Je­an Pi­er­re Bem­ba já es­tá com a fa­mí­lia

Os juí­zes do Tri­bu­nal Pe­nal In­ter­na­ci­o­nal (TPI) de Haia acei­ta­ram o pe­di­do dos ad­vo­ga­dos de Je­an-Pi­er­re Bem­ba e de­ci­di­ram li­ber­tá-lo pro­vi­so­ri­a­men­te de­pois de, na se­ma­na pas­sa­da, ter si­do anu­la­da a con­de­na­ção de 18 anos de pri­são por cri­mes de guer­ra e co

Jornal de Angola - - PRIMEIRA PÁGINA - Vic­tor Car­va­lho

A pri­mei­ra ins­tân­cia do TPI de­ci­diu ter­ça-fei­ra ao fi­nal da tar­de a libertação do ex Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go (RDC), de­pois de na se­ma­na pas­sa­da o ple­ná­rio do mes­mo tri­bu­nal lhe ter anu­la­do uma sen­ten­ça pe­los cri­mes de guer­ra e con­tra a hu­ma­ni­da­de.

Des­te mo­do, Je­an-Pi­er­re Bem­ba aguar­da­rá em li­ber­da­de, mas com al­gu­mas res­tri­ções, a de­ci­são de um ou­tro re­cur­so apre­sen­ta­do pe­los seus ad­vo­ga­dos e que es­tá re­la­ci­o­na­do com um ou­tro pro­ces­so on­de res­pon­de à acu­sa­ção de ten­ta­ti­va de cor­rom­per uma tes­te­mu­nha ar­ro­la­da ao jul­ga­men­to prin­ci­pal.

Es­ta de­ci­são co­lo­ca, pe­lo me­nos pa­ra já, um pon­to fi­nal a mais de uma dé­ca­da de de­ten­ção do an­ti­go Vi­ce Pre­si­den­te da RDC que ha­via si­do con­de­na­do em 2016, em pri­mei­ra ins­tân­cia, a 18 anos de ca­deia. Je­an-Pi­er­re Bem­ba foi con­de­na­do pe­la sua ale­ga­da “res­pon­sa­bi­li­da­de di­rec­ta” nas mor­tes, vi­o­la­ções e pi­lha­gens co­me­ti­das na Re­pú­bli­ca Cen­tro Afri­ca­na por uma for­ça que ac­tu­a­va sob o seu co­man­do, en­tre Ou­tu­bro de 2002 e Mar­ço de 2003, pa­ra apoi­ar o en­tão Pre­si­den­te cen­tro­a­fri­ca­no, An­ge-Fé­lix Pa­tas­sé, de­pois de uma in­ten­to­na de que foi al­vo.

Na Bél­gi­ca e em si­lên­cio

De­pois des­ta no­va de­ci­são do TPI, Je­an-Pi­er­re Bem­ba dei­xou a pri­são e se­guiu vi­a­gem pa­ra se jun­tar à mu­lher e aos cin­co fi­lhos ins­ta­la­dos na Bél­gi­ca, on­de aguar­da­rá pe­lo des­fe­cho do re­cur­so que apre­sen­tou pa­ra anu­lar a acu­sa­ção de ter ten­ta­do cor­rom­per uma tes­te­mu­nha de acu­sa­ção no pro­ces­so prin­ci­pal e cu­ja sen­ten­ça foi anu­la­da a se­ma­na pas­sa­da, dis­se­ram os seus ad­vo­ga­dos.

Mes­mo que per­ca o re­cur­so, o fac­to é que Je­an-Pi­er­re Bem­ba po­de não vol­tar a ser de­ti­do, uma vez que já cum­priu 80 por cen­to do tem­po de cin­co anos de pri­são a que foi con­de­na­do em pri­mei­ra ins­tân­cia.

Mas a libertação de Je­an Pi­er­re Bem­ba, ape­sar de pro­vi­só­ria, im­põe-lhe uma sé­rie de res­tri­ções, en­tre as quais a de mai­or impacto é a proi­bi­ção de fa­zer de­cla­ra­ções po­lí­ti­cas so­bre es­te ca­so ou con­tac­tar qual­quer tes­te­mu­nha”, as­sim co­mo “não mu­dar o seu en­de­re­ço sem co­mu­ni­ca­ção e es­tar dis­po­ní­vel se o tri­bu­nal de pri­mei­ra ins­tân­cia o exi­gir”.

Es­tas res­tri­ções fo­ram im­pos­tas por­que Je­an-Pi­er­re Bem­ba tem ain­da um pro­ces­so no TPI, re­la­ci­o­na­do com um ale­ga­do su­bor­no a tes­te­mu­nhas, ra­zão por que não foi lo­go li­ber­ta­do a 4 de Ju­nho.

“Ten­do em con­ta to­dos os fac­tos per­ti­nen­tes e as cir­cuns­tân­ci­as do ca­so, no seu to­do, o tri­bu­nal de pri­mei­ra ins­tân­cia con­si­de­ra que as con­di­ções ju­rí­di­cas de ma­nu­ten­ção de de­ten­ção não es­tão pre­en­chi­das”, ex­pli­cou o TPI num co­mu­ni­ca­do on­de foi anun­ci­a­da a libertação pro­vi­só­ria do an­ti­go Vi­ce-Pre­si­den­te da RDC.

Num ou­tro co­mu­ni­ca­do emi­ti­do pe­la juí­za Ch­ris­ti­ne Van den Wyn­ga­ert, que de­ci­diu o re­cur­so que anu­lou a sen­ten­ça de 18 anos de pri­são, é re­ve­la­do que “a sec­ção de re­cur­so do TPI anu­lou a de­cla­ra­ção de cul­pa­bi­li­da­de de Je­an-Pi­er­re Bem­ba” e de­cla­rou a ab­sol­vi­ção por­que “os er­ros co­me­ti­dos pe­la pri­mei­ra ins­tân­cia re­mo­ve­ram com­ple­ta­men­te a sua res­pon­sa­bi­li­da­de pe­nal”.

Se­gun­do al­guns ana­lis­tas que acom­pa­nha­ram o pro­ces­so, a seu fa­vor jo­gou o fac­to do jul­ga­men­to em pri­mei­ra ins­tân­cia, re­a­li­za­do em 2016, não ter com­pro­va­do to­tal­men­te que o an­ti­go Vi­ce Pre­si­den­te da RDC não to­mou me­di­das su­fi­ci­en­tes pa­ra evi­tar os cri­mes co­me­ti­dos pe­las tro­pas con­go­le­sas.

Os fac­tos en­tão jul­ga­dos ocor­re­ram na Re­pú­bli­ca Cen­tro-Afri­ca­na en­tre 2002 e 2003, qu­an­do tro­pas do Mo­vi­men­to de Libertação do Con­go, cu­jo lí­der era Je­an Pi­er­re Bem­ba, cru­za­ram a fron­tei­ra pa­ra apoi­ar o en­tão Pre­si­den­te cen­tro-afri­ca­no, An­ge-Fé­lix Pa­tas­sé, de­pois de uma in­ten­to­na.

A pe­na de 18 anos de pri­são apli­ca­da a Je­an-Pi­er­re Bem­ba ti­nha si­do a mais du­ra até ao mo­men­to na his­tó­ria do TPI e o seu pro­ces­so foi o pri­mei­ro que cen­trou as in­ves­ti­ga­ções em vi­o­la­ção se­xu­al co­mo cri­me de guer­ra e con­tra a hu­ma­ni­da­de.

Je­an-Pi­er­re Bem­ba ha­via si­do de­ti­do em 2008 na Bél­gi­ca na sequên­cia de um man­da­do in­ter­na­ci­o­nal de cap­tu­ra emi­ti­do pe­lo TPI com ba­se na acu­sa­ção de cri­mes de guer­ra e con­tra a hu­ma­ni­da­de. Or­ga­ni­za­ções hu­ma­ni­tá­ri­as e de de­fe­sa dos di­rei­tos hu­ma­nos já cri­ti­ca­ram a de­ci­são de anu­lar a sen­ten­ça, con­si­de­ran­do que se tra­ta de uma “afron­ta” pa­ra as ví­ti­mas de uma das mais “te­ne­bro­sas cam­pa­nhas de vi­o­la­ções e de vi­o­lên­ci­as se­xu­ais re­gis­ta­das em ce­ná­ri­os de guer­ra”.

A libertação de Je­an-Pi­er­re Bem­ba po­de­rá ter tam­bém um for­te impacto po­lí­ti­co na RDC, on­de ele man­tém uma enor­me ba­se de le­ais apoi­os que po­dem in­flu­en­ci­ar o fu­tu­ro po­lí­ti­co do país, que de­ve­rá re­a­li­zar elei­ções a 23 de De­zem­bro des­te ano.

DR

An­ti­go Vi­ce-Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go já es­tá com a fa­mí­lia na Bél­gi­ca

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.