no­vo con­su­la­do, quan­do um al­to ma­gis­tra­do da Procuradoria-ge­ral da Re­pú­bli­ca, no pe­des­tal da ar­ro­gân­cia, dis­cri­mi­na­ção e mal­da­de, se re­go­zi­ja com a cas­sa­ção da car­tei­ra pro­fis­si­o­nal de ad­vo­ga­do, de um ci­da­dão, por ale­ga­da­men­te, o Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, João Lou­ren­ço. ter renovado as mes­mas or­dens do an­te­ces­sor: “se ele es­ti­ves­se con­tra, Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos e a seu fa­vor, man­da­ria re­por o qua­dro, por­que, na prá­ti­ca, ele é quem man­da na PGR”, dis­se, adi­an­tan­do: “se na­da fez, nem or­de­nou ao Pro­cu­ra­dor-ge­ral re­ver al­gu­ma ir­re­gu­la­ri­da­de, pe­lo con­trá­rio, não se opôs à re­a­ber­tu­ra de um pro­ces­so am­nis­ti­a­do, que vi­o­la a Cons­ti­tui­ção, nós, tam­bém, na­da po­de­re­mos fa­zer, pois te­mos de ga­ran­tir o pão dos nos­sos fi­lhos e con­ti­nu­ar o pro­ces­so”. Na ver­da­de, mui­tos acre­di­tam es­tar no DNA do re­gi­me do MPLA, per­se­guir, dis­cri­mi­nar, de­sem­pre­gar e até as­sas­si­nar quem pen­sa di­fe­ren­te e não o ba­ju­le. Mas, pe­se to­dos es­tes ró­tu­los, nun­ca dei­xei de acre­di­tar na mu­dan­ça e nos ho­mens de bem, tan­to que sem­pre ti­ve ao meu la­do, pes­so­as es­pe­ci­ais, con­so­lan­do-me, com ca­ri­nho e amor, pois, por es­tra­nho que pos­sa pa­re­cer, sem ela, não se­ria pos­sí­vel en­fren­tar tan­ta rai­va, ódio de um re­gi­me, que aten­ta, to­dos os di­as, atra­vés de men­ti­ras e ca­lú­ni­as, mui­tas na in­ter­net, con­tra os di­rei­tos de um ci­da­dão, pe­lo sim­ples fac­to de pen­sar di­fe­ren­te. Ago­ra o al­vo pa­ra de­ses­ta­bi­li­za­ção é o meu cír­cu­lo in­ti­mo, de amor, que vai acre­di­tan­do, na su­ces­são de men­ti­ras. Na­da fa­rei, nem me mul­ti­pli­ca­rei em jus­ti­fi­ca­ti­vas pa­ra per­su­a­dir, quem não quer en­xer­gar, nu­ma tra­ma que vi­sa cor­ro­er os pi­la­res de quem um dia ele­gi co­mo a mi­nha re­ta­guar­da e trin­chei­ra se­gu­ra. A fé im­pe­le-me a não dei­xar de lu­tar, por mais que se­jam as in­jus­ti­ças, as ca­lú­ni­as, as fa­ke news. E uma fon­te de ins­pi­ra­ção, des­sa re­sis­tên­cia foi a lu­ta travada por Je­sus Cris­to, bla­fes­ma­do e traí­do por quem mais con­fi­a­va e gos­ta­va. Ci­en­te dis­so, não dei­xou de lu­tar e sa­cri­fi­car-se, na de­fe­sa de um bem mai­or, tan­to as­sim é, que há mais de dois mil anos, des­de a sua mor­te, na cruz, não se fa­la nou­tra coi­sa, se­não na in­jus­ti­ça de que foi al­vo, pe­la co­var­dia e cri­me dos que acre­di­ta­ram nas men­ti­ras, la­van­do as mãos co­mo Pôn­cio Pi­la­tos... Ape­sar de tu­do is­so, o meu gri­to de re­sis­tên­cia é con­ti­nu­ar a lu­ta em prol dos ob­jec­ti­vos mai­o­res do nos­so po­vo, acan­to­na­do em quartéis da de­si­gual­da­de, dis­cri­mi­na­ção e ex­tre­ma po­bre­za, on­de cer­ca de 20 mi­lhões, nas­cem com fo­me, cres­cem com fo­me e mor­rem com fo­me. Mes­mo so­zi­nho no de­ser­to, não ab­di­ca­rei de lu­tar, pe­lo amor, a li­ber­da­de, a de­mo­cra­cia, até o dia da jus­ti­ça ci­da­dã e uma in­de­pen­dên­cia re­pu­bli­ca­na.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.