Ban­co Mun­di­al na co­o­pe­ra­ção si­no-afri­ca­na

Jornal de Angola - - ESPECIAL -

Num fó­rum que vi­sa o in­ves­ti­men­to e na pre­sen­ça de ho­mens de ne­gó­ci­os, cri­a­ti­vos, de­ten­to­res de ca­pi­tal fi­nan­cei­ro e de tec­no­lo­gia e inovação, o vi­ce-pre­si­den­te do Ban­co Mun­di­al pa­ra o Mé­dio Ori­en­te e Áfri­ca, Ha­fez Gha­nem, co­me­çou a sua in­ter­ven­ção de dez mi­nu­tos com a per­gun­ta: “por quê es­ta­mos aqui, no Fó­rum In­ves­tir em Afri­ca”?

Pa­ra Ha­fez Gha­nem, a reu­nião re­a­li­za-se “por­que sa­be­mos que Áfri­ca é um des­ti­no pa­ra o desenvolvi­mento, qu­e­re­mos a di­ver­si­fi­ca­ção da sua eco­no­mia e es­ta­mos aqui por­que qu­e­re­mos ofe­re­cer par­ce­ri­as pa­ra apoi­ar a cri­a­ção de emprego e au­to­no­mia da mu­lher e a ju­ven­tu­de”.

Re­la­ti­va­men­te à di­ver­si­fi­ca­ção eco­nó­mi­ca de Áfri­ca, Ha­fez Gha­nem lem­brou que o con­ti­nen­te não é obri­ga­do a co­pi­ar o modelo de desenvolvi­mento de ou­tras re­giões, pois tem a sua re­a­li­da­de.

Es­tu­dos a ní­vel do Ban­co Mun­di­al mos­tra­ram que a era di­gi­tal e das tec­no­lo­gi­as re­pre­sen­ta uma opor­tu­ni­da­de pa­ra o con­ti­nen­te, nu­ma al­tu­ra em que cer­ca de 11 mil mi­lhões de dó­la­res se­rão mo­bi­li­za­dos pa­ra o efei­to. A jun­tar-se a is­so, es­tá o fac­to de Áfri­ca ter re­cur­sos e uma po­pu­la­ção de mais de mil mi­lhões de ha­bi­tan­tes, mai­o­ri­ta­ri­a­men­te jo­vem.

Além dis­so, re­al­çou, o mer­ca­do con­su­mi­dor es­tá a cres­cer em con­tra­pon­to a uma po­bre­za ca­da vez mais gri­tan­te. Por is­so, pa­ra o vi­ce-pre­si­den­te do BM pa­ra o Mé­dio Ori­en­te e Áfri­ca, é fun­da­men­tal que o con­ti­nen­te de­sen­vol­va o ca­pi­tal hu­ma­no, a di­gi­ta­li­za­ção, inovação e me­lho­re a ges­tão da dí­vi­da, re­mo­ven­do as­sim os obs­tá­cu­los ao desenvolvi­mento do con­ti­nen­te.

Na sua vi­são, Áfri­ca de­ve con­si­de­rar co­mo ba­se do seu desenvolvi­mento a elec­tri­ci­da­de, ape­lan­do ao sec­tor pri­va­do a em­bar­car nes­te pro­pó­si­to, pois ne­nhum país po­de avan­çar so­zi­nho. “Par­ti­lha­mos a con­vic­ção de que a Áfri­ca es­tá no pon­to de ig­ni­ção, pron­ta a ar­ran­car pa­ra um desenvolvi­mento in­clu­si­vo”, con­cluiu.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.