No­va pes­qui­sa re­ve­la ‘lo­ca­li­za­ção exa­ta’ do apa­re­ci­men­to do homem mo­der­no

Jornal Cultura - - DIÁLOGO INTERCULTU­RAL - HELEN BRIGGS *

Aá­rea é ac­tu­al­men­te to­ma­da por salinas, mas já abri­gou um enor­me la­go, que po­de ter si­do nos­so lar an­ces­tral há 200 mil anos.

Nos­sos an­ces­trais ha­bi­ta­ram es­sa re­gião por 70 mil anos, até que o cli­ma lo­cal mu­dou, su­ge­re um es­tu­do pu­bli­ca­do na re­vis­ta ci­en­tí ica Na­tu­re.

Eles co­me­ça­ram a se des­lo­car por meio de “cor­re­do­res ver­des” de terras fér­teis, abrin­do ca­mi­nho pa­ra fu­tu­ras mi­gra­ções pa­ra fo­ra da Áfri­ca.

“Es­tá cla­ro há al­gum tem­po que os se­res hu­ma­nos ana­to­mi­ca­men­te mo­der­nos apa­re­ce­ram na Áfri­ca há cer­ca de 200 mil anos”, a ir­mou a pro­fes­so­ra Va­nes­sa Hayes, ge­ne­ti­cis­ta do Ins­ti­tu­to Gar­van de Pes­qui­sa Mé­di­ca na Aus­trá­lia.

“O que se de­ba­te há mui­to tem­po é a lo­ca­li­za­ção exac­ta des­se sur­gi­men­to e a sub­se­quen­te dis­per­são de nos­sos an­ces­trais mais an­ti­gos”.

As con­clu­sões da pro­fes­so­ra Hayes des­per­ta­ram cep­ti­cis­mo, no en­tan­to, en­tre ou­tros pes­qui­sa­do­res da área.

RE­GIÃO DE LA­GOS

A área em ques­tão es­tá lo­ca­li­za­da ao sul da ba­cia do Rio Zambeze, no nor­te de Bot­su­a­na.

Os pes­qui­sa­do­res acre­di­tam que nos­sos an­ces­trais se es­ta­be­le­ce­ram per­to de um imen­so sis­te­ma de la­gos da Áfri­ca, co­nhe­ci­do co­mo La­go Mak­ga­dik­ga­di, que ho­je é uma área de vas­tas salinas.

“É uma área ex­tre­ma­men­te gran­de, te­ria si­do mui­to hú­mi­da e exu­be­ran­te”, dis­se Hayes. “E is­so re­al­men­te for­ne­ce­ria um ha­bi­tat pro­pí­cio pa­ra os se­res hu­ma­nos mo­der­nos e a vi­da sel­va­gem vi­ve­rem”.

Após vi­ve­rem lá por 70 mil anos, eles co­me­ça­ram a mi­grar. Uma mu­dan­ça nos re­gi­mes de chu­va na re­gião le­va­ram a três on­das de mi­gra­ção há 130 mil e 110 mil anos, im­pul­si­o­na­das pe­los “cor­re­do­res ver­des” de terras fér­teis que fo­ram se abrin­do.

Os pri­mei­ros mi­gran­tes se aven­tu­ra­ram ru­mo a nor­des­te, se­gui­dos por uma se­gun­da on­da de mi­gra­ção que se di­ri­giu pa­ra su­do­es­te — uma ter­cei­ra par­te da po­pu­la­ção per­ma­ne­ce em sua ter­ra na­tal até ho­je.

Es­se ce­ná­rio é ba­se­a­do no ras­tre­a­men­to ge­né­ti­co da ár­vo­re ge­ne­a­ló­gi­ca hu­ma­na, re­a­li­za­do por meio da aná­li­se de cen­te­nas de amos­tras de DNA mi­to­con­dri­al (o frag­men­to de DNA pas­sa­do adi­an­te pe­la li­nha­gem ma­ter­na — de mãe pa­ra ilho) de afri­ca­nos vi­vos.

Com­bi­nan­do ge­né­ti­ca com ge­o­lo­gia e si­mu­la­ções de mo­de­los cli­má­ti­cos pe­lo com­pu­ta­dor, os pes­qui­sa­do­res con­se­gui­ram cri­ar uma ima­gem de co­mo po­de­ria ser o con­ti­nen­te afri­ca­no há 200 mil anos.

RECONSTRUI­NDO A HIS­TÓ­RIA HU­MA­NA

O es­tu­do foi re­ce­bi­do, no en­tan­to, com cau­te­la por um es­pe­ci­a­lis­ta, que a ir­ma que não é pos­sí­vel re­cons­truir a his­tó­ria da ori­gem hu­ma­na ape­nas com ba­se no DNA mi­to­con­dri­al.

Ou­tras aná­li­ses ge­ra­ram re­sul­ta­dos di­fe­ren­tes — des­co­ber­tas de fós­seis su­ge­rem que a ori­gem re­me­te à Áfri­ca Ori­en­tal.

O pro­fes­sor Ch­ris Strin­ger, do Mu­seu de His­tó­ria Na­tu­ral de Lon­dres, que não par­ti­ci­pou do es­tu­do, afir­mou que a evo­lu­ção do Ho­mo sa­pi­ens foi um pro­ces­so com­ple­xo.

“Vo­cê não po­de usar dis­tri­bui­ções mi­to­con­dri­ais mo­der­nas iso­la­da­men­te pa­ra re­cons­truir uma úni­ca lo­ca­li­za­ção pa­ra as ori­gens hu­ma­nas mo­der­nas”, dis­se ele à BBC News.

“Acho que se es­tá exi­gin­do de­mais dos da­dos. Co­mo vo­cê es­tá olhan­do ape­nas pa­ra uma pe­que­na par­te do ge­no­ma, não é pos­sí­vel tra­çar a his­tó­ria com­ple­ta das nos­sas ori­gens”.

Nes­te con­tex­to, po­de­ria ter ha­vi­do vá­ri­os “ber­ços da hu­ma­ni­da­de”, em vez de ape­nas um, que ain­da não fo­ram lo­ca­li­za­dos.

MAR­COS EVOLUTIVOS DA HIS­TÓ­RIA DA HU­MA­NI­DA­DE

– Há 400 mil anos: os ne­an­der­tais (nos­sos pri­mos evolutivos) co­me­çam a sur­gir e a se des­lo­car pe­la Eu­ro­pa e Ásia.

– De 300 mil a 200 mil anos atrás: Ho­mo sa­pi­ens (ho­mens mo­der­nos) apa­re­cem na Áfri­ca.

– De 50 mil a 40 mil anos atrás: os ho­mens mo­der­nos che­gam à Eu­ro­pa.

A pai­sa­gem da re­gião é mui­to mais ári­da ho­je

Hayes apren­den­do a fa­zer fo­go com os ca­ça­do­res Jul'ho­an­si no De­ser­to de Ka­laha­ri, na Namíbia

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.