Már­cia Di­as ex­põe em Pa­ris

Jornal Cultura - - Artes -

ar­tis­ta plás­ti­ca an­go­la­na Már­cia Di­as vai par­ti­ci­par na Ex­po­si­ção In­ter­na­ci­o­nal Car­rou­sel du Lou­vre, em Pa­ris. ex­po­si­ção de­cor­re en­tre os di­as 19 e 21 de Ou­tu­bro, no âm­bi­to da Art­com In­ter­na­ti­o­nal Ex­po As­so­ci­a­ti­on.

Ac­tu­al­men­te a re­si­dir em Por­tu­gal, Már­cia Di­as nas­ceu sob in luên­cia do sig­no ca­ran­gue­jo e do ca­lor de Ju­nho, daí se ex­pli­ca a sua per­so­na­li­da­de cri­a­ti­va e a for­te en­tre­ga e pai­xão pe­lo mun­do das artes.

Ao lon­go do seu per­cur­so co­mo pin­to­ra, deu a co­nhe­cer a al­ma afri­ca­na. É in­tui­ti­va e uti­li­za as su­as emo­ções ex­pres­san­do na “Ar­te de Luz” a sua per­so­na­li­da­de. Mui­to no­va ru­mou pa­ra as la­ti­tu­des fri­as, Sué­cia, e aí nas­ceu o seu amor pe­la pin­tu­ra.

O seu fas­cí­nio pe­la ar­te fê-la apren­der mais e aper­fei­ço­ar vá­ri­as téc­ni­cas. A sua evo­lu­ção foi na­tu­ral e gra­du­al; bus­can­do a luz e as co­res for­tes, am­bas fo­ram sur­gin­do na sua pin­tu­ra e re­en­con­trou-se com a na­tu­re­za ca­rac­te­rís­ti­ca da Angola que não es­que­ce e pro­cu­ra pro­jec­tar em qual­quer par­te do Mun­do. As co­res quen­tes, for­tes e ale­gres são a mar­ca que pro­põe aos apre­ci­a­do­res de ar­te a vi­a­jar pe­las be­las sa­va­nas afri­ca­nas in­va­din­do pen­sa­men­tos com mui­ta cor e ale­gria. O Sol e a na­tu­re­za são a sua mai­or ins­pi­ra­ção.

Már­cia Di­as afir­ma que tu­do aqui­lo que pin­ta, tem um pou­co de si: « eu não me ins­pi­ro em te­má­ti­cas, nem ob­jec­tos. A pin­tu­ra pa­ra mim tem de trans­mi­tir a li­ber­da­de de cri­ar. Gos­to de pin­tar na­tu­re­za, po­e­sia, emo­ções e sen­ti­men­tos » . Co­me­çou a pin­tar na

ado­les­cên­cia, ten­do as­su­mi­do ver­da­dei­ra­men­te a sua al­ma de ar­tis­ta nas du­as úl­ti­mas dé­ca­das. As su­as pe­ças fo­ram ad­qui­ri­das por par­ti­cu­la­res es­pa­lha­dos pe­lo Mun­do: Angola, Por­tu­gal, pas­san­do pe­la Sué­cia até ao Bra­sil e Du­bai, en­tre ou­tros.

A en­tre­ga aos ou­tros têm- na im­pul­si­o­na­do a co­la­bo­rar na an­ga­ri­a­ção de fun­dos com Ins­ti­tui­ções de So­li­da­ri­e­da­de, ofer­tan­do tam­bém obras da sua au­to­ria e re­cen­te­men­te abra­çou um pro­jec­to de as­ses­so­ria cultural na Ca­sa de Angola e con­se­quen­te­men­te con­tri­bui de for­ma apai­xo­na­da pa­ra a dig­ni­fi­ca­ção de ar­tis­tas plás­ti­cos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.