Pro­ces­sa­men­to de da­dos emi­te tan­to car­bo­no co­mo 21 mi­lhões de car­ros

Jornal de Angola - - DESPORTO -

Os cen­tros de pro­ces­sa­men­to de da­dos da Chi­na pro­du­zi­ram, em 2018, um vo­lu­me de dió­xi­do de car­bo­no equi­va­len­te ao emi­ti­do por 21 mi­lhões de au­to­mó­veis, se­gun­do um relatório da or­ga­ni­za­ção de pro­tec­ção am­bi­en­tal Gre­en­pe­a­ce di­vul­ga­do on­tem.

Os cen­tros ar­ma­ze­nam con­teú­dos elec­tró­ni­cos, in­cluin­do emails, fo­tos e ví­de­os, e con­so­mem, glo­bal­men­te, en­tre 3 e 5 por cen­to do total da elec­tri­ci­da­de, ri­va­li­zan­do com o sec­tor da avi­a­ção em emis­sões de car­bo­no. A Chi­na tem uma das mai­o­res in­dús­tri­as do mun­do de pro­ces­sa­men­to de da­dos, res­pon­sá­vel pe­lo con­su­mo de mais de 2 por cen­to do total da ener­gia do país, de­ta­lha o relatório da Gre­en­pe­a­ce.

O desenvolvi­mento do "big da­ta" (pro­ces­sa­men­to de gran­des vo­lu­mes de da­dos) é uma das pri­o­ri­da­des da Chi­na, vi­san­do mo­der­ni­zar as in­dús­tri­as nacionais e a ad­mi­nis­tra­ção pú­bli­ca, mas que tem sus­ci­ta­do crí­ti­cas, por pos­si­bi­li­tar ao regime chi­nês uma mai­or vi­gi­lân­cia so­bre os ci­da­dãos.

O país asiá­ti­co é tam­bém o mai­or emis­sor de ga­ses po­lu­en­tes do mun­do e pro­me­teu atin­gir o pi­co nas emis­sões de dió­xi­do de car­bo­no até 2030. Nos úl­ti­mos anos, tem si­do de lon­ge o mai­or in­ves­ti­dor glo­bal em ener­gi­as re­no­vá­veis, so­bre­tu­do so­lar.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.