“Ma­kas” da União ex­pos­tas a de­pu­ta­dos

No­vo se­cre­tá­rio-ge­ral ga­ran­te que o úni­co apoio que a ins­ti­tui­ção re­ce­be é da Fun­da­ção Sol des­ti­na­do a con­cur­so

Jornal de Angola - - CULTURA - Má­rio Cohen

Os prin­ci­pais pro­ble­mas que afec­tam o nor­mal fun­ci­o­na­men­to da União dos Es­cri­to­res An­go­la­nos (UEA) fo­ram apre­sen­ta­dos, on­tem, a de­pu­ta­dos da 7ª Co­mis­são es­pe­ci­a­li­za­da da As­sem­bleia Na­ci­o­nal, que tra­ta, en­tre ou­tras ma­té­ri­as, das ques­tões ati­nen­tes à cul­tu­ra, que vi­si­ta­ram aque­la ins­ti­tui­ção.

De acor­do com o se­cre­tá­rio-ge­ral da UEA, Da­vid Ca­pe­len­gue­la, re­cen­te­men­te elei­to, o prin­ci­pal pro­ble­ma que en­fren­ta a ins­ti­tui­ção é de or­dem fi­nan­cei­ra, uma vez que, des­de Ja­nei­ro , não re­ce­be do Mi­nis­té­rio da Cul­tu­ra a ver­ba es­ti­pu­la­da.

O úni­co apoio que a or­ga­ni­za­ção tem, ga­ran­tiu, é da Fun­da­ção Sol, des­ti­na­do a pa­tro­ci­nar o con­cur­so li­te­rá­rio in­fan­to-ju­ve­nil “Quem Me De­ra Ser On­da”.

“A So­nan­gol há mui­to tem­po que dei­xou de pa­tro­ci­nar as ac­ti­vi­da­des cul­tu­rais de­sen­vol­vi­das pe­la UEA, as­sim co­mo a pu­bli­ca­ção de li­vros”, dis­se Da­vid Ca­pe­len­gue­la, que afir­mou aos de­pu­ta­dos ser di­fí­cil o nor­mal fun­ci­o­na­men­to da ins­ti­tui­ção, a pri­mei­ra as­so­ci­a­ção cul­tu­ral no país, cri­a­da a 10 de De­zem­bro de 1975.

Re­ver o ac­tu­al es­ta­tu­to da UEA foi uma das ques­tões apre­sen­ta­das aos par­la­men­ta­res da 7ª Co­mis­são, com a fi­na­li­da­de dos es­cri­to­res sen­ti­rem­se ver­da­dei­ros par­ti­ci­pa­ti­vos no de­sen­vol­vi­men­to do Pla­no Na­ci­o­nal da Cul­tu­ra.

Qu­es­ti­o­na­do pe­los de­pu­ta­dos so­bre a re­pre­sen­ta­ti­vi­da­de da UEA a ní­vel do país e dos con­teú­dos li­te­rá­ri­os dos seus as­so­ci­a­dos, Da­vid Ca­pe­len­gue­la dis­se que a União não tem re­pre­sen­ta­ção em ne­nhu­ma pro­vín­cia, ape­nas mem­bros.

Qu­an­to ao con­teú­do li­te­rá­rio, o se­cre­tá­rio-ge­ral da UEA dis­se que a ins­ti­tui­ção tem to­do o ma­te­ri­al li­te­rá­rio dos as­so­ci­a­dos, des­de a fun­da­ção pro­cla­ma­da pe­lo pri­mei­ro Pre­si­den­te de An­go­la, An­tó­nio Agostinho Ne­to, 30 di­as de­pois da In­de­pen­dên­cia Na­ci­o­nal.

O pre­si­den­te da 7ª Co­mis­são da As­sem­bleia Na­ci­o­nal, Nu­no Car­na­val, ma­ni­fes­tou o de­se­jo da no­va di­rec­ção da UEA tra­ba­lhar no sen­ti­do de res­ga­tar a mís­ti­ca da im­por­tân­cia que a ins­ti­tui­ção gran­je­ou no pas­sa­do, ten­do apro­vei­ta­do a opor­tu­ni­da­de pa­ra fe­li­ci­tar a ac­tu­al di­rec­ção.

A His­tó­ria da fun­da­ção da União, dis­se Nu­no Car­na­val, não po­de ser apa­ga­da, pois é uma “ca­sa fun­da­da pe­lo Po­e­ta Mai­or, o Fun­da­dor da Na­ção e pri­mei­ro Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca de An­go­la.”

O vi­ce-pre­si­den­te da 7ª Co­mis­são, Vun­da Sa­lu­com­bo, mos­trou-se pre­o­cu­pa­do pe­lo fac­to do Cen­tro Cul­tu­ral Por­tu­guês, Cen­tro Cul­tu­ral Bra­sil-An­go­la e Al­li­an­ce Fran­çai­se do­mi­na­rem as re­a­li­za­ções de ac­ti­vi­da­des cul­tu­rais na ca­pi­tal do país.

JOÃO GO­MES | EDIÇÕES NO­VEM­BRO

Par­la­men­ta­res da 7ª Co­mis­são da As­sem­bleia Na­ci­o­nal in­tei­ra­ram-se do fun­ci­o­na­men­to da UEA

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.