MA­NU­EL RUI PRO­DUZ MEL E PO­E­SIA COM “DU­AS ABE­LHAS AMI­GAS DE UM GI­RAS­SOL”

Jornal Cultura - - Primeira Página - SO­BRE O AU­TOR

O lan­ça­men­to, no pas­sa­do dia 21 de Ja­nei­ro, da mais re­cen­te obra de po­e­sia in­fan­to-ju­ve­nil, “DU­AS ABE­LHAS AMI­GAS DE UM GI­RAS­SOL”, foi mais uma gran­di­o­sa manifestação da sim­bi­o­se es­pi­ri­tu­al que exis­te nes­te nos­so mun­do en­tre a al­ma de Ma­nu­el Rui e a al­ma das cri­an­ças.

Com efei­to, o CA­MÕES/CEN­TRO CUL­TU­RAL POR­TU­GUÊS tes­te­mu­nhou, na noi­te do lan­ça­men­to da obra, es­sa na­tu­ral em­pa­tia, com a par­ti­ci­pa­ção de de­ze­nas de cri­an­ças que de­ram voz e emoção à po­e­sia es­cri­ta no li­vro e exi­bi­da em ví­deo.

Ao cri­ar es­ta no­va obra, Ma­nu­el Rui pro­du­ziu mel e po­e­sia que os lei­to­res irão usu­fruir com o de­lei­te de quem sor­ve o la­bor pre­ci­so e ri­go­ro­so da abe­lha, des­de o pó­len do gi­ras­sol aos fa­vos da col­meia.

Na no­ta que o Ca­mões fez che­gar à nos­sa re­dac­ção, é di­to que “a obra DU­AS ABE­LHAS AMI­GA DE UM GI­RAS­SOL, pro­du­zi­da pe­la Mayam­ba Edi­to­ra, com ilus­tra­ções de Ro­sa Cu­bi­lo, can­ta a na­tu­re­za e o amor, atra­vés de uma his­tó­ria da la­bu­ta diá­ria de du­as abe­lhas, que su­gam o néc­tar do gi­ras­sol, num diá­lo­go com dois me­ni­nos que pas­sam e te­mem a fer­ro­a­da.

Com a co­nhe­ci­da e apu­ra­da mes­tria e sen­si­bi­li­da­de poé­ti­ca, Ma­nu­el Rui trans­por­ta-nos pa­ra um mun­do de ma­gia, on­de não fal­ta a igu­ra do vi­lão - um “ho­mem com ca­ra de mal­va­do”. “Bom-dia gi­ras­sol co­mo é que vai o nos­so ami­go Bom-dia me­ni­nas abe­lhas não nos fer­rem por fa­vor! Ó me­ni­nos não há pe­ri­go Só fer­ra­mos a quem ata­ca e não gos­ta do amor” “É bom ser gi­ras­sol sem pe­ri­go Mas da­va tu­do pa­ra vo­ar E não icar de cas­ti­go Nem se­quer po­der an­dar A ver se mor­ro de ve­lho e sem ne­nhum ini­mi­go Com se­men­tes pa­ra dar Cain­do no chão de abri­go E lin­dos gi­ras­sóis a re­ben­tar” “abe­[email protected] é o nos­so par­ti­cu­lar E co­mo vo­cês per­ce­bem? Com nos­sas an­te­nas ra­dar. Ago­ra vo­cês per­ce­bem Co­mo vão co­mu­ni­car.”

MA­NU­EL RUI (Ma­nu­el Rui Al­ves Mon­tei­ro) nas­ceu no Hu­am­bo, no Pla­nal­to Cen­tral, em 1941.

Li­cen­ci­ou-se em Di­rei­to na Uni­ver­si­da­de de Coim­bra, em Por­tu­gal, on­de exer­ceu ad­vo­ca­cia, foi mem­bro fun­da­dor do Cen­tro de Es­tú­di­os Ju­rí­di­cos, re­dac­tor da Re­vis­ta Vér­ti­ce, co-au­tor do su­ple­men­to Sin­to­ma e só­cio fun­da­dor da edi­to­ra Cen­te­lha.

Fi­gu­ra in­con­tor­ná­vel das ar­tes e le­tras an­go­la­nas, ao lon­go da sua vi­da man­te­ve, sem­pre, uma es­trei­ta co­la­bo­ra­ção com di­ver­sos jor­nais e re­vis­tas de re­no­me, des­de os tem­pos de Coim­bra, no tri­ân­gu­lo da Lín­gua Por­tu­gue­sa en­tre An­go­la (Jor­nal de An­go­la e Diá­rio Lu­an­da, en­tre ou­tros), Por­tu­gal (Pú­bli­co e Jor­nal de Le­tras) e Bra­sil (Ter­cei­ro mun­do). Foi fun­da­dor das edi­ções Mar Além, on­de foi edi­ta­da a Re­vis­ta de Cul­tu­ra e Li­te­ra­tu­ra dos Paí­ses de Lín­gua O ici­al Por­tu­gue­sa (PALOP) e fun­da­dor e subs­cri­tor da pro­cla­ma­ção da União dos Es­cri­to­res An­go­la­nos (UEA), bem co­mo da União dos Ar­tis­tas e Com­po­si­to­res An­go­la­nos e da So­ci­e­da­de de Au­to­res An­go­la­nos.

Ma­nu­el Rui, en­saís­ta, cro­nis­ta, dra­ma­tur­go e po­e­ta, é tam­bém au­tor do Hi­no Na­ci­o­nal de An­go­la e de can­ções de par­cei­ros co­mo Rui Min­gas, An­dré Min­gas, Pau­lo de Car­va­lho e Car­los do Car­mo (Por­tu­gal) e Mar­ti­nho da Vi­la e Cláu­dio Jor­ge (Bra­sil).

A sua mag­ni ica ver­ten­te li­te­rá­ria in­clui uma vas­ta obra de tex­tos de po­e­sia e de ic­ção pu­bli­ca­dos des­de 1967 até à pre­sen­te da­ta.

É au­tor da pri­mei­ra obra de po­e­sia e de ic­ção pu­bli­ca­dos em An­go­la após a in­de­pen­dên­cia. Foi ga­lar­do­a­do com o Pré­mio Ca­mi­nho das Es­tre­las em 1980, pe­la obra em­ble­má­ti­ca “Quem me De­ra Ser On­da”, já adap­ta­da ao te­a­tro em vá­ri­os paí­ses, de­sig­na­da­men­te em An­go­la, Por­tu­gal, Mo­çam­bi­que e Ca­bo Ver­de.

As su­as obras es­tão tra­du­zi­das em um­bun­du, ale­mão, es­pa­nhol, he­brai­co, in­lan­dês, ita­li­a­no, ser­vo-cro­a­ta, su­e­co e rus­so.

Ma­nu­el Rui com cri­an­ças

O pú­bli­co pre­sen­te

Ma­nu­el Rui com o edi­tor Ar­lin­do Isa­bel

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.