Re­al­ça­da im­por­tân­cia da vi­de­o­vi­gi­lân­cia

Jornal de Angola - - POLÍTICA - Ve­nân­cio Vic­tor | Ma­lan­je Val­ter Go­mes | Uí­ge

O juiz pre­si­den­te do Tri­bu­nal de Co­mar­ca de Ben­gue­la, Ar­tur Ngun­za, afir­mou que a en­tra­da em fun­ci­o­na­men­to do Cen­tro In­te­gra­do de Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca (CISP) vai fa­ci­li­tar o es­cla­re­ci­men­to de ca­sos e a to­ma­da de de­ci­sões pe­los ma­gis­tra­dos.

Em de­cla­ra­ções à An­gop, à mar­gem de uma vi­si­ta efec­tu­a­da por 40 ma­gis­tra­dos do tri­bu­nal ao re­fe­ri­do cen­tro, o ma­gis­tra­do ju­di­ci­al dis­se que os tri­bu­nais par­ti­ci­pam do sis­te­ma de in­ves­ti­ga­ção, ins­tru­ção e de­ci­são dos pro­ces­sos, daí que es­ses ser­vi­ços trarão va­lên­ci­as nas su­as de­ci­sões.

“Es­se sis­te­ma vai aju­dar na cla­re­za e fi­de­li­da­de dos ca­sos que che­gam aos tri­bu­nais. Os fac­tos se­rão re­por­ta­dos em tem­po re­al, o que vai fa­ci­li­tar a iden­ti­fi­ca­ção das pes­so­as e mei­os en­vol­vi­dos em ac­tos cri­mi­nais”, ar­gu­men­tou.

Se­gun­do Ar­tur Ngun­za, o cen­tro vai as­se­gu­rar a cri­a­ção de con­di­ções pa­ra mai­or mo­bi­li­da­de das pes­so­as, tan­to no pe­río­do diur­no co­mo noc­tur­no, bem co­mo aju­dar a es­cla­re­cer as ocor­rên­ci­as de cri­mi­na­li­da­de e aci­den­tes de vi­a­ção.

A pro­tec­ção das ins­ti­tui­ções e re­si­dên­ci­as tam­bém se­rá uma das va­lên­ci­as do no­vo ser­vi­ço, fri­sou, enal­te­cen­do a apos­ta do Co­man­do da Po­lí­cia Na­ci­o­nal na ju­ven­tu­de, pa­ra ga­ran­tir a du­ra­ção do equi­pa­men­to.

A ne­ces­si­da­de de uma mai­or pro­mo­ção e va­lo­ri­za­ção da mu­lher e a sua par­ti­ci­pa­ção nos ór­gãos de de­ci­são e di­rec­ção e apos­ta na for­ma­ção de qu­a­dros, em par­ti­cu­lar de jo­vens, cons­tam en­tre as li­nhas de for­ça de Raul Dan­da en­quan­to can­di­da­to à li­de­ran­ça da UNITA.

Raul Dan­da apre­sen­tou es­tes com­pro­mis­sos on­tem, em Ma­lan­je, à mar­gem de um en­con­tro com mi­li­tan­tes e de­le­ga­dos da­que­la pro­vín­cia pa­ra o XIII Con­gres­so Or­di­ná­rio da UNITA, que se re­a­li­za na pró­xi­ma se­ma­na, em Lu­an­da.

Na­tu­ral de Ca­bin­da e li­cen­ci­a­do em Ges­tão de Em­pre­sas pe­la Uni­ver­si­da­de Lu­sía­da de An­go­la, Raul Dan­da é vi­ce­pre­si­den­te ces­san­te da UNITA e es­tá ago­ra com­pro­me­ti­do a li­de­rar o par­ti­do. Ma­ni­fes­tou a pre­ten­são de fa­zer com que a par­ti­ci­pa­ção da mu­lher a ní­vel da UNITA atin­ja os 45 por cen­to, com ten­dên­cia de che­gar à pa­ri­da­de. Jus­ti­fi­ca a sua po­si­ção com o fac­to de a mai­o­ria da po­pu­la­ção an­go­la­na ser do se­xo fe­mi­ni­no e por as mu­lhe­res tam­bém se­rem com­pe­ten­tes.

O po­lí­ti­co de­fen­deu a apos­ta na for­ma­ção de qu­a­dros, com a atri­bui­ção de bol­sas de es­tu­do pa­ra os ní­veis mé­dio e su­pe­ri­or no país, nu­ma pri­mei­ra fa­se, bem co­mo va­lo­ri­zar os qu­a­dros do par­ti­do com ba­se nas ap­ti­dões e com­pe­tên­ci­as.

O po­lí­ti­co pro­me­te ain­da con­gre­gar os qu­a­dros e mi­li­tan­tes em tor­no de uma di­rec­ção mais plu­ral, bem co­mo me­lho­rar a ima­gem do par­ti­do. Ca­so se­ja elei­to, Dan­da pro­me­te um for­te com­ba­te ao fa­vo­ri­tis­mo, ao ne­po­tis­mo, à im­pu­ni­da­de, cor­rup­ção e ou­tros com­por­ta­men­tos des­vi­an­tes que po­li­ti­ca­men­te fra­gi­li­zam o par­ti­do.

Além da re­du­ção da com­po­si­ção do Co­mi­té Per­ma­nen­te da Co­mis­são Po­lí­ti­ca da UNITA, cons­ta ain­da do ma­ni­fes­to elei­to­ral de Raul Dan­da a cri­a­ção de con­di­ções

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.