Fer­tiá­fri­ca ar­ran­ca em bre­ve

Jornal de Angola - - ECONOMIA - Ma­da­le­na Jo­sé

A Fer­tiá­fri­ca, uma uni­da­de mis­tu­ra­do­ra de fer­ti­li­zan­tes de Benguela, de­ti­da por ca­pi­tais an­go­la­nos, ar­ran­ca den­tro de um mês e meio, tra­zen­do pa­ra o mer­ca­do 500 to­ne­la­das por dia, in­for­mou, on­tem, em Lu­an­da, o pre­si­den­te do Con­se­lho Exe­cu­ti­vo da com­pa­nhia, Ma­lik Cha­ra­niya.

A em­pre­sa in­ves­tiu cer­ca de 21 mi­lhões de dó­la­res de ca­pi­tais pró­pri­os, em ma­qui­na­ria, ma­té­ria-pri­ma e es­tru­tu­ra fí­si­ca da uni­da­de fa­bril, cons­truí­da ao lon­go de um ano nu­ma área total de 86.927 me­tros qua­dra­dos.

A uni­da­de in­clui uma área so­ci­al, ad­mi­nis­tra­ti­va e de pro­du­ção, on­de es­tá ins­ta­la­da uma li­nha de mis­tu­ra, gra­nu­la­ção e en­sa­ca­men­to de fer­ti­li­zan­tes NPK, além de um la­bo­ra­tó­rio de con­tro­lo da qua­li­da­de e uma área téc­ni­ca.

A pro­du­ção na Fer­tiá­fri­ca ocor­re ao lon­go de um ci­clo que in­clui a mis­tu­ra de ma­té­ri­as-pri­mas, gra­nu­la­ção, en­sa­ca­men­to, ar­ma­ze­na­men­to e co­mer­ci­a­li­za­ção, re­sul­tan­do no que o con­se­lho exe­cu­ti­vo da fá­bri­ca dis­se ser “a pri­mei­ra uni­da­de mis­tu­ra­do­ra em An­go­la”, fa­zen­do-o, além do mais, com tec­no­lo­gia de pon­ta.

Nu­ma se­gun­da fa­se, pro­jec­ta­da pa­ra a ex­pan­são da pro­du­ção de fer­ti­li­zan­tes, a com­pa­nhia ele­va a ofer­ta pa­ra 30 mil to­ne­la­das por mês, dan­do a opor­tu­ni­da­de dos agri­cul­to­res lo­ca­li­za­dos ao lon­go do Cor­re­dor do Lo­bi­to, ad­qui­ri­rem os fer­ti­li­zan­tes a pre­ços mais com­pe­ti­ti­vos.

Im­pac­to Am­bi­en­tal

De acor­do com um no­vo es­tu­do de im­pac­to am­bi­en­tal so­li­ci­ta­do pe­los mi­nis­té­ri­os da In­dús­tria e do Am­bi­en­te, pa­ra o qual foi con­tra­ta­da a con­sul­to­ra Re­surb Am­bi­en­te, não se pre­vê al­te­ra­ções re­le­van­tes do meio am­bi­en­te em re­sul­ta­do da im­plan­ta­ção da fá­bri­ca, dis­se Ma­lik Cha­ra­niya.

“A uni­da­de es­tá equi­pa­da com tec­no­lo­gia de pon­ta, equi­pa­men­tos no­vos e com sis­te­ma de con­tro­lo de emis­sões mun­di­al­men­te tes­ta­dos, de­sig­na­do co­mo Me­lho­res Téc­ni­cas Dis­po­ní­veis (MTDs) pa­ra o sec­tor de ac­ti­vi­da­de”, de­cla­rou Ma­lik Cha­ra­niya, as­se­gu­ran­do a pre­ven­ção de even­tu­ais ris­cos am­bi­en­tais no tra­ta­men­to de águas re­si­du­ais (in­dus­tri­ais e do­més­ti­cas).

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.