Ra­pa­ri­gas ex­pos­tas a vul­ne­ra­bi­li­da­de

Jornal de Angola - - SOCIEDADE - An­dré Si­bi

O se­cre­tá­rio de Es­ta­do da Ju­ven­tu­de ad­mi­tiu on­tem, em Lu­an­da, que em to­do o mun­do, em par­ti­cu­lar em Áfri­ca, grande par­te da po­pu­la­ção é jo­vem e as ra­pa­ri­gas e ado­les­cen­tes cons­ti­tu­em o seg­men­to que se en­con­tra mais ex­pos­to à si­tu­a­ção de vul­ne­ra­bi­li­da­de no que con­cer­ne à vi­o­lên­cia, as­sé­dio se­xu­al, gra­vi­dez e ca­sa­men­to pre­co­ce, as­sim co­mo a de­si­gual­da­de de opor­tu­ni­da­des.

Ao in­ter­vir no ac­to que mar­cou o Dia In­ter­na­ci­o­nal da Me­ni­na, as­si­na­la­do on­tem, Fer­nan­do Fran­cis­co João dis­se que é por es­ta ra­zão que o Go­ver­no apro­vou, re­cen­te­men­te, a po­lí­ti­ca na­ci­o­nal da ju­ven­tu­de, de mo­do a as­se­gu­rar a im­por­tân­cia que as me­ni­nas ocu­pam na agen­da do Exe­cu­ti­vo, cu­jas li­nhas ori­en­ta­do­ras evo­cam a igual­da­de de opor­tu­ni­da­des no aces­so aos ser­vi­ços so­ci­ais bá­si­cos.

Em no­me da re­pre­sen­tan­te do Fun­do das Na­ções Uni­das pa­ra Po­pu­la­ção (UNFPA), o re­pre­sen­tan­te do UNICEF em An­go­la, Abu­ba­car Sul­tan, lem­brou que mui­tos dos com­pro­mis­sos as­su­mi­dos pa­ra com as me­ni­nas não es­tão a ser cum­pri­dos.

Em to­do o mun­do, pros­se­guiu, em ca­da ano, 12 mi­lhões de me­ni­nas me­no­res de 18 anos são obri­ga­das a casar, 130 mi­lhões es­tão fo­ra do sis­te­ma de en­si­no e apro­xi­ma­da­men­te 15 mi­lhões de ado­les­cen­tes, en­tre os 15 e 19 anos, ex­pe­ri­men­ta­ram se­xo for­ça­do. “As mais de 1,1 bi­lhão de me­ni­nas no mun­do já so­fre­ram o su­fi­ci­en­te. Es­te ano, ao ce­le­bra­rem o seu Dia In­ter­na­ci­o­nal, elas de­man­dam a ma­te­ri­a­li­za­ção dos com­pro­mis­sos as­su­mi­dos há qua­se 25 anos, pa­ra que se crie um fu­tu­ro me­lhor”, aler­tou.

Ape­sar de tu­do, Abu­ba­car Sul­tan re­co­nhe­ceu ter ha­vi­do avan­ços sig­ni­fi­ca­ti­vos no aces­so à edu­ca­ção, cui­da­dos de saú­de e na par­ti­ci­pa­ção das me­ni­nas no mun­do as­so­ci­a­ti­vo, mas ad­mi­tiu que pre­va­le­ce ain­da dis­pa­ri­da­des, fa­ce às bar­rei­ras so­ci­o­cul­tu­rais, pois uma em ca­da três me­ni­nas é obri­ga­da a casar-se an­tes de com­ple­tar os 18 anos.

“Uma em ca­da se­te me­ni­nas ca­sa-se an­tes de com­ple­tar os 15 anos. Por ou­tro, to­dos os di­as nas­cem 7,3 mi­lhões de be­bés de mães com 17 anos de ida­de ou me­nos e, 63 por cen­to dos jo­vens que não sa­bem ler e es­cre­ver são me­ni­nas”, dis­se.

Pa­ra o res­pon­sá­vel, o de­sen­vol­vi­men­to de ha­bi­li­da­des das me­ni­nas tem im­pli­ca­ção con­cre­ta pa­ra a in­cor­po­ra­ção des­tas no mer­ca­do de tra­ba­lho, pa­ra a saú­de e pa­ra dois dos de­sa­fi­os mais im­por­tan­tes na era ac­tu­al, no­me­a­da­men­te a edu­ca­ção e a igual­da­de de gé­ne­ro.

Dis­se que, a ní­vel na­ci­o­nal, ve­ri­fi­ca-se que a edu­ca­ção das me­ni­nas me­re­ce uma aten­ção especial.

O inqué­ri­to de In­di­ca­do­res Múl­ti­plos e de Saú­de 20152016 mos­tra que 42,6 por cen­to dos me­ni­nos e ra­pa­zes, en­tre 12 e 18 anos, fre­quen­tam o en­si­no se­cun­dá­rio, con­tra ape­nas 37 por cen­to das ra­pa­ri­gas.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.