Jornal Cultura : 2019-06-11

Diálogo Intercultu­ral : 14 : 14

Diálogo Intercultu­ral

14 Cultura DIÁLOGO INTERCULTU­RAL | 11 a 24 de Junho de 2019 | pel da canção, que está sempre presente na sua dramaturgi­a de forma estruturan­te, e a influência do alemão Bertolt Brecht. Como é que analisa a ausência das obras de um prémio Camões como Chico Buarque nas estantes das livrarias angolanas? Não sei responder a essa pergunta. Seria preciso saber, entre outras coisas, que nomes da literatura brasileira contemporâ­nea podem ser encontrado­s nas livrarias angolanas hoje. Acredito que estejamos muito distantes uns dos outros, brasileiro­s e africanos que falam português, o que é algo a lamentar. Se até Chico Buarque, que aonde vai costuma ser precedido pela sua fama de grande artista da canção, tem dificuldad­e para romper essas barreiras, talvez o problema seja mais grave do que se imagina. O que posso fazer é recomendar, a quem tiver a oportunida­de de pôr as mãos nos seus livros, que comece por “Budapeste”, uma pequena joia de romance, ou “O irmão alemão”, o seu livro Iais recente e de prosa mais livre, mais caudalosa, de inspiração autobiográ­fica. “Estamos muito distantes uns dos outros, brasileiro­s e africanos que falam português, o que é algo a lamentar. Talvez o problema seja mais grave do que se imagina.” Exposição individual de Desenho PRINTED AND DISTRIBUTE­D BY PRESSREADE­R PressReade­r.com +1 604 278 4604 ORIGINAL COPY . ORIGINAL COPY . ORIGINAL COPY . ORIGINAL COPY . ORIGINAL COPY . ORIGINAL COPY COPYRIGHT AND PROTECTED BY APPLICABLE LAW

© PressReader. All rights reserved.