Fra­ca edu­ca­ção am­bi­en­tal con­tri­bui pa­ra a pro­li­fe­ra­ção do li­xo plás­ti­co

As­so­ci­a­ção Cris­tã Cres­cer An­go­la apre­sen­ta fór­mu­las pa­ra evi­tar amon­to­a­dos de li­xo plás­ti­co no país pa­ra aju­dar a evi­tar da­nos in­cal­cu­lá­veis ao am­bi­en­te

Jornal de Angola - - REGIÕES - Do­min­gos Mu­cu­ta | Lu­ban­go

A fra­ca edu­ca­ção am­bi­en­tal da po­pu­la­ção na pro­vín­cia da Huí­la é uma das prin­ci­pais ra­zões pa­ra o de­pó­si­to des­re­gra­do de li­xo plás­ti­co em lo­cais im­pró­pri­os, e con­se­quen­te­men­te a de­gra­da­ção do am­bi­en­te e da ima­gem das ci­da­des, afir­mou, on­tem, no Lu­ban­go, o di­rec­tor da As­so­ci­a­ção Cris­tã Cres­cer An­go­la (ACCA).

Moi­sés Mon­tei­ro, que fa­la­va du­ran­te o lan­ça­men­to do pro­jec­to de “Com­ba­te ao Li­xo Plás­ti­co” na pro­vín­cia da Huí­la, dis­se que a po­pu­la­ção tem de ser edu­ca­da a pre­ser­var o am­bi­en­te, atra­vés de cam­pa­nhas de sen­si­bi­li­za­ção.

“Te­mos de en­con­trar me­ca­nis­mos efi­ca­zes pa­ra evi­tar amon­to­a­dos de re­sí­du­os só­li­dos na ci­da­de”, dis­se o res­pon­sá­vel.

O di­rec­tor da As­so­ci­a­ção Cris­tã Cres­cer An­go­la de­fen­de a re­a­li­za­ção sis­te­má­ti­ca de cam­pa­nhas de sen­si­bi­li­za­ção e de edu­ca­ção “pa­ra a ele­va­ção da cons­ci­ên­cia am­bi­en­tal dos ci­da­dãos, no sen­ti­do de se pres­tar mais aten­ção às ques­tões de pro­tec­ção e de con­ser­va­ção do am­bi­en­te”.

O Pro­jec­to de Com­ba­te ao Li­xo Plás­ti­co vi­sa, es­sen­ci­al­men­te, in­ver­ter o qua­dro ac­tu­al do am­bi­en­te atra­vés de cam­pa­nhas de sen­si­bi­li­za­ção e ac­ti­vi­da­des de re­ci­cla­gem ma­nu­al de plás­ti­co, pa­ra mos­trar à so­ci­e­da­de o pro­ces­so de re­a­pro­vei­ta­men­to dos ma­te­ri­ais de plás­ti­co, trans­for­ma­dos em uten­sí­li­os de­co­ra­ti­vos.

Ex­po­si­ção

Re­pre­sen­tan­tes da as­so­ci­a­ção cris­tã das pro­vín­ci­as de Ben­gue­la e da Huí­la par­ti­ci­pa­ram nu­ma ex­po­si­ção, na pra­ça pú­bli­ca ad­ja­cen­te a Uni­ver­si­da­de Man­du­me ya Nde­mo­fayo, on­de apre­sen­ta­ram ma­te­ri­ais co­mo ces­tos, pas­tas, va­sos, por­ta­cha­ves, es­to­jos de lá­pis e de es­fe­ro­grá­fi­cas, anéis, re­flec­to­res , qua­dros, ba­ses, pul­sei­ras e ou­tros cas­cões de plás­ti­co.

Os ex­po­si­to­res da as­so­ci­a­ção apre­sen­ta­ram ao pú­bli­co vá­ri­as fór­mu­las pa­ra di­mi­nui­ção do ex­ces­so de li­xo e con­se­quen­te­men­te dos da­nos ir­re­ver­sí­veis no cli­ma e no ar. “As ci­da­des es­tão des­fi­gu­ra­das por cau­sa da enor­me quan­ti­da­de de li­xo plás­ti­co de­po­si­ta­do em sí­ti­os ina­de­qua­dos. O plás­ti­co pre­ju­di­ca so­bre­ma­nei­ra o ecos­sis­te­ma, des­fi­gu­ra ci­da­des e pro­vo­ca da­nos in­cal­cu­lá­veis”, re­al­çou Moi­sés Mon­tei­ro.

“É por es­ta ra­zão”, pros­se­guiu o res­pon­sá­vel, “que a as­so­ci­a­ção que di­ri­jo es­tá a sen­si­bi­li­zar a so­ci­e­da­de hui­la­na pa­ra au­men­tar a cons­ci­ên­cia am­bi­en­tal e aler­tar so­bre os perigos do li­xo plás­ti­co. Mem­bros da as­so­ci­a­ção es­tão a dis­tri­buir car­ti­lhas com men­sa­gens in­for­ma­ti­vas so­bre os da­nos que es­te ti­po de li­xo pro­vo­ca ao ser humano, ani­mais e às plan­tas”.

Pa­ra o res­pon­sá­vel, o pro­ces­so de com­ba­te à pro­li­fe­ra­ção do li­xo plás­ti­co em An­go­la “é ain­da mui­to fra­co por fal­ta de me­di­das con­cre­tas”, por is­so tem de se au­men­tar os pre­ços dos ma­te­ri­ais de plás­ti­co que são uti­li­za­dos no mer­ca­do na­ci­o­nal, pa­ra de­sen­co­ra­jar o seu uso ir­ra­ci­o­nal.

A As­so­ci­a­ção Cris­tã Cres­cer An­go­la (ACCA) é uma as­so­ci­a­ção ju­ve­nil sem fins lu­cra­ti­vos, fun­da­da a 22 de Fe­ve­rei­ro de 2003, com o ob­jec­ti­vo de co­o­pe­rar com o Exe­cu­ti­vo na pro­mo­ção do de­sen­vol­vi­men­to co­mu­ni­tá­rio e edu­car as po­pu­la­ções so­bre a pro­tec­ção e pre­ser­va­ção do am­bi­en­te. Des­de a sua fun­da­ção re­a­li­za ac­ti­vi­da­des vi­ra­das à edu­ca­ção am­bi­en­tal.

“As ci­da­des es­tão des­fi­gu­ra­das por cau­sa da enor­me quan­ti­da­de de li­xo plás­ti­co de­po­si­ta­do em sí­ti­os ina­de­qua­dos. O plás­ti­co pre­ju­di­ca so­bre­ma­nei­ra o ecos­sis­te­ma, des­fi­gu­ra ci­da­des e pro­vo­ca da­nos in­cal­cu­lá­veis”

ARIMATEIA BAP­TIS­TA | EDIÇÕES NO­VEM­BRO | LU­BAN­GO

Ex­po­si­ção de pro­du­tos à ba­se de plás­ti­cos na ci­da­de do Lu­ban­go jun­tou jo­vens das pro­vín­ci­as da Huí­la e de Ben­gue­la

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.