Adep­tos per­cor­rem lon­gas dis­tân­ci­as

Jornal de Angola - - ESPECIAL -

O “mun­di­al” que de­cor­re des­de on­tem na Rús­sia es­tá a re­ve­lar his­tó­ri­as de vi­da de adep­tos, que de­ci­di­ram re­a­li­zar ver­da­dei­ras aven­tu­ras ou lou­cu­ras.

Tal é o ca­so do egíp­cio que dá pe­lo no­me de Moha­med que de­ci­diu sair do Cai­ro, ima­gi­nem, de bi­ci­cle­ta até à Rús­sia, pa­ra­a­poi­a­ra­su­a­se­lec­ção­na­ci­o­nal, per­cor­ren­do mi­lha­res de qui­ló­me­tros com a sua “bi­ke”. O fer­re­nho adep­to dos Fa­raós, se­lec­ção do Egip­to, per­cor­reu nu­ma li­nha rec­ta ima­gi­ná­ria a dis­tân­cia de 2.900 qui­ló­me­tros.

Ou­tra his­tó­ria con­ta­da pe­lo ca­nal te­le­vi­si­vo rus­so RT re­la­ta a aven­tu­ra de dois is­lan­de­ses que saí­ram de Rey­ka­vik, a ca­pi­tal do seu país, a bor­do de um ji­pe Ni­va pa­ra se jun­ta­rem aos ou­tros adep­tos do seu país pa­ra dar ca­lor e apoio à sua se­lec­ção, que faz a sua es­treia nes­ta 21.ª edi­ção do Cam­pe­o­na­to do Mun­do. Um per­cur­so de apro­xi­ma­da­men­te 3.320 km, o que não dei­xa de ser uma aven­tu­ra que pou­cos ti­nham co­ra­gem pa­ra en­trar ne­la. Tal é tam­bém o ca­so de um ido­so ale­mão que de­ci­diu sair de Es­tu­gar­da num ve­lho trac­tor em di­rec­ção à Rús­sia, fa­zen­do-se acom­pa­nhar do seu pas­tor ale­mão, pa­ra as­sis­tir às par­ti­das dos ac­tu­ais cam­peões do Mun­do. Da ci­da­de ale­mã até Mos­co­vo são apro­xi­ma­da­men­te 2.069 km.

São his­tó­ri­as de pai­xão pe­lo fu­te­bol e to­tal de­di­ca­ção às su­as se­lec­ções na­ci­o­nais, que cer­ta­men­te mui­tos ou­tros adep­tos com es­pí­ri­to de aven­tu­ra le­vam a ca­bo.

No “mun­di­al” dis­pu­ta­do no Bra­sil mui­tas fo­ram as his­tó­ri­as de adep­tos que atra­ves­sa­ram qua­se to­do o con­ti­nen­te ame­ri­ca­no em vi­a­tu­ras, mo­tas e ou­tros veí­cu­los pa­ra se jun­ta­rem à fes­ta do fu­te­bol. Hou­ve até quem trou­xe con­si­go car­ros com quar­tos adap­ta­dos, pre­ven­do já as en­chen­tes nos ho­téis e os pre­ços ele­va­dís­si­mos que são co­bra­dos pe­las diá­ri­as nes­tas oca­siões de mui­ta pro­cu­ra.

Po­re­xem­plo,nes­te­mo­men­to, em Mos­co­vo, uma noi­te num quar­to sim­ples che­ga a cus­tar en­tre 15 e 18 mil ru­blos, qual­quer coi­sa co­mo 250 eu­ros. Uma exor­bi­tân­cia que mui­tos acei­tam pa­gar. No meu ca­so ti­ve a sor­te de en­con­trar um apar­ta­men­to ba­ra­to, mas ape­nas por um dia, pois o se­nho­rio de­ci­diu au­men­tar pa­ra oi­to mil ru­blos, sob pe­na de ter de mu­dar-me pa­ra ou­tro de me­no­res di­men­sões. É, pois a re­la­ção en­tre pro­cu­ra e ofer­ta, ape­sar de o Go­ver­no rus­so e os em­pre­sá­ri­os do ra­mo te­rem in­ves­ti­do bas­tan­te e o nú­me­ro de quar­tos ter au­men­ta­do con­si­de­ra­vel­men­te.

Pa­ra quem pre­ten­de vir mais tar­de pa­ra a fa­se do “ma­ta-ma­ta” é me­lhor vir bem ape­tre­cha­do em ter­mos mo­ne­tá­ri­os. Não es­tá fá­cil.

Pra­ça Ver­me­lha in­va­di­da

Adep­tos de vá­ri­os paí­ses in­va­di­ram li­te­ral­men­te a fa­mo­sa Pra­ça Ver­me­lha em Mos­co­vo, jun­to ao pa­lá­cio do Go­ver­no rus­so, o não me­nos co­nhe­ci­do mun­di­al­men­te Krem­lin.

Com ban­dei­ras, cha­péus, ba­tu­ques e ou­tros ins­tru­men­tos e pe­ças de rou­pa que as iden­ti­fi­quem com as su­as equi­pas, ca­da cla­que fez a sua re­pre­sen­ta­ção. Umas mais ba­ru­lhen­tas que ou­tras, dan­do um co­lo­ri­do di­fe­ren­te e um am­bi­en­te fes­ti­vo fo­ra do co­mum pa­ra os mos­co­vi­tas e à fa­mo­sa Pra­ça Ver­me­lha, que es­tá ro­de­a­da de ou­tros pó­los de in­te­res­se tu­rís­ti­co, que tam­bém fo­ram to­ma­dos de “as­sal­to” pe­los en­tu­si­as­tas do fu­te­bol.

Afi­nal, mui­tos es­tão aqui na Rús­sia não só pa­ra ver fu­te­bol, mas tam­bém pa­ra co­nhe­cer a vas­ta e ri­ca cul­tu­ra rus­sa. Mui­tas se­lec­ções fo­ram aca­ri­nha­das pe­los adep­tos du­ran­te as ses­sões de trei­no e nes­te par­ti­cu­lar des­ta­ca­ram-se os me­xi­ca­nos, que, com os seus fa­mo­sos “som­bre­ros”, cri­a­ram um am­bi­en­te de jo­go du­ran­te o apron­to. Pra­ça Ver­me­lha, em Mos­co­vo, tem si­do o pon­to de en­con­tro

DR

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.