Ci­da­dão sur­ge em Tri­bu­nal e de­nun­cia bur­la so­fri­da

Jornal de Angola - - SOCIEDADE - Kils­sia Fer­rei­ra

Um ci­da­dão iden­ti­fi­ca­do por Pe­dro Ar­man­do da Sil­va, que não es­ta­va ar­ro­la­do co­mo de­cla­ran­te no "ca­so de bur­la por de­frau­da­ção", em que são jul­ga­das três mu­lhe­res por re­ce­ber di­nhei­ro em tro­ca de emprego no BPC, dis­se, on­tem no Tri­bu­nal Pro­vin­ci­al de Lu­an­da, que en­tre­gou à ré Con­cei­ção Pe­dro Mateus, a quan­tia de um mi­lhão de kwan­zas, pa­ra ga­ran­tir va­ga na­que­la ins­ti­tui­ção ban­cá­ria.

Pe­dro Ar­man­do da Sil­va dis­se que to­mou co­nhe­ci­men­to do julgamento das rés Con­cei­ção Pe­dro Mateus, Ma­ri­a­na Ade­li­no Mes­qui­ta e Yo­lan­da Mateus Jo­a­quim, atra­vés das ma­té­ri­as pu­bli­ca­das no Jor­nal de An­go­la, mas a ré Con­cei­ção Mateus ale­gou ter re­ce­bi­do ape­nas 900 mil kwan­zas.

Na ses­são de on­tem, que de­cor­re na 5ª Sec­ção de Cri­mes Co­muns do Pa­lá­cio Do­na Ana Jo­a­qui­na, uma ou­tra de­cla­ran­te ar­ro­la­da no pro­ces­so, ape­nas iden­ti­fi­ca­da por Brí­gi­da, con­tou em Tri­bu­nal que acer­tou com a ré Ma­ri­a­na Ade­li­no Mes­qui­ta a quan­tia de um mi­lhão e qui­nhen­tos mil kwan­zas pa­ra uma va­ga, mas en­tre­gou ini­ci­al­men­te 500 mil.

Se­gun­do a de­cla­ran­te, a en­tre­ga de ape­nas 500 mil do mon­tan­te de um mi­lhão e 500 mil acor­da­do ini­ci­al­men­te, foi uma con­di­ção im­pos­ta, por­que pre­ten­dia pri­mei­ro ver em­pre­ga­da a pes­soa proposta.

No en­tan­to, a co-ré Ma­ri­a­na Ade­li­no Mes­qui­ta, dis­se que en­tre­gou à ré Con­cei­ção Mateus os va­lo­res re­ce­bi­dos da de­cla­ran­te Brí­gi­da, en­tão en­car­re­gue de re­sol­ver a si­tu­a­ção do emprego, por­que ti­nha um com­par­sa jun­to do Con­se­lho de Ad­mi­nis­tra­ção do BPC.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.