LÁ­GRI­MAS

Jornal Cultura - - ARTE POÉTICA - LUÍS FI­LI­PE RO­DRI­GUES FA­RI­NHA (ES­CUL­TU­RA DE AN­TÓ­NIO OLE)

LÁ­GRI­MAS DE SAL CHORAM EM RUGAS DE MAR PE­LA BO­NAN­ÇA E VENDAVAL PA­RA QU­EM NAVEGOU OU HÁ-DE NA­VE­GAR RASGANDO ON­DAS PE­RAN­TE O SOL E O LUAR CO­MO TU SON­DAS A VASTIDÃO DES­TE MAR FA­ZEM-SE DESCOBERTAS ACORRENTADOS AOS PORÕES POR ROTAS INCERTAS BA­TEM TAMBORES E CO­RA­ÇÕES ACOM­PA­NHA­DOS POR VO­OS AGITADOS NES­SA ÁGUA, ADVERSA E SALGADA PA­RA LÁ DOS OCEANOS CON­TEM­PLA­DOS PROCLAMANDO O TU­DO E O NA­DA OUVEM-SE VO­ZES DE ESTIBORDO ACLAMA O TIMONEIRO DUVIDAM A BOMBORDO POR UM DENSO NEVOEIRO RANGEM OS MASTROS POR UM VENTO ATROZ EN­TRE A ES­PE­RAN­ÇA E A TRIS­TE­ZA ES­FOR­ÇA-SE BRA­ÇOS A UMA SÓ VOZ CON­TRA FOR­ÇAS DA NA­TU­RE­ZA GE­RAM-SE SENTIMENTOS E RA­ZÕES EN­TRE OS BORDOS, A VANTE E A RÉ NOU­TRAS DI­MEN­SÕES NUN­CA PER­DE­RAM A FÉ ESCUTANDO TA­MA­NHA ALTIVEZ SONS ACOMPANHAVAM POR SENSATEZ PE­DIA-SE UMA ES­PA­DA EN­TRE O BEM E O MAL COM MIL PERDÕES TU­DO IS­TO SÃO LÁ­GRI­MAS DE SAL 19/07/2017

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.