Wa­di o jin­den­de un­tu wen­gi

[Pro­vér­bi­os kim­bun­du – por­tu­guês - III]

Jornal Cultura - - Grafitos Na Alma - Abí­lio Ma­nu­el

– Wa­di o jin­den­de un­tu wen­gi wa kus­su­ka o mi­zum­bu yji mu­e­ne wa­di o jin­den­de (O que co­meu os den­déns é ou­tra pes­soa, o que tem os lá­bi­os vermelhos é que co­meu os den­déns; a pes­soa que gos­ta da mu­lher es­tá ca­la­do, mas o que es­tá a fa­lar mui­to é por­que é o na­mo­ra­do)

– Oh ki­zan­ga kia kam­be oh ngan­du ah ki­tam­ba ni ma­ku

(A la­goa que não tem ja­ca­ré po­de pes­car com as mãos; na al­deia que não tem so­ba to­dos brin­cam

– Wi­la wi ngaia kus­san­ga ah ku­e­tu kiwi­di we ngaia kus­san­ga anan­den­gue

(Diz que vou en­con­trar os ou­tros, não diz que vou en­con­trar os miú­dos; a cri­an­ça que dei­xou pe­que­nos ho­je já é ho­mens

– Oh hom­bo uva­la mo­na umo­xi na nes­se

(A ca­bra dá à luz um ilho e o lam­be; de­ves re­sol­ver um pro­ble­ma de ca­da vez)

– Oh ki­zua kia ku­fua ki­mo­xi

(O dia de mor­rer é só um; o ho­mem não mor­re du­as ve­zes)

– OH ngu­ma yie udi­le­naiu ku­mo­xi

(O teu ini­mi­go po­des co­mer com ele jun­to)

– Um­ban­gue mbo­te ngu­ma ya mun­du

(O que faz bem a mui­ta gen­te sem­pre é ini­mi­go de to­dos)

– Kia ban­gue mu­e­nu ban­ga­kiu we luim­bi lwa­mu­xi­ma lwaa yba

(O que o ou­tro fez, vo­cê tam­bém po­de fa­zer; é mui­to mau guar­dar ódio no seu co­ra­ção)

– Oh di­tue ni dia le­ah ki­di te­na ku­tun­da un’tue

(A orelha po­de ser com­pri­da, mas não po­de ul­tra­pas­sar a ca­be­ça; o ilho po­de ser gran­de não po­de dar or­dens ao pai).

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.