Re­cém-nas­ci­do re­sis­te após oi­to ho­ras den­tro de uma fos­sa

Jornal de Angola - - PRIMEIRA PÁGINA - Pe­dro Bi­ca | Ca­xi­to

Um re­cém-nas­ci­do, do se­xo mas­cu­li­no, foi res­ga­ta­do com vi­da do in­te­ri­or de uma fos­sa sép­ti­ca de uma re­si­dên­cia, no bair­ro Ki­to­nhi, Vi­la de Ca­xi­to, pro­vín­cia do Bengo, on­de per­ma­ne­ceu du­ran­te oi­to ho­ras, sou­be o Jor­nal de An­go­la de fonte fa­mi­li­ar.

O fac­to acon­te­ceu após a mãe, uma ado­les­cen­te de 15 anos, ter fei­to o par­to às es­con­di­das, na ca­sa de ba­nho da sua re­si­dên­cia, e de se­gui­da es­con­deu o be­bé na fos­sa que se en­con­tra­va se­ca, o que per­mi­tiu o res­ga­te por par­te dos fa­mi­li­a­res.

A mãe da ado­les­cen­te, Ma­ria João Do­min­gos, dis­se que o be­bé go­za de boa saú­de, após ter si­do ob­ser­va­do por mé­di­cos do Hos­pi­tal Pro­vin­ci­al de Ca­xi­to, e que, ape­sar das cir­cuns­tân­ci­as, es­tá fe­liz com o nas­ci­men­to do ne­to, mas la­men­tou o com­por­ta­men­to da fi­lha, de quem ape­nas sus­pei­ta­va es­tar grá­vi­da e acre­di­ta que o me­do es­te­ve na ba­se da ati­tu­de to­ma­da pe­la me­nor.

“De­pois de ou­vir­mos cho­ros de re­cém-nas­ci­do, fi­cá­mos pre­o­cu­pa­dos, pois em ca­sa não tí­nha­mos um be­bé. Pro­cu­ra­mos, de­mos con­ta de que os cho­ros vi­nham da fos­sa de ca­sa. Par­ti­mos e con­se­gui­mos li­ber­tar o me­ni­no”, re­ve­lou a avó.

Após o par­to ca­sei­ro, a me­nor te­ve uma cri­se pós­par­to e nes­te mo­men­to en­con­tra-se in­ter­na­da no Ban­co de Ur­gên­cia do Hos­pi­tal Pro­vin­ci­al do Bengo, on­de re­ce­be tra­ta­men­to mé­di­co, na Uni­da­de de Cui­da­dos In­ten­si­vos (UCI).

Ma­ria João Do­min­gos in­di­cou que um mai­or diá­lo­go com as fi­lhas é im­por­tan­te no sen­ti­do de se evi­tar tais si­tu­a­ções, por­que cons­ti­tui ris­co pa­ra a vi­da hu­ma­na.

ED­MUN­DO EUCÍLIO | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO

Mãe da me­nor tris­te pe­lo ac­to, mas fe­liz pe­la vi­da do ne­to

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.